Curso: Manifestações Ufológicas EM Código Secreto Na Bíblia

Curso: Manifestações Ufológicas EM Código Secreto Na Bíblia
O Velho Testamento bíblico e outras partes do livro sagrado estão repletos de alusões a avistamentos ufológicos e contatos com seres extraterrestres, como se verá neste curso, que dá continuidade ao ministrado pelo mesmo professor no ano de 2020. Há até mesmo ocorrências de abduções alienígenas nele descritas com clareza, como a do profeta Elias, que foi levado aos céus. Se lida com uma ótica moderna e interpretada com conhecimentos ufológicos, na Bíblia, principalmente em sua versão hebraica, há ainda inúmeras outras menções a situações inusitadas apresentadas em um código próprio, que hoje é estudado pela chamada Ufocriptologia, que o curso ministrado pelo rabino Misha’ Ël Há’ Levi, como também é conhecido Paulo Sergio Batalini, abordará. Clique na imagem para mais informações.

EU QUERO ACREDITAR

EU QUERO ACREDITAR
CRIPTO-EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA NO PASSADO DA HUMANIDADE

Os Verdadeiros Anunnki

Os Verdadeiros Anunnki
A verdade jamais revelada sobre os Anunnaki

Novo Livro

Novo Livro
Duna - Uma Experiência Verdadeira

Os Ecos De Enoch

Os Ecos De Enoch
Página dedicada à criação online da Obra "Os Ecos De Enoch"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"
Apresentado entre agosto e novembro de 2015. Clique na imagem!

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Sanegor'Yah: A Sentinela Do Amor


Hoje é 18 de Elul (יח אלול) que é o Hilulá (aniversário de ocultamento de alma) do Maharal de Praga e não ao acaso, caiu no dia 30 de agosto no calendário solar que é o dia 242º do ano, restando para o final 123 dias. O valor 242 contém a gematria do nome Zechariáh (זְכַרְיָה) cujo segredo é "Zechar-Yáh" que se compreende "Yáh fará recordar". Este é um dos Nomes divinos mais poderosos pois ele é a chave para abrir as memórias da alma e fazê-la recordar suas outras reencarnações e também "Zachar-Yáh" que abre os arquivos dos Livros Divinos (Sefirot) de Zeir Anpin na Árvore das Vidas e que vocês conhecem como "Arquivos Akáshicos". 

Eu sempre meditei com eles Nome até que, no dia 123º do ano de 2014 (3 de maio) eu me recordei. O meu nome civil é Paulo (פאולו) cuja gematria é exatamente 123 e eu recebi, por reencarnação a alma de Chaim Vital (חיים ויטל) cuja gematria em anos padrões é 123 e em anos bissextos é 124 devido ao acréscimo da letra aléf (א)" ao nome Chaim Vital (חיים ויטאל) que é o segredo da unificação da centelha do Arizal (אריז"ל)" à centelha de Chaim Vital, segredo que me foi revelado no dia 3 de maio de 2012, ano bissexto, o dia 123 do ano. A gematria miluí do meu nome civil também é 124. Por sermos a mesma alma eu e Vital, eu conheço segredos escondidos na Torá que somente o Arizal e o Rabino Chaim Vital conheciam e que se tornaram "Genazim (גְנָזִים) - herméticamente fechados" como que guardados em um cofre, um mausoléu no qual o corpo de um tzadik (justo) é preservado da deterioração e no qual somente poderá entrar aquele que tiver a chave que está codificada nas quatro letras de "Ahaváh (אַהֲבָה)" que é Nome do Ser Celestial que vive no 5 º Palácio Celestial.

Senagor-Yah

"Beije-me ele com os beijos da sua boca... (יִשָּׁקֵנִי מִנְּשִׁיקוֹת פִּיהוּ)" - Cânticos 1:2. No livro de Rav Hamnuna Saba (o antigo), é dito sobre essa passagem que o beijo de Ahavah se espalha em quatro direções, as quatro direções se unem, e elas estão no segredo da Fé (malchut). As quatro direções vêm através de quatro letras, das quais são as letras que formam o Santo Nome (יְהוָה). O superior e o inferior originam-se delas e o louvor de Shir Hashirim vem delas. Quem são eles? São as quatro letras de Ahava (Aleph-Hei-Bet-Hei), elas são uma carruagem celestial (chessed, guevurá, tiféret e malchut), e são a conexão e perfeição de tudo." - Zôhar Terumá.

E por que se encontra em Zôhar Terumá? Porque Terumá (תְּרוּמָה) é Temurá (תְמוּרָה), porque as letras devem ser permutadas para revelar o segredo, ou seja, abrir o cofre onde estão guardados e, por esta razão "Genazim Ahavah (גְנָזִים אַהֲבָה)" constitui gematria igual a 123 que é a mesma de "Nés Ahavah (נֵס אַהֲבָה)" que se traduz "Milagre De Ahavah". Quanto a "Ahaváh (אַהֲבָה)" ele não é de forma alguma o que se traduziu para "Amor" que é na verdade apenas uma temurá (permutação) de "Roma (leia ao contrário)" e que reforça o apego. Ahaváh vive na quinta câmara que é chamada de "Palácio de Ahaváh" e seu nome segredo é "Senagor-Yah (סָנֵיגוֹרְיָ"ה)" e somente aqueles que acendem para compreender este segredo podem fazer conexão verdadeira com ele.



Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'El Ha'Levi

segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Quem Foi Yeshu'a?


ATENÇÃO: Este artigo não contém uma aprovação ao dogma católico/cristão ou qualquer aprovação sobre o dogma "Jesus". Se trata sim, de uma investigação sobre o mestre da Galileia e não sobre o dogma que fizeram dele.

Quem foi Yeshu'a (Jesus)? Está é uma pergunta que poucos fazem pois, o mundo catolizado/cristianizado e dogmatizado não é capaz de produzir perguntas intrigantes em busca de respostas realmente poderosas capaz de alterar e elevar a consciência.

Ei gosto de investigar, fazer novas e intrigante perguntas e encontrar respostas que quebrem os dogmas que escravizam a alma.

As traduções da chamada "Bíblia" não ajudam em nada os seus estudantes pois foram feitas para ocultar a verdade e manter as almas sob a escravidão religiosa.

Quem foi Jesus? Vamos à nossa investigação! Na tradução do Evangelho de João que contém a narrativa sobre o seu batismo nas águas, nos lemos: "E João testificou, dizendo: Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele (João 1:32)." O nome próprio "Yonáh (יוֹנָה)" foi traduzido aqui para o seu significado que é "pomba".

REENCARNAÇÃO

Esta tradução é péssima e foi feita para esconder o maior mistério divino da humanidade: A reencarnação. O texto traduzido para o hebraico, diz: "Va'yaad Yochanan vay'omar: Chaziti ha'ruach k'dimut Yonáh yorédet mi-shamayim va'tanach alaiv (וַיָּעַד יוֹחָנָן וַיֹּאמַר חָזִיתִי הָרוּחַ כִּדְמוּת יוֹנָה יֹרֶדֶת מִשָּׁמַיִם וַתָּנַח עָלָיו׃) - E testemunhou Yochanan e disse: "Eu tive uma visão de um espírito com a semelhança de Jonas descer dos céus e repousar sobre ele."

Em outro lugar, encontramos: "Quem dizem os homens ser o Filho do homem? (Mateus 16:13). Na tradução para o hebraico "Máh omerim li b'ney Adam mi hú ben-ha'Adam (מָה־אֹמְרִים לִי בְנֵי אָדָם מִי הוּא בֵּן־הָאָדָם)? A resposta: "E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas Mateus 16:14)". Na tradução para o hebraico: "Vai'omerú yesh omerim Yochanan ha'ma'tebil, hú va'yesh omerim Eliahu, ve'acherim omerim Yeremiahu ô echar min ha'neviim (וַיֹּאמְרוּ יֵשׁ אֹמְרִים יוֹחָנָן הַמַּטְבִּיל הוּא וְיֵשׁ אֹמְרִים אֵלִיָּהוּ וַאֲחֵרִים אֹמְרִים יִרְמְיָהוּ אוֹ אֶחָד מִן־הַנְּבִיאִים׃)".

Aqui fica claro que, os antigos conheciam os mistérios do gilgul (reencarnação) e sabiam dos tipos de reencarnação pois, até mesmo acreditavam que João, que havia sido morto recentemente, poderia estar reencarnado nele (por yibur). Mas, a pergunta permance: Quem foi Jesus?

Em outro lugar, lemos: "Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas. E, deixando-os, retirou-se (Mateus 16:4). Na tradução hebraica Jesus afirma "ve'ót ló inatên lo bilti im-ót Yonáh ha'navi ...(לֹא יִנָּתֶן־לוֹ בִּלְתִּי אִם־אוֹת יוֹנָה הַנָּבִיא) - e nenhum oráculo lhe será dado, senão o oráculo do profeta Jonas...". Por que os tradutores não traduziram aqui também o nome próprio "Yonáh (יוֹנָה)" para o seu significado como o fizeram no evangelho de João?

A questão foi que os tradutores traduziram um nome próprio, que foi Yonah, para o seu significado que é "pomba" em um lugar e no outro deixaram como Yonáh (Jonas)", pois, no primeiro verso citado aqui lemos João dizendo que "viu (espiritualmente numa visão) o ruach (espírito) semelhante a Yonáh (Jonas) descer dos céus e entrar nele (repousar), ou seja, ser reencarnado nele e afirmando isso, seus discípulos, que eram estudantes dos mistérios divinos, dizem yochanan, o batizador ou... "um dos profetas." Qual critério usaram estes tradutores para deixar como nome próprio em um lugar e como o seu significado em outro? Para esconder a reencarnação, os tradutores católicos sob as ordem dos cesares, alteraram tudo, manipulando as verdades espirituais, os códigos sagrados da reencarnação.

Em Marcos 1 versículo 10, se lê "... e um espírito como Yonáh descer sobre ele." Em hebraico "...ve'ha'ruach k'Yonáh yoredet alaiv (וְהָרוּחַ כְּיוֹנָה יֹרֶדֶת עָלָיו)." 

Em Mateus: "e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele." No hebraico "va'yarêh et ruach Elohim yoredet k'Yonah ve'nacháh alaiv (וַיַּרְא אֶת־רוּחַ אֱלֹהִים יוֹרֶדֶת כְּיוֹנָה וְנָחָה עָלָיו׃)" e cuja melhor tradução seria "e viu o espírito divino..." pois não está "et ruach ha'Elohim..." mas "et ruach elohim" sem o artigo para designar "de Elohim" e novamente "ke'Yonah (כְּיוֹנָה) - como Jonas, ou seja "com a semelhança do "ruach de Jonas" e o mistério se amplia, pois, como eles conheciam a "aparência" do ruach de Jonas?

O SINAL DE JONAS

E qual é o SINAL do profeta Jonas? É a reencarnação. No Zôhar, edição do rabino Ariel Bension, publicada no Brasil pela Polar, nos lemos: 

"Na história de Jonas, encontramos uma alegoria do que acontece com a alma quando ela entra no corpo. Quando Jonas entrou no barco, isso é a alma embarcando em sua viagem para baixo, a fim de atravessar o oceano da vida. Quando um homem peca, ele é como Jonas (k'Yonah) que imagina poder fugir do furor de seu mestre. Então, D'us, envia uma grande tempestade, pois o Anjo do Rigor exige o castigo do pecador. Quando Jonas caiu num sono profundo, o piloto lhe disse: "Como podes dormir? Melhor levantar e invocar o teu D'us. O piloto é o Espírito do Bem que guia o navio (o anjo que acompanha a mãe durante a gravidez e que a inspira o nome que deve dar à criança), e lhe diz para pensar em toda sua vida (anterior) e fim de ver se houve nela algo que lhe faça merecedor de perdão. Ou pode ser que tenha entre os seus antepassados um homem justo, com mérito do qual ele possa agora contar para salvar-se (da lei do carma). Assim, quando o homem é julgado no outro mundo, numerosos acusadores bem como defensores estão presentes. Se o consideram culpado, a alma é separada do corpo e lançada no mar (gehinom/purgatório). Então o barco (o corpo) pode encontrar descanso outra vez no túmulo. Quando um homem morre, são enviados dos Céus três mensageiros para que estejam presentes. O primeiro inscreve suas boas e más ações; o segundo inscreve o número de seus dias; o terceiro é o que o acompanhou desde quando ainda estava no ventre de sua mãe. Quando o homem é levado ao cemitério, se ele foi um homem bom, esses três clamam: "Prestai homenagem a ele, que era à Imagem do Rei!". Mas se era mau, eles gritam: "Infeliz é esse homem! Melhor seria que nunca tivesse nascido." O peixe que engoliu Jonas é como a sepultura. Após três dias nela, as entranhas do homem lançam a imundície em seu rosto, gritando: "Toma para ti o que nos deste, tu (o corpo) que te hás empanturrado, enquanto o pobre (a alma) permanecia faminto!" Do terceiro ao décimo terceiro dia da morte, os vários membros do corpo são castigados pelos pecados cometidos. E a alma é julgada ao mesmo tempo que o corpo, permanecendo na terra durante o primeiro mês. Então a alma se eleva e o corpo se torna pó até o tempo em que D'us ressuscitará os mortos.".

Jesus lhes respondeu: “Destruí este templo, e, em três dias, Eu o reconstruirei.” Portanto, assim como esteve Jonas três dias e três noites no ventre de um grande peixe, assim o Filho do homem estará três dias e três noites no coração da terra".


QUEM SUBIU AOS CÉUS?

No próprio evangelho de Yochanan, encontramos outra evidência das reencarnações em Yeshu'a: "Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu (João 3:13)."

Mishley (Provérbios): "Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?"

No Zõhar e em Sha'ar ha'Gilgulim, encontramos a resposta para este enigma. Sêfer Ha'Zôhar: "Rabi Shimeon Bar Yochai, disse: "Eu descobri um segredo no LIVRO DE ADÃO, o primeiro homem, que dizia: Entre os descendentes que devem surgir no mundo haverá um certo Ruach (Espírito) que descerá para o mundo sobre a terra, e que deve se revestir dentro de um corpo - seu nome é Eliahu. E com este corpo ele deixará o mundo. E ele deverá se despir de seu corpo e permanecer no em um redemoinho (se'ará), e um outro corpo de luz ele deve adquirir para residir entre os anjos (seres de outros mundos e universos). Quando ele descer a este mundo, ele deve se revestir com aquele corpo que permaneceu ali, ou seja, no redemoinho, e deverá ser visto com ele".


Sha'ar ha'Gilgulim: "Quem subiu aos céus? Este foi o profeta Elias. E quem desceu? Esse  foi o profeta Jonas."


Tudo é um segredo sobre reencarnação e não sobre ressurreição física. Este é o sinal de Jonas e talvez, Jesus tenha sido uma reencarnação de Jonas. Está é minha investigação e que se trata apenas disso, uma investigação.  E ainda há mais...

"e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele." No hebraico "va'yarêh et ruach Elohim yoredet k'Yonah ve'nacháh alaiv (וַיַּרְא אֶת־רוּחַ אֱלֹהִים יוֹרֶדֶת כְּיוֹנָה וְנָחָה עָלָיו׃)" e cuja melhor tradução seria "e viu o espírito divino..." pois não está "et ruach ha'Elohim..." mas "et ruach elohim" sem o artigo para designar "de Elohim"... Este é o outro enigma que ainda vou explicar aqui.

וַיֹּאמֶר אֲלֵיהֶם וְאַתֶּם מַה־תֹּאמְרוּ לִי מִי אָנִי׃ 16 וַיַּעַן שִׁמְעוֹן פֶּטְרוֹס וַיֹּאמַר אַתָּה הוּא הַמָּשִׁיחַ בֶּן־אֱלֹהִים חַיִּים׃

"Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo *Mateus 16:15,16)." Aqui está o segredo de "et ruach Elohim". Yeshu'a era um "Ish ha'Elohim" porque tinha uma centelha dos anjos da hierarquia dos Ishim e por isso foi dito "ben Elohim chaim (בֶּן־אֱלֹהִים חַיִּים)  - filho dos Elohim vivos (chaim está no plural) " e para compreender este mistério, você deve estudar o link abaixo:


"E o pó volte à terra, como o era, e o ruach (espírito) volte a Elohim, que o deu (וְיָשֹׁב הֶעָפָר עַל-הָאָרֶץ, כְּשֶׁהָיָה; וְהָרוּחַ תָּשׁוּב, אֶל-הָאֱלֹהִים אֲשֶׁר נְתָנָהּ).".

O dogma católico/cristão acredita enganosamente que, este versículo se refere a todas as pessoas no mundo, mas não é verdade. Como toda interpretação cristã/evangélica corrompida, este tão foi corrompido em sua interpretação e compreensão. O versículo se refere apenas aqueles que receberam uma faísca dos Elohim e assim também, o seguinte versículo:

"Aquele que é nascido de Deus não peca habitualmente; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus (1 João 3:9)."

כָּל־הַנּוֹלָד מֵאֱלֹהִים לֹא יֶחֱטָא כִּי זַרְעוֹ בּוֹ יִשָּׁאֵר וְלֹא יוּכַל לַחֲטֹא כִּי מֵאֱלֹהִים נוֹלַד׃

O versículo não diz "nascido de D'us, mas 'nascido de Elohim (הַנּוֹלָד מֵאֱלֹהִים)" e isso muda tudo e no final "ki me-Elohim noled ( כִּי מֵאֱלֹהִים נוֹלַד׃) - pois de Elohim nasceu.".

Pobres cristãos enganados pelo seu mestre, o príncipe de Edom que os mantém longe da compreensão divina e escravizados na religião das qlipot.

E ainda não terminou....

Continuará...


Autor
Deepak Sankara Veda​
Bën Mähren Qadësh

sábado, 25 de agosto de 2018

SIMULACRON: A REALIDADE É UMA ILUSÃO



Este escrito é parte da Obra
"SIMULACRON - A REALIDADE É UMA ILUSÃO"

Artigo Em Construção

"Um cântico de ascensão: Quando o Sagrado Nome nos fizer retornar a Tsión, a nós, seus exilados, nos parecerá termos estado sonhando".


שִׁיר, הַמַּעֲלוֹת: בְּשׁוּב יְהוָה, אֶת-שִׁיבַת צִיּוֹן-- הָיִינוּ, כְּחֹלְמִים

Tehilim 126

Em meados de 1998, dois anos após o início do meu Despertar, fui atingido por uma sombria sensação de que o mundo não era real, e durante muitos dias eu me descobri lutando com meus pensamentos e meu interior, dizendo: "- Não é real! Não pode ser real!".

Certa noite, com os pensamentos conturbados e com esta sensação sombria e crescente de que nada era real e de que tudo era uma ilusão, sai para caminhar e fui a uma locadora de vídeos que ficava na rua Sete de Setembro, 236 em Suzano. Lá, encontrei, nas muitas prateleiras que preenchiam a sala, um filme chamado "Cidade Das Sombras". O aluguei e fui para casa assisti-lo. O filme aumento a minha inquietação interior e tornou mais forte e mais sombria a sensação de o mundo era uma ilusão.



O filme trata do mundo manipulado pelas forças sombrias das Qlipot (cascas do mal) onde o simulacro é alterado a cada noite sempre à meia noite. Durante uma dessas manipulações, um homem (John Murdoch) desperta e começa a perceber a ilusão e ele tem algo na mente, uma imagem recorrente onde ele vê, escrito em um outdoor a palavra Shell Beach (do inglês "Praia da Concha), uma alusão as Qlipot. É neste local que ele vai descobrir a verdade sobre o simulacro.


O filme tem uma ligação com Matrix pois, uma série de peças do set de filmagem, incluindo as utilizadas para a perseguição no telhado, foram vendidas para a produção de Matrix (1999) no final das filmagens.

"Eu acho que o dia não existe aqui! Quando foi a última vez que você se lembra de tê-lo visto? E não estou falando sobre uma lembrança de infância distante e meio esquecida, quero dizer, como ontem. Semana passada. Você consegue uma única memória? Você não pode, pode? Eu não acho que o sol exista ... neste lugar. Porque eu fiquei por horas, horas e horas, e a noite nunca termina aqui".

John Murdoch - Dark City

Esta é um declaração da alma quando ela desperta no mundo das Qlipot e tudo o que encontra é escuridão, pois a luz não existe lá...

Em 1999, dois filmes profundamente esotéricos e espirituais, foram lançados, e trouxeram a revelação iminente e produziram um golpe no Satan, causando uma fissura através da qual, as centelhas de almas escravizadas nas Qlipot, começaram a ver a luz da libertação.

O primeiro filme foi "The Thrirteen Floor (O 13º Andar)" que foi lançado em 16 de abril de 1999 (30 de nissan de 5.758) na Dinamarca. O outro foi Matrix, lançado em 31 de março (15 de nissan de 5.758) nos EUA. O lançamento destes filmes foi como o golpe das dez pragas sobre o Egito dando inicio à libertação das centelhas de almas presas dentro dos órgãos de Adam Belial.



"Eles dizem: "A ignorância é uma benção". Pela primeira vez na minha vida, eu aceito isso. Eu queria nunca ter descoberto a terrível verdade. Eu sei agora. Uma vez que descobrirem, tentarão me silenciar. É por isso que eu tenho que escrever tudo isso para você nesta carta. Você é o único a quem eu posso dizer isso. O único que poderia possivelmente Compreender. Boa sorte meu amigo".

Hannon Fuller - O 13 Andar

O dia 30 de nissan é o dia do aniversário de falecimento (hilulá) do Rabino Chaim Vital, o autor de Sha'ar Ha'Gilgulim (O Portão das Reencarnações) onde os segredos sobre a Matrix estão codificado, e o dia 15 de nissan é o dia do festival de Pessach que é dia da libertação do cativeiro. Não foi acaso! Foi providência divina.

Na década passada, eu costumava lecionar os mistérios da Sabedoria sobre o nosso "Simulacro" usando os filmes chamado  O 13º Andar e Matrix e estas aulas costumavam fazer os alunos desistirem de estudar Dere'k Nistar.

Durante mais de dez anos, este foi o ponto central de todas as exposições místicas lecionadas em quase todas as aulas: O mundo é um simulacro.

"Paraíso e Inferno são pensamentos vistos através de cortinas e toda a criação está apoiada nesta doutrina".

Sêfer Ha'Zôhar Ha'Qadosh

Há quase quinhentos anos, Rabi Chaim Vital completou esta maravilhosa revelação. Ele escreveu: "Já que Adão pecou e como ele era uma criação sagrada do Santíssimo, bendito seja Ele, ele, Adão, não podia ser contaminado com as Qlipot e a morte (ambas cascas do mal). Portanto, OUTRO SER IGUAL A ELE APARECEU. Trata-se do Adão das Trevas, conhecido como Adão Belial".

Sha'ar Ha'Gilgulim Ha'Qadmá 15


Adão era o Templo Sagrado no qual as centelhas de almas habitavam e o Adão Belial o universo negativo, o mundo invertido que se criou em razão do pecado, este universo é chamado "Sitra Achará (o Outro Lado)". Continua o Rabi Vital: "Por causa do pecado de Adão, todas as centelhas de almas que constituíam o seu corpo metafisico, passaram para o Outro Lado, criando uma IMAGEM paralela de Adão no sistema impuro, chamado Adão Belial. Aos poucos as almas foram se corrigindo e passando para o seu lugar original no corpo do Adão Celestial restando apenas as almas nos pés do Adão das Trevas (malchut da Árvore das Qlipot) e portanto as centelhas aprisionadas nos pés do Adão das Trevas são o último grupo. Então, será somente quando as almas nos pés das Qlipot retornarem à sua posição nos pés de Adão que o messias (o mundo desperto e iluminado) aparecerá . Por isto foi escrito "E naquele dia Seus pés estarão sobre o Monte das Oliveiras (Zacarias 14:4)". O monte das Oliveiras é malchut de Adam Ha'Rishon e que são seus pés.

Cristo (o messias) aqui não é uma referência a Yeshu'a (Jesus) mas, refere-se ao corpo adâmico regenerado à sua forma inicial iluminada e foi por isso que também Paulo, o Apóstolo disse: "Porque assim como a morte veio através de Adão, também a ressurreição dos mortos virá através de Adão (וּמֵאַחַר שֶׁהַמָּוֶת בָּא עַל־יְדֵי אָדָם, גַּם תְּחִיַּת הַמֵּתִים הִיא עַל־יְדֵי אָדָם)" - Iº Corintios 15:21.

Notem que sublinhei em vermelho o termo "Adam (אָדָם)" que se encontra no verso original traduzido para o hebraico.

Adão é o segredo do Bereshit (Gênesis) cujos versículos são o segredo da criação dos dois Adamim (Adãos), sendo o primeiro o Adão Celestial (Adam Qadmon) e o segundo, o Adão Primordial (Adam Ha'Rishon), como vemos a seguir:

"Bereshit bará Elohim et ha'shamayim ve'et ha'aretz (בְּרֵאשִׁית, בָּרָא אֱלֹהִים, אֵת הַשָּׁמַיִם, וְאֵת הָאָרֶץ.)".

Gênesis 1:1

A palavra "Bereshit (בְּרֵאשִׁית)" é a cabeça de Adam Qadmon. Já "bará (בָּרָא)" é o cérebro direito e "Elohim (אֱלֹהִים)" o cérebro esquerdo. A ligação "et (אֵת)" suas duas letras (alef e tav) são o braço direito e o braço esquerdo e, a palavra "ha'shamayim (הַשָּׁמַיִם)" é o plexo solar do homem celetial. A seguir as letras "ve'et (וְאֵת)" são a perna direita, a esquerda e os órgãos sexuais e, finalmente "ha'aretz (הָאָרֶץ)" são os pés de Adam Qadmon. E, então, acontece a fragmentação, a destruição do Templo Sagrado:

"Ve'ha'aretz haytá tohú u'bohu, ve'choshéch al faney techom... (וְהָאָרֶץ, הָיְתָה תֹהוּ וָבֹהוּ, וְחֹשֶׁךְ, עַל-פְּנֵי תְהוֹם;) ".

Gênesis 1:2

"E a terra ficou sem forma e vazia e havia trevas sobre a face do abismo...". O Zôhar revela que "tohú u'bohu" é o segredo da destruição do templo sagrado, o corpo celestial de Adão e que este é o segredo das almas caídas no mundo das Qlipot.

O Mundo Das Qlipot


"Primeiro, havia escuridão. Então vieram os estranhos. Eram uma raça tão antiga quanto o próprio tempo. Eles dominaram a tecnologia. A capacidade de alterar a realidade física por si só. Eles chamaram essa habilidade "Tuning (sintonização)". Mas eles estavam morrendo. Sua civilização estava em declínio, e então eles abandonaram seu mundo procurando uma cura para sua própria mortalidade. Sua jornada sem fim os levou a um mundo pequeno e azul no canto mais distante da galáxia. Nosso mundo. Aqui eles pensaram que finalmente encontraram o que estavam procurando".

Dr. Daniel Schreber - Dark City

Esta narrativa é um segredo sobre o mundo das Qlipot e suas escórias que está morrendo e das escórias reencarnando no mundo da simulação para enganar a humanidade. E não por acaso, o nome do narrador é Daniel e você compreenderá porque.

"Eu sei que isso vai parecer loucura, mas e se nós nunca tivéssemos nos conhecido antes ... e se, tudo o que você lembra, e tudo o que eu deveria lembrar, nunca tivesse acontecido realmente?"

John Murdoch - Dark City

Você acredita que as suas memórias, suas lembranças são suas realmente? Você consegue se lembrar do que fez treze dias atrás?

E o rabino Vital continua revelando a natureza da simulação (Simulacro): "E o aparecimento dessas centelhas de almas fragmentadas de Adão harishon no mundo (simulação) depende das ações realizadas nos Mundos Inferiores (Qlipot), enquanto elas ainda estão presas lá, pelo segredo do versículo "Deem força a Elohim (תְּנוּ עֹז, לֵאלֹהִים)" - Tehilim 68:35. Então, a qualidade dos atos (pensamentos) enquanto aprisionadas nos mundos inferiores, determina a capacidade de tirar aqueles centelhas de almas das qlipot". O que significa que as almas se projetam para dentro da simulação que é o mundo através dos seus pensamentos enquanto ainda estão presas lá (dentro dos casulos) para poderem trabalhar e se corrigirem e então serem libertadas de lá.


Matrix é uma Parabola, um segredo hermético sobre os exílios (Galut) das centelhas de almas de Adam Ha'Rishon (o Adão primordial) caídas e escravizadas no mundo das Qlipot (Conchas) de Adam Belial (o Adão Negativo). 

São quatro os exílios das centelhas de almas no mundo das Qlipot. São eles: Exílio da Babilônia (Keter, Chochmá e Biná das Qlipot). Exílio da Pérsia (Chessed, Guevurá e Tiferet das Qlipot). Exílio da Grécia (Netzach, Hód e Yesod das Qlipot). Exílio de Roma (Malchut das Qlipot) que são os pés da Árvore de Adão Belial. Com exceção do último exílio, o de Edom (Roma). Três destes exílios estão codificados em Matrix.

Ora, por que raios os Wachowski utilizaram nomes bíblicos babilônicos, persas e gregos em sua obra cinematográfica? Claramente eles foram inspirados divinamente.

No primeiro filme, uma das personagens principais é o Overcraft chamado Nabucodonosor. Ora, Nabucodonosor foi o rei da Babilônia e o responsável por exilar as almas de Zion (Sião) que é Malchut de Adão Ha'Rishon na Babilônia que foi o primeiro exílio. No segundo filme, uma das principais personagens é o Conselheiro Haman. Ora, Haman foi Conselheiro do Rei Achashverosh (Xerxes) no Reino da Persia nos dias durante os quais Esther foi a rainha. No terceiro filme, uma das personagens principais e Perséfone (já presente no segundo filme) que é uma deusa na mitologia grega. 

O Termo Matrix transliterado para o hebraico (מטריקס) está codificado no Tana'k (Bíblia Hebraica) 74 vezes sendo que, o código com menor intervalo de saltos de letras equidistantes está no Livro de Daniel que é o que esconde o segredo das almas aprisionadas no mundo das Qlipot. Este mistério neste livro é chamado pelos códigos "Shiveim Shaná (שִׁבְעִים שָׁנָה)" que traduzido significa "Setenta anos" e depois, quando o Arcanjo Gavriel vem para dar compreensão para Daniel sobre este mistério, ele o chama de "Shavuim shiveim (שָׁבֻעִים שִׁבְעִים )" que traduzido é "Setenta semanas". Estes dois códigos não se tratam de "uma época temporal decorrida" ou de um tempo físico, mas é como são chamadas as Sefirot (emanações) da Etz Ha'Chaiim (Árvore das Vidas) e da Etz Ha'Qlipot (Árvore das Conchas). A palavra hebraica "Shaná (שָׁנָה)" traduzida comumente para "ano", possui a mesma gematria (numerologia cabalística) da palavra "Sefirá (ספירה)" e que é 355. A Árvore das Vidas e a Árvore das Qlipot contém 10 Sefirot, sendo que, o pátio inferior contém sete (7). Cada uma das sete Sefirot do pátio inferior da Árvore das Vidas contém 10 outras em si mesmas, e cada uma destas dez contém também sete no pátio inferior e que, quando multiplicadas são chamadas de 70 anos e de Setenta semanas e que não são um tempo físico decorrido. 

7×10=70 [70×7=490]=490 
Sefirá/ano 

Este é o segredo nomeado pelos cristãos de "As setenta semanas de Daniel" sobre o qual eles não tiveram compreensão por terem rejeitado a Sabedoria Escondida da Torá. 

Alguns livros textos antigos dizem que Daniel nunca existiu no mundo físico e alguns outros dizem que sim. Eu sou adepto de ele nunca existiu, porque Daniel é como o Sagrado nomeou as centelhas de almas caídas dentro das Qlipot, porque Daniel significa "Aquele que é julgado por Deus" ou "Deus assim julgou", ou ainda, "Deus é meu juiz" e a razão de Daniel (as centelhas de almas) mencionarem os três pecados cometidos por Adão, que foram Peshá (rebelião), Chet (pecado involuntario) e Avon (pecados cometidos pelo Desejo) que levaram a fragmentação do seu corpo luminoso e à queda destes fragmentos de almas para dentro de Adão Belial. Estes três pecados são mencionados pelo Arcanjo Gavriel ao coletivo Daniel: "Setenta semanas estão decretadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para fazer cessar a transgressão (peshá), para dar fim aos pecados (chatat), e para expiar a iniqüidade (avon), e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o santíssimo". -Daniel, 9:24.

"Certamente, há quatro exilios, três correspondentes às três cascas de uma noz. O primeiro é chamado "sem forma (Heb. Tohu)", que é uma linha verde, ou seja, a casca verde da noz. O segundo é chamado "vazio (Heb. Bohu)", que são pedras viscosas, que são fortes pedras, das quais os sábios da Mishná legislaram alguns decretos. A terceira Qlipá é a casca grossa da noz, que é o terceiro exílio que foi curto. Isso é a escuridão. O quarto exílio é um grande abismo, que é o espaço dentro da noz. Isto é "e havia trevas sobre a face do abismo" - Gênesis 1:2.


Este é um mistério complexo e requer estudo e não achismo ou comparações esdruxulas sustentada por dogmas religiosos.

Este segredo é tão verdadeiro que, no episódio "O Recorde Mundial" de "Animatrix" a personagem Dan Davis após o seu despertar, aparece segurando duas nozes na mão esquerda, nozes estas que são uma alusão ao segredo que o Zôhar revelou acima e as Qlipot de Adamn Belial.




A grande ilusão que domina o mundo religioso judaico-cristão é a perpetuante crença de que, o exílio, se refere a pessoas judias espalhadas pelos quatro cantos do mundo, quando, na verdade, o exílio se refere verdadeiramente às centelhas de almas caídas nas qlipot.

A queda de malchut de Adam Ha'Rishon dentro das qlipot é chamada de "dez tribos perdidas" porque, malchut é a décima sefirá da Árvore das Vidas.

"A virgem de Israel caiu, e não mais tornará a levantar-se; desamparada está na sua terra, não há quem a levante". 

Amós 5:2
A virgem de Israel se refere à Shechiná (Presença Divina) e "caiu" se refere à sua queda dentro das qlipot de Adam Belial. O Zôhar diz ainda que, o Messias filho de José que é Yesod da Árvore e o Messias filho de David que é Malchut caíram juntos no poço.

Não é acaso que em Matrix o último refúgio humano é chamado "Sião (Zion)" que é o nome que se dá para a sefirá malchut. Este último refúgio humano é o segredo do último exílio dentro das qlipot que é o exílio de Edom. Este último exílio começou a terminar em 1999 quando o ano hebreu 5760 se iniciou. Este é o segredo de Matrix e a razão do termo transliterado (מטריקס) estar codificado no livro de Daniel. 

"Alguma vez você já teve um sonho, Neo, que você tinha tanta certeza de ser real? E se você não conseguisse acordar desse sonho? Como você saberia a diferença entre o mundo dos sonhos e o mundo real?" - Morpheus

As centelhas de almas sustentam a existência das qlipot enquanto presas lá. Em Sha'ar Ha'Gilgulim, lemos: "Portanto, tudo o que as Qlipot fazem é no sentido de tentar obrigar as almas a continuar dentro delas. Elas ficam lutando para que as centelhas de almas não saiam de lá, para que assim possam viver e ter sustento. E quanto maior for o valor da alma presa lá, maior a extenção de abundância que vem para elas (as Qlipot). Por isso, quando elas, por ventura, se apoderam de uma centelha preciosa, não deixam que ela saia de dentro delas por nada, e tudo que elas tentam fazer é, por qualquer meio possível à sua disposição, segurá-la e não deixá-la sair para sempre."

Sha'ar Ha'Gilgulim Ha'Qadmá 15

Nós somos baterias, somos o sustento para que as "máquinas (Qlipot) continuem existindo. E não é isto que vemos em Matrix?

"O corpo humano gera mais energia biológica do que uma bateria de 120 volts e mais de 25.000 BTU de calor corporal. Combinados com uma forma de fusão, as máquinas encontraram toda a energia que eles precisariam. Existem campos - campos sem fim - onde os seres humanos já não nascem, somos cultivados. Durante muito tempo eu não acreditei, e então eu vi os campos com os meus próprios olhos. Assisti elas liquefazerem os mortos para que pudessem ser alimentados por via intravenosa aos vivos."

Morpheus em Matrix

As almas caídas dentro das Qlipot são chamadas de mortos porque as Qlipot são chamadas de morte. elas serão eliminadas e engolidas instantaneamente por causa da saída das centelhas de almas de dentro delas (Sha'ar Ha'Gilgulim).

Matrix é um filme tão poderoso e tão divinamente inspirado que contém até profecias. Na cena na qual Smith interroga Neo, podemos ver a folha de rosto de passaporte de Thomas Anderson e o que está ali codificado é de arrepiar os folículos da alma.


Clique para ampliar

A data de nascimento de Neo é 13 de setembro de 1971 e a data na qual o passaporte foi tirado é 11 de setembro de 2001. Ora, 13 de setembro de 1971 foi, no calendário hebraico, o dia 23 de elul de 5.731 e a data de 11 de setembro de 2001 caiu exatamente no mesmo dia e mês hebraico, dia 23 de elul de 5.761. E o que aconteceu em 23 de elul de 5761? A destruição das Torres Gêmeas. Uma previsão assustadora, pois dois anos depois que Matrix foi lançado as Torres do World Trade Center foram destruídas.






O DESPERTAR


Em Matrix, Neo desperta dentro da Qlipá, mas como em Sha'ar Ha'Gilgulim, o trabalho começa com a alma se "projetando (reencarnado)" dentro da Ilusão do Mundo Físico. Perguntamos: É possível desperta dentro do útero de Belial? A alma pode acordar e perceber a torturante escravidão a que está aprisionada? Sim! E há um relato de uma alma grandiosa que despertou dentro das Qlipot: A alma do Rei David.

"A alma (néfesh) do Rei David veio de um local extremamente elevado no corpo de Adam Ha'Rishon e, por causa disso, ela caiu em níveis  muito mais profundos da impureza das Qlipot.".

Sha'ar Ha'Giulgulim Ha'Qadmá 7

A alma do Rei David, exclamou: "Ondas da morte me cercaram, as torrentes de Belial me aterrorizaram"

כִּי אֲפָפֻנִי, מִשְׁבְּרֵי-מָוֶת; {ס} נַחֲלֵי בְלִיַּעַל, יְבַעֲתֻנִי.

2 Samuel 22 verso 5

Por que a alma do Rei Sagrado disse tal enigma? Notem que "Belial" está sublinhado em vermelho para evidenciar que isto foi dito. Mas qual a razão?

"Eis que fui nascido em iniqüidade, E em pecado me concebeu minha mãe". - ( כִּי-פְשָׁעַי, אֲנִי אֵדָע;    וְחַטָּאתִי נֶגְדִּי תָמִיד) - 

Tehilim (salmos) 51 verso 5

Como as grandes almas se libertam das Qlipot (os órgãos do Adão Belial)? Uma vez que elas não a deixariam sair por nenhuma força?  Pois se mantém existindo pela luz que recebem das almas que seguram dentro delas?

Deus usa para com elas (as Qlipot) de truque e engano. Foi assim com a alma do Rei David e esta é a razão secreta dele haver dito o verso que mencionamos acima.

Quando houve a fragmentação de Adam ha'Rishon  (O Adão Primordial) as almas caíram para dentro da Sitra Achará  (a Outra dimensão da impureza) de Adam Belial - o Adão feito de Conchas.

Algumas das almas mais elevadas que formavam o corpo de Adam ha'Rishon caíram no fundo das Qlipot, nos pés de Adão Belial. A alma do Rei David foi uma delas, e tão fundo ela caiu que sequer tinha existência no mundo para ela, e por esta razão Adam ha'Rishon pediu a Deus para doar uma parte da sua existência para que a alma de David pudesse vir ao mundo. Deus concordou e Adão doou setenta (70) anos da sua vida para que o Rei David existisse no mundo, e por isso Adão viveu novecentos e trinta (930) anos ao invés de mil (1000) e o Rei David viveu exatos setenta anos.

Agora não havia como as Qlipot libertarem a alma do Rei David do seu domínio e para que isto acontecesse, Deus as enganou fazendo com que David fosse concebido em pecado.

A coisa foi assim: Quando Ishay  (Jessé) veio à sua esposa para que ela concebesse, no final do intercurso sexual ele percebeu uma gota de sangue menstrual e assim, quando as Cascas do mal viram que ela tinha concebido em nidáh (menstruada) se convenceram que David seria perverso neste mundo e libertaram sua alma e assim ela subiu ao mundo.

David veio a ser o compositor dos Salmos, uma poderosa ferramenta espiritual para nos ajudar com o Tikun Olam  (concerto da fragmentação).

O Rei David tinha recordações dos milênios nos quais sua alma permaneceu acorrentada dentro dos órgãos de Adam Belial e sobre isto ele escreveu:

"Ondas da morte me cercaram, as torrentes de Belial me aterrorizaram"- 2 Samuel 22 verso 5.

Assim também aconteceu com Yehu'a (Jesus) cuja mãe, Miriam, fora violada por um soldado romano. As Qlipot acreditando que por ele ter sido concebido por um pai perverso, libertaram sua alma para vir ao mundo e ele foi, como sabemos, um grande tzadiq  (Justo) que veio da linhagem do rei David e é  por esta razão que sobre ele foi escrito:

"Ao qual Deus ressuscitou, rompendo os grilhões da morte... (וֵאלֹהִים הֱקִימוֹ מִן־הַמֵּתִים בְּהַתִּירוֹ אֶת־חֶבְלֵי הַמָּוֶת לְפִי שֶׁלּא הָיָה בְיָדוֹ לְהַחֲזִיק בּוֹ)- Atos 2 verso 24.

O verso no hebraico não diz "ressuscitou" mas "levantou/ergueu - fez ascencionar". Os tradutores católicos colocaram ressuscitou para confundir e enganar o povo. O termo usado foi "heqimô (הֱקִימוֹ)" da raiz Qam que é levantar, erguer ou ascencionar.

A morte é uma alusão as Qlipot que são chamadas morte. Assim, uma alma pode acordar dentro das Qlipot como aconteceu com o Rei David e isto foi aludido em Matrix.​

Clique para ampliar

No cripto-evidência acima, descoberta dentro do Livro de IIº Samuel, no centro em vermelho nos descobrirmos o termo plural "Qlipot (קְלִפּוֹת)" e cruzando-o estão as palavras proclamadas pela alma do Rei David "Ondas da morte me cercaram, as torrentes de Belial me aterrorizaram"- 2 Samuel 22 verso 5.

O GRANDE SEGREDO

O maior segredo de Matrix e que também a sua última e definitiva evidência de que, Matrix é realmente o mundo das Qlipot e a persistente ilusão do mundo físico que é a queda de Daat e o sonho permanente de Adam Ha'Rishon, a projeção de todos os pensamentos coletivos das almas escravizadas dentro do mundo das "máquinas (qlipot)" está na sua gematria (valor numerológico hebraico qabalista).

A expressão "O Mistério de Matrix" é em hebraico "Raz Matrix (רז מטריקס)" possui gematria igual a 626 e esta, por sua vez, é exatamente a mesma de "Qlipot (קְלִפּוֹת)".

"A Matrix está em toda parte. Está tudo à nossa volta. Mesmo agora, neste mesmo quarto. Você pode vê-la quando você olha pela janela ou quando liga sua televisão. Você pode sentí-la quando você vai ao trabalho ... quando você vai à igreja ... quando paga seus impostos. É o mundo que foi colocado diante dos seus olhos para que você não veja a verdade".

Que verdade?

"Que você é um escravo, Neo. Como todos os outros, você nasceu em servidão. Em uma prisão que você não pode saborear ou ver ou tocar. Uma prisão para sua mente (alma)".

Morpheus


Continuará...


Este assunto está sendo elucidativo para você? O ajudou a alcançar um maior grau de consciência? Então, retribua! Faça uma doação de apenas R$10,00 e ajude a com a doação da Sabedoria Espiritual. Clique no link abaixo e doe! Gratidão


Autor
Bën Mähren Qadësh
Deepak Sankara Veda​

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

QUEM SUBIU AOS CÉUS?


Ontem à noite, 21 de agosto de 2018, um pouco antes de me deitar para dormir, eu estava estudando o Sha'ar Ha'Gilgulim (Portão Das Reencarnações) quando fui atingido por uma tremenda e profunda revelação.

Sêfer Ha'Zôhar: "Rabi Shimeon Bar Yochai, disse: "Eu descobri um segredo no LIVRO DE ADÃO, o primeiro homem, que dizia: Entre os descendentes que devem surgir no mundo haverá um certo Ruach (Espírito) que descerá para o mundo sobre a terra, e que deve se revestir dentro de um corpo - seu nome é Eliahu. E com este corpo ele deixará o mundo. E ele deverá se despir de seu corpo e permanecer no em um redemoinho (se'ará), e um outro corpo de luz ele deve adquirir para residir entre os anjos (seres de outros mundos e universos). Quando ele descer a este mundo, ele deve se revestir com aquele corpo que permaneceu ali, ou seja, no redemoinho, e deverá ser visto com ele".

Mishley (Provérbios): "Quem subiu ao céu e desceu? Quem encerrou os ventos nos seus punhos? Quem amarrou as águas na sua roupa? Quem estabeleceu todas as extremidades da terra? Qual é o seu nome, e qual é o nome de seu filho, se é que o sabes?"

Sha'ar ha'Gilgulim: "Quem subiu aos céus? Este foi o profeta Elias. E quem desceu? Esse  foi o profeta Jonas."

Enquanto eu estudava este trecho e sempre meditando, minha consciência foi transladada ao capítulo do profeta Jonas no original hebraico e lá a expressão "Ruach gedolá (רוּחַ-גְּדוֹלָה) - um grande vento" e, imediatamente a Compreensão Divina que atingiu e me disse "Não leias "grande tempestade" mas "grande espírito (ruach)" e completou "este é Elias que desceu no redemoinho e por isso está escrito "Va'yehí sa'ar gadol (וַיְהִי סַעַר-גָּדוֹל) - e se fez um grande redemoinho" e o Espirito Santo me disse "Eliahu, a T'shbi (אֵלִיָּהוּ הַתִּשְׁבִּי) - Elias, o Tisbita estava no redemoinho e desceu e se unificou a Jonas e por isso está escrito "e clamavam cada homem ao seu deus (וַיִּזְעֲקוּ אִישׁ אֶל-אֱלֹהָיו)" mas não leias "el elohaiv (אֶל-אֱלֹהָיו) - ao seu deus" e sim "el Eliahu (אֶל-אֵלִיָּהוּ) - para Elias" porque as letras de "el elohaiv (אֶל-אֱלֹהָיו)" são as mesmas de "el Eliahu (אֶל-אֵלִיָּהוּ)" como no versículo "Va'yehi, davar Adonai, el Eliahu, ha'T'shibi (וַיְהִי, דְּבַר-יְהוָה, אֶל-אֵלִיָּהוּ הַתִּשְׁבִּי) -  E veio a palavra de Adonai a Elias, o tisbita..." e onde está escrito "le'hashiv el ha'yabashá, ve'ló yacholô  (לְהָשִׁיב אֶל-הַיַּבָּשָׁה--וְלֹא יָכֹלוּ) - para retornar à terra, mas não podiam...." as letras iniciais em cada palavra (לְאֶהַוְיָ) são as letras de "Eliahu (אֵלִיָּהוּ)" fora da ordem a partir de "le'hashiv (לְהָשִׁיב)" que pode ser lido "que retornou" e assim "Eliahu ha'Tshibi (o que retornou)" desceu no redemoinho e se unificou com Jonas e por isso lemos no capítulo segundo "Va'it'palel Yonáh el Adonai, elohaiv (וַיִּתְפַּלֵּל יוֹנָה, אֶל-יְהוָה אֱלֹהָיו) - e orou Jonas a Adonai, seu Deus..." no entando, não deve ser lido desta maneira, mas sim "Va'it'palel Yonháh el Adonai, Eliahu (וַיִּתְפַּלֵּל יוֹנָה, אֶל-יְהוָה אֵלִיָּהוּ) - E orou Jonas ao Adonai de Elias...".

Saibas, então, que Elias, o Tisbita, desceu no redemoinho e se unificou com Jonas e este desceu às profundezas do mar.

Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Edüt Ha'Shamayim: O Testemulho Dos Céus


Jobar
A Sinagoga Do Profeta Elias

Em Sha'ar Ha'Gilgulim (Portão Das Reencarnações) em diversas Introduções, o Rabino Chaim Vital nos oferece diversos vestígios de que o Profeta Elias descansava no seio do seu mestre, o Rabino Isaac Lúria (Arizal) e, conforme me foi revelado e eu também compartilhei imediatamente após o segredo me ser aberto, parte da alma do Arizal era parte da alma do Ofanim Raziel, o anjo dos mistérios, o professor de Adam ha'Rishon no Jardim do Éden de Qédem. Eis aqui o me que foi revelado pelos céus nesta manhã: A razão secreta da ida do Rabino Chaim Vital para Damasco, na Síria, onde ele faleceu em 1620. 

Após o ocultamento da alma do Arizal em 1572 (5 be'av 5332), sua centelha se uniu à alma do Rabino Chaim Vital por Yibur (tipo específico de reencarnação que acontece com a pessoa ainda viva) e se atou a ele para sempre, e, esta foi a razão secreta de Chaim Vital proclamar, em Sha'erei Qedushá (Portais da Santidade): "Eu e o Ari somos um...". 

Quase no final de seu destino, Chaim Vital foi para Damasco, na Síria, para a Sinagoga de Jobar, o local de onde o Profeta Elias foi elevado aos céus, conforme lemos em Melachim Beit, capítulo 2, versículo 11: "Vay'yehi, hemá holchim haloch ve'dabër, ve'hinêh rakav-êsh ve'sussei êsh vay'pridú bein shenêichem, va'ya'al Eliahu ba'searáh ha'shamayim (וַיְהִי, הֵמָּה הֹלְכִים הָלוֹךְ וְדַבֵּר, וְהִנֵּה רֶכֶב-אֵשׁ וְסוּסֵי אֵשׁ, וַיַּפְרִדוּ בֵּין שְׁנֵיהֶם; וַיַּעַל, אֵלִיָּהוּ, בַּסְעָרָה, הַשָּׁמָיִם.) ." A tradução aproximada deste passuq é "E sucedeu que, indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.". 

Junto com a alma do Arizal anexada à centelha de Chaim Vital, estavam as faíscas do Eliahu (Sandalfon) e Raziel ha'Malach, o Ofanim, e por estava razão Chaim Vital foi para o local de onde Eliahu havia subido aos céus, na antiga sinagoga de Jobar, hoje destruída. O segredo, conforme me foi revelado nesta manhã, enquanto eu trabalhava no novo livro "Arizal - O Viajante do Tempo" está escondido por gematria na palavra "searáh (סְעָרָה)" traduzida no versículo para "redemoinho" e que eu compreendo melhor como "vórtice". 

A gematria miluí de "searáh (סְעָרָה)" é 336 que é a mesma de "Rabino Chaim Vital (רבי חיים ויטאל)" e este é o mistério sagrado da razão do porque Chaim Vital, plenamente desperto, consciente desse segredo, foi para Jobar, para devolver aos céus, as centelhas sagradas de Sandalfon e Raziel. Ele abriu o vórtice sagrado usando os Nomes Divinos, conforme está escrito "va'ya'al Eliahu ba'searáh ha'shamayim ( וַיַּעַל, אֵלִיָּהוּ, בַּסְעָרָה, הַשָּׁמָיִם) - e subiu Elias no vórtice aos céus.". A cada sete letras a partir da letra "ayin (עַ)" de "va'ya'al (וַיַּעַל)" descobrimos "ayin beit (עַ" בַּ)" e depois "ha'shamayim (הַשָּׁמָיִם)" ou seja "Ayin beit (72) dos "Nomes Sagrados" pois, "ha'shamayim (הַשָּׁמָיִם)" pode ser compreendido como "Shemim (Nomes Divinos)" porque o singular do Nome é "ha'Shem (הַשָּׁם)". 

Este foi o maravilhoso segredo divino que me foi revelado nesta manhã e dantes não havia sido aberto. Abençoado seja o Sagrado que revela os segredos através de Sua tara'á.


Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi
Dipankara Vedas

sábado, 18 de agosto de 2018

112:- Um Sonho Revelador


A maioria que me conhece e já me conhece há um bom tempo, sabe que eu possuo um vício de linguagem, talvez um Plebeísmo causado não por falta de instrução, mas, por algo que, até esta madrugada eu mesmo desconhecia a causa.

Em 2014, ano do meu Despertar, o número 112 levitou luminosamente sobre as minhas centelhas revelando-me um segredo codificado em Sha'ar ha'Guilgulim há mais de 400 anos.

Em Sha'ar ha'Guilgulim (Portão Das Reencarnações) Ha'Qadmáh (Introdução) 18, o Rabino Chaim Vital revela sobre os três Nomes Divinos que brilham e reinam sobre os três níveis de alma, nefesh, ruach e neshamá que são Adonai (אדנ"י), o Tetragrammaton (יהו"ה) e o Nome Eheyêh (אהי"ה) e quando estes três Nomes se conectam dentro da pessoa, isso é,  quando ela recebeu e unificou a estes três níveis de alma, o número 112 brilha sobre ela nitidamente e misticamente, porque a soma da gematria destes três Nomes Sagrados resulta em 112.

Há muito tempo venho tendo preocupação com meu vicio de linguagem, e quando digo muito tempo, digo "mais de vinte anos". Quantas vezes nestes mais de vinte anos tentei corrigir este vício, me livrar dele e cheguei mesmo a escrever em uma folha de papel e colocá-la diante de mim no momento de gravar vídeos, sem, no entanto, sucesso algum. Quando ia conferir o material gravado ou alguma entrevista em algum programa, lá estava o bendito vício de linguagem, populando a entrevista com um vírus altamente poderoso infectando todo o corpo.

Me recordo a primeira vez que alguém me chamou atenção sobre este pequeno, Humm, cacófato, talvez. Foi no ano de 1987, julho. Eu estava em uma praça na cidade de Itajubá em Minas Gerais quando uma pessoa me chamou atenção sobre o meu repetitivo "néh" absurdamente desnecessário. Bem, desnecessário mas, absolutamente necessário, paradoxal, devo concordar.

O SONHO

Esta madrugada, 17 de agosto de 2018, eu tive um sonho-instrução vindo da minha alma, aquela antiga centelha que me habita. Nele, eu escrevia o "Néh" - o meu cacófato-plebeísmo escrito no meu ser metafísico como um cromossomo andarilho nas hélices do meu ADN - em hebraico (נאה) e calculava a gematria. O resultado era 56. No mesmo sonho eu, dizia para mim "essa é a gematria de Vital" e então, no sonho, eu escrevia Vital em hebraico (ויטאל) e calculava a gematria confirmando que o resultado de "Néh (נאה)" era o mesmo de Vital (ויטאל). Ao mesmo tempo, me foi dito que o meu "Néh" era uma marca/evidência da reencarnação do Rabino Chaim Vital. Então... acordei.

Somente agora, digo, minutos atrás, às 14h57m, eu me lembrei do sonho e fui confirmar, calculando o que vi durante ele e, para minha surpresa, o resultado foi mesmo 56.

Então, "Néh + Vital=112". Evidentemente, eu já conhecia o mistério do 112 quando me foi revelado, em 2014, que eu havia merecido a recebido uma Neshamá de Briáh (centelha de alma do mundo da criação). O que eu não sabia era que o Néh estava no pacote espiritual.

Todos os dias eu digo que não sou merecedor de todas as bênçãos que recebo, e então, recebo uma nova revelação da Sabedoria como um presente enviado dos Céus com um recado: Aceite! Você não pode fugir do seu destino! Bendito seja ó Atiq Iomim que revela os segredos e instrui os mistérios.

Claro que não era apenas isso, pois o "Néh" possuía outro poderoso segredo. Suas letras (נאה) são as sofei teivos (letras finais) de "Nathan Neshamáh Ha'Briá (נאה)" cuja tradução é "Concedeu uma Neshamá de Briá" ou, para melhor compreensão "Conceceu uma Alma do mundo da Criação" ou seja, do Jardim do Éden. E ainda há mais, mas ficará para futuras publicações.

Razá Ila'ah!
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

terça-feira, 14 de agosto de 2018

O Stargate Do Sinai


O STARGATE
Artigo Em Construção

Então, no sexto dia de Sivan, o Sagrado desceu sobre o Har Sinai (Monte Sinai), foi a sexta descida dele a este mundo. Como ele desceu? E o que aconteceu lá? O sexto de Sivan é Shavu'Ot, a descida da Shechiná (Sagrado Feminino do Divino) a este universo e a outorga da Torá à humanidade. A gematri'ot de "6 de Sivan (ו סיון)" nos revelam o que realmente aconteceu naquela manhã esplendorosa. Primeiro, vamos ao cenário ufológico ao raiar do sol no sexto de sivan de 2448 (14 de maio de 1313 a.C): 

"Rechéve Elohim, ribotain alfei shinan; Adonai bam Sinai ba'qodesh (רֶכֶב אֱלֹהִים, רִבֹּתַיִם אַלְפֵי שִׁנְאָן; אֲדֹנָי בָם, סִינַי בַּקֹּדֶשׁ.) - A As carruagens de Elohim s]ao duas vezes dez mil vezes milhares de anjos e entre elas veio Adonai ao Sinai em Sua santidade."

- Tehilim 68:18.

Naquela manhã, como já foi explicado inúmeras vezes, milhares de Carruagens Divinas e que hoje chamamos UFOs ou OVNIs, pilotadas por incontáveis seres luminosos de outros universos, atravessaram o Stargate (Portão Estelar) aberto pelo Sagrado sobre o monte Sinai. A montanha foi arrancada do chão levitando sobre as cabelas dos israelitas, conforme nos dizem os relatos escritos nos livros antigos hebraicos, e virada de ponta cabeça com o pico para baixo e o Divino descansou os Seus pés sobre a base da montanha. 

"Vai'irú et Elohei israel ve'tachat raglaiv ke'maasê livnat ha'saphir u'che'etzêm ha'shamayim la'tahor (וַיִּרְאוּ, אֵת אֱלֹהֵי יִשְׂרָאֵל; וְתַחַת רַגְלָיו, כְּמַעֲשֵׂה לִבְנַת הַסַּפִּיר, וּכְעֶצֶם הַשָּׁמַיִם, לָטֹהַר.) - E viram o D'us de Israel, e debaixo de Seus pés estava um pavimento de safira e como a aparência dos céus em sua pureza."

- Êxodo 24:10.

De alguma forma a qual ainda não podemos compreender em sua totalidade e mistério, outro universo desceu com Ele a este mundo e, de acordo com seu nome, Etzêm ha'Shamayim (עֶצֶם הַשָּׁמַיִם)" este foi o sexto universo que foi criado e é mantido pelas seis letras do sexto verso do Sagrado Nome de 42 Letras. Isso está como já foi escrito nesta obra. 

"No Zôhar, porção Yitrô (Jetro), lemos: “Rabi Yitschac disse: Está escrito: "Ele abaixou os céus, e desceu (II Samuel 22:10)”, E na Torá está escrito: "E Hashem descerá à vista de todo o povo sobre o monte Sinai (Êxodo 19:11)." 

Ele desceu seis céus acima no sexto dia à vista de seiscentas mil almas, trazendo com Ele o sexto universo. A gematria hechrachi de "6 de Sivan (ו סיון)" é 132 que é a mesma da expressão "Hú bá be'galgalim (הו בא בגלגלים)" que se traduz "Ele veio através das Rodas.". 

No sexto dia, ao amanhecer, uma Porta Estelarum foi aberta, um Portal de Luz, foi aberto acima do Monte Sinai, uma roda dentro de outra roda nas quais as letras do Alfabeto Sagrado estavam escritas com Luz. A gematria mispar gadol de "6 de Sivan (ו סיון)" é 782 que é a mesma de "Sha'ar Ha'Ór (שער האור) - Portão De Luz" e é também a mesma gematria milui de "Har Sinai (הר סיני) - monte Sinai". 

O anjo Metatron estava lá com suas setenta e duas asas repletas de mistérios divinos. A gematria AchBi de "6 de Sivan (ו סיון)" é 314 que é a gematria hechrachi de Metatron (מטטרו'ן)" o Escriba Divino conhecedor de todos os mistérios.

Continuará...


Iº Edição
Compre aqui o livro 'EU QUERO ACREDITAR'

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

A POLÍTICA PROVÉM DAS QLIPOT


A política (פוליטיקה) provém das Qlipot (קְלִיפּוֹת‬). Já há muito que os verdadeiros mequbalim (cabalístas) revelaram isso e vêm advertindo às pessoas com mensagens para que não se envolvam com política e com políticos, mas, aqueles nos quais a sabedoria não está em primeiro plano, convencem a si mesmas de que há algo bom na política e nos políticos cujas almas provém das escorias (centelhas de almas obscuras das qlipot) - as cascas do mal. 

Em dois mil anos, tudo o que os políticos e a política fizeram foi promover mentira, engano, guerras, matanças, genocídios, o holocausto e as detonações atômicas em Hiroshima e Nagasaki que ceifaram as vidas de mais de 300.000 pessoas. 

Venha, leia e aprenda que, quando os sábios da Torá revelaram que política provém das Qlipot (cascas do mal que são os órgãos do Adão Belial), eles sabiam o que exatamente estavam revelando.

"RARAMENTE UM POLÍTICO CONSEGUE RESISTIR ÀS FORÇAS DAS QLIPOT NAS QUAIS SUA ALMA POSSUI RAIZ."

Há muito venho afirmando e compartilhando o mesmo. Esta manhã o termo "Política" veio à minha memória e imediatamente minha consciência, treinada durante muitas vidas com Tzerufim (permutações cabalísticas) me mostrou que o termo "Política (פוליטיקה)" e "Qlipot (קְלִיפּוֹת‬)" são apenas um. Permute as letras! Quando Política (פוליטיקה) é permutada ela se transforma em "ha'Qlipot (הקְלִיפּוֹט‬)" e então a letra "Tét (ט)" de "Política" que aparece no final de "Ha'Qlipot (הקְלִיפּוֹט‬) se transforma na letra "Tav final (ת)" de "Qlipot" através da Cifra Cabalística chamada "Ofanim (אוֹפַנִּים)" corrigindo-a para o seu sentido correto. A letra "Hê final (ה)" é movida para à frente de "Qlpot" transformando-a em "Ha'Qlipot (הקְלִיפּוֹת‬)". A letra "Yud (י)" se transforma na letra "Mem (מ)" através do método cabalístico "Atba'sh" e que movida para à frente de "Ha'Qlipot (הקְלִיפּוֹת‬)" transforma-a em "me-ha'qlipot (מ-הקליפות)" que significa "Das Qlipot" como tendo "origem nas cascas do mal".

"A MENTIRA E O ENGANO SÃO FERRAMENTAIS LEGAIS DA POLÍTICA POIS ELA, E OS POLÍTICOS POSSUEM RAÍZES EM COMUM NAS CASCAS DO MAL."

As pessoas se convencem de que há algo bom e aprazível na fala e no discurso dos políticos, mas, assim que eles assumem os cargos para os quais foram eleitos e como suas almas tem raízes nas Qlipot do mal, logo eles são engolfados por elas e começam a praticar o mal, roubos, matanças, homicídios, enganos, etc. Uma vez que nos tornamos conscientes desta verdade, não é possível continuar colaborando para fortalecer as Qlipot e expandir a consciência do engano e do mal.

"UMA EVIDÊNCIA DE QUE POLÍTICA E POLÍTICOS PROVÉM DAS QLIPOT É QUE, ELES NUNCA FALAM A VERDADE, MAS MENTIRAS MESCLADAS COM MEIAS VERDADES QUE É O ENGANO DAS QLIPOT."

O caminho dos cabalistas é o caminho da luz e não das trevas. Você deseja ser responsável pelo mal que se abaterá sobre outros pela promoção que você fez dos políticos e da política? Ajudando a convencê-los a fortalecer a força das escorias no mundo? Saiba que o mal sobre o qual você convenceu a si mesmo de ser o bem e ajudou a converter outros ao engano recairá sobre a tua própria cabeça quando o Sagrado cobrar o roubo que foi feito da Luz para fortalecer o mal e derramar o sangue dos pobres! Você realmente está preparando para que sua prosperidade e saúde te sejam retiradas como consequência do mal que você ajudou a recair sobre outros?

"QUANDO UM POLÍTICO POSSUI UMA ALMA QUE NÃO PROVÉM DAS QLIPOT ELE LOGO É ASSASSINADO OU DESTRUÍDO COM CALÚNIAS E DIFAMAÇÕES."

Ou você pratica Torá verdadeiramente ou está fortalecendo o Satan e seus órgãos para que continue a fazer o mal no mundo! Não há meio termo!

Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

segunda-feira, 6 de agosto de 2018

GEMATRIA:- A INDELÉVEL ASSINATURA DE DEUS


Foi há dezessete anos, mas eu me recordo como se fosse hoje e os detalhes continuam vívidos em minhas memórias. 

Eu nunca quis ser líder de qualquer coisa e nem mesmo possuir algum grupo ou comunidade, mas descobri que e impossível resistir à realização do que a alma se vestiu no mundo para realizar. A única coisa que desejei, por algum tempo, foi ser capelão da Força Aérea, mas, mesmo isso, não estava no meu destino.

מַזָל

Foi em 1999, na noite de 22 de outubro, quando o telefone tocou. Recém chegado de uma estadia em Minas Gerais, de uma cidadezinha chamada Dom Cavati que estava no meu destino. Minhas viagens por Minas foram através da BR 381 e que em hebraico possui as letras e a numerologia de "Rav Misha'Ël (רב מישאל)" e resultam no valor 583. Naquela noite, 22 de outubro, eu não havia ido para São Paulo para a Recepção da Shabat na Sinagoga que frequentava naquela noite de sexta-feira. Atendi à chamada e do outro lado da linha uma senhora, que se identificou pelo nome Edilma, começou a me oferecer um seguro de vida que estava vendendo. Ouvi... Depois de algumas palavras ela me perguntou se eu tinha alguma religião e eu respondi que era Judeu (sim, eu ainda encarava judeu como religião é não como um segredo espiritual da Toráh). Ela se mostrou interessada, pois estava desejosa em aprender Toráh já há algum tempo e não achava alguém que a ensinasse. Me convidou para que fosse à casa dela no dia seguinte, sábado, na rua São Miguel, 337. 

Na tarde seguinte, sábado, 23 de outubro, eu cumpri a visita para qual havia aceitado o convite. Tomamos chá e comemos bolo enquanto eu expunha a sabedoria da Toráh. Ali começava a se manifestar a essência da alma que em mim havia reencarnado no nascimento e sobre a qual eu nada ainda sabia. Os dias se passaram... 

Uma tarde eu estava caminhando à rua Felix Romanós, no bairro Sítio São José aqui da ninha cidade e foi surpreendido por um Chazon (sonho lúcido) no qual vi uma casa de madeira na qual havia uma placa escrita K'nesset Eliahu (Sinagoga De Eliahu). Sacudi a cabeça e disse para mim mesmo: "Eu nunca vou ter uma sinagoga e nem vou ser rabino, não quero". Eu já o era, só não sabia. A visão veio do Profeta Eliahu (Elias) para mim e com a assinatura da sua vinda.

חָזוֹן אֵלִיָּהוּ

Em janeiro de 2000, no dia sete, sexta-feira à noite, realizei a primeira recepção da Shabat na sala da casa 337 na rua São Miguel e ali a K'nesset Eliahu renascia, cerca de 400 anos de eu haver estado em suas dependências em Safed, Israel no século dezesseis, mas é claro, eu não me lembrava disso, pois nem conhecia a identidade da minha própria alma. As tefilot (preces da Toráh) foram realizadas na sala da casa de Edilma até o dia de Chag Purim de 5760 (2000). Dali, a estabelecemos em uma garagem que nos foi emprestada por um amigo chamado Benedicto, na Avenida Armando Salles, 1445 e ali permanecemos até a Chag Purim de 5761 (2001).

A sala na Casa 337


O SONHO

Uma noite, eu sonhei que estava rezando de frente para uma parede feita de tijolos aparentes enquanto entoava a Shirá (canção) Veshamrú,  quando uma voz me disse: "Mantenha firme a aliança." Uma sexta-noite, depois de fazer o trajeto da casa da minha mãe até a garagem na qual nossa K'nesset estava funcionando, encontrei-a sem as cadeiras e utensílios que usávamos e que nos haviam sido cedidos pelo empresário Benedicto, pois ali funcionava a sua empresa de Formaturas. Ele havia se mudado e nada havia nos informado. Corremos ao Hipermercado Davó que fica um pouco mais abaixo e meu irmão, Márcio Cesar (Ari Mordechai) comprou dez cadeiras e um fogão de quatro bocas. Naqueles dias, eu recebia instrução de um senhor judeu chamado Paulo que residia em São Paulo, no Tucuruvi, na casa 667. Eu havia conhecido pela internet devido à um anúncio que eu havia feito em um site oferecendo os meus serviços musicais. Eu havia fundado um Grupo Musical em 1992 chamando-o Elijah Music.

A parede no meu sonho


No dia sete de Adar, Hilulá de Moshê, nosso Mestre, eu fui ordenado Rabino por inspiração divina e passei a me chamar Misha'Ël Ha'Levi. Todos passaram a me tratar por Rav Misha'Ël (רב מישאל). Como estamos sem uma sede para nossa comunidade, sai pelas imobiliárias da cidade em busca de uma casa na qual nossa K'nesset Eliahu seria estabelecida. Uma tarde, um corretor me telefonou e me disse: "Rabino, tenho uma casa para você." A primeira coisa que perguntei foi sobre o preço do aluguel e ele me respondeu que seriam R$500,00 mensais. Pedi para ir ver a casa e do chegar, fiquei chocado, pois era uma mansão. O número da casa era 583. 

A mansão 583

Ali o Divino começou a me revelar os segredos da ninha reencarnação. Quando entrei para ver a casa, me dei de frente com a parede de Tijolos aparentes que havia contemplado no meu sonho é disse para o corretor: Está é a casa! Assinei o contrato no dia 23 de abril de 2001 o qual foi vigente por 30 meses até o dia 23 de outubro de 2003. Nunca houve a mão ou desejo do homem neste milagre. Foi tudo uma ação do Divino.

O aviso de vencimento de contrato


O sonho veio da alma do meu mestre, o Santo Rabbi Yitzchaq Lúria e por isso continha, também, a assinatura do Profeta Elias, que dormia, nos dias nos quais meu mestre viveu em Safed, em seu seio.

VESHAMRÚ
ÊXODO 31: 16 & 17

וְשָׁמְרוּ בְנֵי-יִשְׂרָאֵל, אֶת-הַשַּׁבָּת, לַעֲשׂוֹת אֶת-הַשַּׁבָּת לְדֹרֹתָם, בְּרִית עוֹלָם. יז בֵּינִי, וּבֵין בְּנֵי יִשְׂרָאֵל--אוֹת הִוא, לְעֹלָם: כִּי-שֵׁשֶׁת יָמִים, עָשָׂה יְהוָה אֶת-הַשָּׁמַיִם וְאֶת-הָאָרֶץ, וּבַיּוֹם הַשְּׁבִיעִי, שָׁבַת וַיִּנָּפַשׁ.

Dentro da canção Veshamrú está codificado o nome do meu mestre "ha'Elohei Rabbi Yitzchaq" através de suas roshei teivot (notarikon) "ha'Ari (האר"י)" entoada por todos os judeus em cada Shabat há quase 4.000 anos.

Você se lembra do numero da casa da Edilma? 337? Este numeral é a gematria do ano em que morreu o meu mestre no século dezesseis, o ano hebreu 5332 (השל"ב). O nome da nossa K'nesset Eliahu (כנסת אליהו) cuja gematria é 583 (com a adição da letra alef que é a ação do Divino). Meu nome hebreu é título, Rav Misha'Ël (רב מישאל) possui gematria igual a 583 e a casa na qual a nossa comunidade funcionou de 23 de abril de 2001 a 23 de outubro de 2003, era o número 583. O número da casa na qual reside o senhor judeu que me instruiu, 667, é a gematria de "Rabbi Yitzchaq Lúria (רבי יצחק לוריא)" e a gematria do Nome dele, Paulo, 123 que é a mesma do meu nome homônimo. O principal discípulo do Rabino Yitzchaq Luria foi o Rabino Chaim Vital cuja gematria do Nome (חיים ויטל) é 123. Chaim Vital nasceu em Safed no 1° dia do mês hebreu da Toráh chamado Cheshvan no ano hebreu 5303 e que naquele dia foi 23 de outubro de 1542 no calendário Juliano e faleceu em Damasco, na Síria, no dia 23 de abril de 1620 (30 de Nissan de 5380) e o primeiro Hilulá de seu falecimento foi no ano 381. Eu me tornei rabino 381 anos após o seu falecimento. Em hebraico "Chaim Vital nasceu em 1° de Cheshvan (חיים ויטאל נולד ב"א ב"חשון)" possui gematria igual a 583.

Interior da Casa 583

A visão na qual eu vi a parede de tijolos aparentes enquanto ouvi o Veshamrú veio de Eliahu Ha'Navi (Profeta Elias). A gematria de Chazon Eliahu (חזון אליהו) é 123 que é a mesma de "Bá Eliahu Ha'Navi (בא אליהו הנביא) - Veio o Profeta Eliahu" e que é a mesma de Chaim Vital (חיים ויטל) e também do meu nome cívil que é Paulo (פאולו).

Como você notou acima, o documento da imobiliária prova que tudo foi ação do Sagrado, bendito seja Ele, para revelar a alma de Chaim Vital reencarnada, desde o nascimento, em mim. Eu declaro a Obra de Adonai, para desespero dos homens que me negaram e me rejeitaram: Eu Sou Chaim Vital!

אני חיים ויטאל

A gematria desta declaração é igual a 185 que é a mesma da declaração "Ani Le'Dodí Ve'Dodi Lí (אֲנִי לְדוֹדִי וְדוֹדִי לִי) - Eu sou para o Meu amado e o Meu amado é para mim (Shir ha'Shirim 6:3)" cujas iniciais formam o nome do mês de Virgem, Elul (אֱלוּל) que recebe a influência de Virgo no universo, constelação chamada esotéricamente de "Beit-Lechêm (בֵּית לֶחֶם)" mundialmente traduzida para "Belém". Minha amada mãe nasceu no dia 3 de julho de 1944, dia este que, no calendário solar é o dia 185 do ano. Ela me concebeu no dia 13 de Elul e eu nasci no distrito do Belém, na Maternidade do Belenzinho, às 15h42 minutos do dia 10 de junho de 1966.

A obra de D'us é perfeita e não deixa dúvidas sobre as reencarnações que são obras de D'us no mundo e os homens que legam estas evidências, negam e rejeitam a obra do Sagrado, bendito seja Ele. Ai deles...

הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי אֶבְטַח, וְלֹא אֶפְחָד: כִּי-עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְהוָה, וַיְהִי-לִי לִישׁוּעָה

O nome Chaim Vital dentro das palavras do Profeta Isaías que é parte da canção de Havdalá "Hinêh ël yeshuati... (Isaías 12:2)" e que nunca havia sido revelado até 2016. Quem mais poderia saber desse segredo e mistério senão o próprio Chaim Vital?

A para diluir toda dúvida de que esta foi obra do Sagrado e não do homem, aqui está o maior dos segredos, o mistério do sangue. A Toráh afirma: "Porque, a alma de toda carne é o seu sangue, sua alma está nele... (Levítico 17:14)".

כִּי-נֶפֶשׁ כָּל-בָּשָׂר, דָּמוֹ בְנַפְשׁוֹ הוּא

No dia 23 de outubro, data de nascimento do Rabino Chaim Vital, eu fui levado por sua alma em mim, a realizar um teste de nível de glicose no sangue. O resultado demonstrou a obra do Santo, bendito seja Ele. Veja abaixo:


Na foto clicada do glicosímetro acima, pode-se ver a data e o horário no qual o teste foi realizado e também o resultado, a assinatura da alma de Chaim Vital que é a gematria do seu nome: Cento e vinte e três (123). Que evidência é mais necessária? Pois, foi o Divino quem soprou está alma em minha na minha concepção e a alma tem uma assinatura, pois o sangue é a alma e a alma está no sangue!

O Mistério Do Raio-X

Em 2015, fui diagnosticado com Asma depois de bastante tempo ter estado com a respiração pesada, dificultosa e muita tosse. O médico da Santa Casa de Misericórdia de Suzano, um amigo querido, o Dr. Eduardo, um afro-descendente alto e forte, me encaminhou para fazer uma radiografia dos pulmões. Fiquei muito tempo na fila até finalmente, ser atendido.


A X-Ray

Quando peguei o resultado e vi o horário em que foi realizada a x-ray, soube que não era de forma alguma acaso e que, o Sagrado me havia deixado esperando em uma longa fila até o momento certo. O horário foi às 15h42m27s ou, como se diz no jargão militar as 1542 horas. Acima do horário está escrito "ID: 70278". Somente a gematria pode revelar o segredo dos números. O numeral 70 é a gematria da palavra "SÓD (סוֹד)" que significa "Segredo Espiritual" e se refere à parte escondida da Toráh chamada "Toráh Sod". O numeral 270 é a gematria de "Ór ha'Ganuz (אור גנוז)" que é a "Luz Oculta Da Criação" também chamada "Luz Do Messias" e não é acaso que 278 é também a gematria de "Ben Iosef, Ben David (בן יוסף, בן דוד)". Quando somados os dois numerais (70+278) o resultado é 348 que é a exata gematria de "Hú rabbi Chaim Vital (הוא רבי חיים ויטאל)" cuja tradução é "Ele é o rabino Chaim Vital".

הוא רבי חיים ויטאל

E o meu mestre amado, o Sagrado Leão, ali também estava naquele momento. Talvez, você se pergunte: Onde? A palavra hebraica para Pulmão é "Reiáh (ריאה)" e tem as mesmas letras e a mesma gematria de Ha'Ari (האר"י) que o título espiritual do meu professor, o Divino Rabbi Yitzchaq. abençoada seja sua lembrança!

O Teste Y-DNA
Revelando O Código Genético Da Alma

Na madrugada de 23 de abril de 2006, sonhei que eu estava em um Laboratório de exames de DNA e minha intenção era realizar um teste. Comigo estava a jovem Elisheva cuja data de nascimento é a mesma da minha concepção - 13 de Elul - e o sobrinho dela chamado Yitzchaq. O dia 23 de abril é a data de falecimento de Chaim Vital em 1620 e o sonho veio da alma dele para instruir-me ao Despertar. Quatroanos se passaram e, então, eu ganhei, de um aluno e amigo que é cirurgião plástico, um exame de Y-DNA realizado pela Family Tree DNA, cuja sede fica no Texas. As amostras foram colhidas nos dias 11 e 12 de abril e envidas aos laboratórios da FTDA. O resultado saiu no dia 2 de julho à tarde, ou seja, já no dia 3 de junho em Israel, o 185º dia do ano solar.



O resultado determinou que pertenço ao Haplogrupo G mutação M201. Há um número significativo de homens judeus encontrados em vários subgrupos do Haplogrupo G (Y-DNA). O Haplogrupo G é encontrado em porcentagens significativamente diferentes dentro das várias divisões étnicas judaicas, variando de cerca de um terço dos judeus marroquinos a quase nenhum relatado entre as comunidades indiana, iemenita e iraniana.

Em 2014, o Sagrado, bendito seja Ele, me revelou um Código maravilhoso cuja "palavra-chave" é "Chaim Vital". Meu nome civil surgiu ao lado de Chaim Vital e acima surgiu escrito "mi-na'ar ve'ad zaqém (מִנַּעַר וְעַד-זָקֵן) - desde jovem até envelhecer". Enquanto estava analisando este Código, vi, espantado, uma linha vertical na qual está escrito "Y-DNA 201" ao lado de Chaim Vital. Logo abaixo de "Y-DNA 201" está "junho, dia 10". Eu nasci em 10 de junho. Até mesmo o ano 5774 (2014) está na matriz e cruzando-o está escrito "A oitava consciência de Buda". Eu estava destinado a despertar naquele ano...

O Código Chaim Vital
Clique

Por isso sonhei no dia do seu falecimento no calendário juliano e por esta razão o resultado saiu no dia 3 de julho, pois este dia é o 185º dia do ano solar é a data de nascimento de minha querida mãe que me concebeu em 13 de Elul e este valor, 185 é a gematria de "Eu Sou Chaim Vital".

O Testemunho Dos Céus

Em 2001, logo depois que a K'nesset Eliahu foi estabelecida no número 583 da Gastão Vidigal na Vila Amorim, um empresário afrodescendente norte americano convertido ao judaísmo, inaugurou, em nossa cidade visando os membros de nossa Hayk'lá, uma loja de artigos judaicos e ao mesmo tempo em que vendia aos integrantes da nossa sinagoga, ele me caluniava veementemente. No mês de março de 2002, numa shabat pela manhã, comparecemos eu e alguns dos discípulos à sede do Centro de Estudos da Cabalá em São Paulo, onde o Rabino Joseph Saltoun era o professor. Lá, eu encontrei James Leander Kitchen, o empresário norte americano que, sem me reconhecer, começou a me caluniar a mesmo até que seu mestre lhe chamou a atenção repreendendo-o pelo lashon ha'rá. James era editor de uma revista judaica chamada "Shomer Israel" que ele publicava periodicamente. Quando saímos, eu ainda o vi em seu carro estacionado na Conselheiro Brotero onde ficava a sede do Centro de Cabalá. Esta seria a primeira e a última vez que eu o veria com vida. Na semana seguinte ao nosso encontro dentro das dependências do Centro de Estudos da Cabalá, saiu a publicação periódica da Shomer Israel dedicada à calúnia à minha pessoa e à nossa Comunidade e, para garantir que o efeito fosse potencializado, James enviou um exemplar às residências de cada um dos membros da sinagoga. Era uma sexta feira quando, alguns minutos antes da Recepção da Shechiná ser iniciada, vários dos membros vieram a mim com a revista de James nas mãos e dizendo "Olha Rabbi, é sobre o senhor!". Fiquei muito triste e me lembrei do rei assírio Senaqueribe quando afrontou o Rei Ezequias caluniando-o diante do povo judeu. Este era outro segredo que eu ainda não sabia, sobre a alma do Rei Ezequias reencarnada no Rabino Chaim Vital. Fui ao microfone e fiz uma prece diante de todo o povo às lágrimas e pedi ao Sagrado, bendito seja Ele, por justiça. No dia 12 de Abril, James estava em um flat na Freguesia do Ó com sua amante. Era a noite do dia 30 de nissan, aniversário de falecimento do Rabino Chaim Vital, e esta, seria a ultima noite de vida de James Leander Kitchen. Na manhã seguinte seu corpo jazia sobre a calçada do edifício. James, ao tentar fugir do flagrante adultério dado por sua mulher, caíra do 5 andar do apartamento onde se encontrava. Por que sua última noite de vida fora exatamente no Hilulá do Rabino Chaim Vital? Ele não havia caluniado a mim, mas a alma deste Rabbi Sagrado que vive no meu corpo. O Sagrado, bendito seja, dera à reencarnação de Senaqueribe o pagamento pela sua calúnia de Ezequias (Chaim Vital) assim como em 637 a.C quando Senaqueribe cercou Jerusalém.


Aqui, além do testemunho dos céus sobre a alma do Rabino Chaim Vital, a gematria, novamente deixa clara a ação do Sagrado, bendito seja Ele. A numerologia cabalística em gematria Mispar Musafi de Sancheriv (סנחריב) é 336 que é a mesma de "Rabbi Chaim Vital e a gematria Avgad Reversa é 207. Juntas, as duas gematriot revelam "Raz Rabbi Chaim Vital (O mistério do Rabino Chaim Vital). E qual é este mistério? É a alma do rei Ezequias.

Tudo isso me aconteceu de acordo com o meu destino e para revelar o Segredo de Adonai e alma de Chaim Vital reencarnada em mim. Abençoado seja o Sagrado para sempre e sempre!


אני חיים ויטאל
Ani Chaim Vital


Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

O Artesão Da Luz