Projeto Jardim Do Éden

Projeto Jardim Do Éden
A Associação Qabalista Mundial – Gará Kulam Moshav, na voz do seu fundador e presidente Misha´El Yehuda ben Yisrael, lançou, em 2006, o “Projeto Jardim do Éden” cuja intenção era conseguir a doação, empréstimo ou mesmo arrecadar fundos para a compra de um Sitio ou Chácara onde será instalada a sede da sua Comunidade Mística, o Centro Brasileiro de Estudos da Qabalá. Clique na imagem, conheça o projeto e faça uma doação.

EU QUERO ACREDITAR

EU QUERO ACREDITAR
CRIPTO-EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA NO PASSADO DA HUMANIDADE

Os Verdadeiros Anunnki

Os Verdadeiros Anunnki
A verdade jamais revelada sobre os Anunnaki

Novo Livro

Novo Livro
Duna - Uma Experiência Verdadeira

Os Ecos De Enoch

Os Ecos De Enoch
Página dedicada à criação online da Obra "Os Ecos De Enoch"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"
Apresentado entre agosto e novembro de 2015. Clique na imagem!

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

quarta-feira, 28 de abril de 2021

Nuances Do Despertar: O Grito Da Alma Despertando A Consciência


Outubro de 2014. Sonho com pessoas em uma passeata carregando uma faixa com os dizeres "PSB 123". Eram vésperas das eleições presidenciais no Brasil e, como meu Despertar era recente, havia se realizado apenas em 27 de setembro, acabei por me confundir permitindo minha consciência se direcionar para as eleições. Eu estava errado. O sonho era um grito da minha Neshamá (alma divina) recém recebida por Ibür, tentando me informar a identidade da minha Néfesh.

O Sha'ar Ha'Gilgulim (Portal das Reencarnações) nos informa que, somente quando uma pessoa descobre o nome da sua alma, ela alcança o Despertar. Este é um processo que pode durar muitos anos.

Então, o que era "PSB 123"? Certamente não era uma indicação a algum partido político. O assunto se tornou um mistério e foi somente em 27 de abril de 2021 que eu me recordaria desse sonho já sabendo o seu mistério, pois, outros "recados" me foram enviados pela minha Neshamá nesse período de sete anos através dos quais eu conheci, não apenas a identidade da minha Néfesh Ha'Elohit (Néfesh Divina), como também a identidade do meu Rúach (Espírito) e da minha Neshamá (Alma Divina).

Eu já escrevi e postei inúmeras vezes em muitas ocasiões sobre esse segredo e com um grande número de irrefutáveis evidências. Nos meus livros Supernatural e Arizal - O Viajante Do Tempo - revelei ser uma reencarnação da alma do Rabino Chaim Vital, de abençoada memória, o mais fiel aluno do Rabino Isaac Lúria, bendito seja.

Na verdade, o processo se iniciou em 1996, quando eu fiz 29 anos (358 meses), que foi quando se deu o meu primeiro despertar, por ocasião da passagem do Cometa Hale-Bopp, quando sonhei que estava em uma em uma caverna na qual havia um Aron Ha'Qodesh (era uma sinagoga) onde pessoas cantavam uma canção em hebraico, idioma que eu jamais havia estudado nessa vida. Acordei cantando aquela cântico. Era o Máh Tovú (מה טבו) - Ó quão bom.

מַה-טֹּבוּ אֹהָלֶיךָ, יַעֲקֹב; מִשְׁכְּנֹתֶיךָ, יִשְׂרָאֵל.

Dois anos depois, um senhor judeu messiânico, muito fluente em hebraico e conhecedor da tradição, misteriosamente me encontrou, quando viu um anuncio meu sobre música na internet com o nome do meu grupo musical Elijah. Esse senhor, residia na rua Tanque Velho, 667, no Tucuruvi, São Paulo. Ele foi o meu primeiro professor. Seu nome, Paulo.

A gematria de Paulo é igual a 123 que é a mesma de Chaim Vital (חיים ויטל) e o valor 667 é a gematria de Rabbi Itzchaq Lúria (רבי יצחק לוריא). Ha'Shem queria que eu soubesse de quem eu era a reencarnação e quem havia sido meu professor na outra vida.

Do meu primeiro Despertar até que o antigo Rabino ascendesse no meu coração, foram apenas cinco anos, e, em 2001 eu fui, ordenado, pelas mãos do meu mestre, o Rabbi Isaac Lúria, que veio por Ibür no corpo do velho judeu Paulo, que morava no número 667 que é a gematria de Rabbi Itzchaq Lúria, recebendo a minha Semichá Rabínica no Hilulá de Moshê, nosso mestre e passei a me chamar Rav Misha'El Ha'Levi, nome que me foi dado pelos lábios da alma do meu mestre, o Arizal, naquela noite, encarnado por Ibür no senhor Paulo.

NASCIMENTO

Eu nasci, em 1966, na maternidade do Belenzinho, no Distrito do Belém, São Paulo, 432 anos depois do nascimento do Rabbi Isaac Lúria e este valor é a exata gematria do nome que o Arizal me deu, Misha'El Ha'Levi (מישאל הלוי). Meu mestre estava me instruindo assim como me havia instruído na outra vida. Meu nascimento também se deu 424 anos depois do nascimento do Rabino Chaim Vital.

O SEGREDO DO SONHO

Meu nome também é Paulo e a gematria de Paulo é a mesma de Chaim Vital e essa é 123. Nada acontece por acaso e tudo é um segredo de vidas anteriores.

No século dezesseis, o Arizal profetizou sobre o Rabino Chaim Vital, dizendo o que lhe haviam informado durante suas orações. Eis o que se lê em Sha'ar Ha'Gilgulim Ha'Qadmá (Introdução) 38 nas palavras de Chaim Vital:

"Um dia, ele me contou o que lhe tinham dito, durante suas orações, que num futuro próximo eu veria um anjo face a face e que ele falaria comigo. Eu o instei a me dizer qual seria o seu nome, e ele me disse que seria Elias, o profeta, de abençoada memória."

Sha'ar Ha'Gilgulim Ha'Qadmá 38

De fato, verdadeiramente, Elias apareceu para o Rabino Chaim Vital, mas, o Arizal, não o estava informando somente sobre aquela vida, mas, também, a próxima.

Quando eu tinha 3 anos de idade, costumava dormir na cama da minha mãe. Meu pai estava sempre ausente devido à sua profissão. Uma noite, enquanto minha mãe tricotava e assistia suas séries favoritas no velho televisor Syller valvulado, uma presença encheu o quarto é uma voz masculina me chamou pelo meu nome por três vezes. Após o meu Despertar, eu soube que era o profeta Elias. Em hebraico a expressão "Bá Eliahu Ha'Navi (בא אליהו הנביא)" que se traduz "Veio o profeta Elias" é igual a 123 em gematria. E aquela não seria a única vez que Eliahu me visitaria.

Na madrugada de 22 de setembro de 2009, eu fui visitado por um anjo no meu sonho. Esse anjo me disse que eu era considerado alguém especial nos céus e me comandou pregar aos quatro ventos para que todos ouvissem, quer compreendessem ou não. Depois, ele tomou um instrumento curvo, tipo um daqueles alicates de tirar cuticulas e limpou a sujeira da parte interna da minha unha do polegar direito. Quando acordei, anoitei no meu diário: "- Um anjo me visitou essa noite...".

O dia 22 de setembro é o 265º no ano solar. Se subtrairmos desse valor a gematria de Chaim Vital o que sobra é 142 que é a exata gematria de "Eliahu ba'chelomi (אליהו בַּחֲלֹמִי)" cujo significado é "Elias no meu sonho."

A partir daquele dia, eu passei a compreender instantaneamente os mistérios do Zôhar e também da Torá, recebendo chidushim (novos segredos revelados) todos os dias.

Em 2017, durante minha viagem e estadia em Israel, me foi revelado que a centelha de alma que eu havia recebido para ser a minha Neshamá, em 2014, era uma faísca da alma do Maharal de Praga, de abençoada memória, e foi a minha Neshamá que estava gritando para minha Néfesh e para o meu Rúach, que eu era uma reencarnação da alma do Rabino Chaim Vital.

Chaim Vital faleceu no dia 3 de maio de 1620, dia esse que, no calendário gregoriano é o dia 123 no ano, restando para terminar o período, 242 dias, valor esse que é a gematria do nome bíblico Zechariah (זכריה) cujo significado é "Hashem o fará recordar." PSB são as iniciais do meu nome, Paulo Sergio Batalini, e 123 é Chaim Vital. Minha Neshamá estava me dizendo "Paulo Sergio Batalini. acorde! Você é Chaim Vital."

E qual é a gematria AtBash de Maharal (מהרל)? É exatamente igual a 123 que é a mesma de Chaim Vital, veio o profeta Elias e Paulo. Abençoado seja o Qadosh, baruch hú, que nos enviou de volta para esta Era e nos fez Despertar.


Razá Ila'ah

Autor

Bën Mähren Qadësh

sábado, 24 de abril de 2021

O Retorno De Rabino Shimon

 


Rabino Shimon bar Yochai viveu há 2.000 anos, na palestina. Ele foi o maior cabalista que já existiu em todos os tempos. Um homem de tal nível de santidade que os mais elevados anjos e as almas dos justos que agora vivem no jardim do éden superior, pediram autorização para descer e lhe revelar todos os segredos do universo. Estas revelações lhe foram dadas enquanto ele esteve oculto em uma caverna por treze anos. Duas vezes por dia, Moisés e o profeta Elias lhe apareciam para ensinar-lhe os segredos. Estas revelações estão unidas em uma obra sagrada e de tal nível de pureza, que aqueles que a possui, são considerados como estando ligados ao próprio rabino Shimon. Esta obra maravilhosa chama-se “Zohar – O Livro do Esplendor”.

 Após doze anos, rabino Shimon saiu de seu esconderijo, e tão irado ele ficou ao ver a decadência espiritual do povo, que de seus olhos saiam labaredas de fogo e muitos foram queimados. Então ele foi comandado a voltar para a caverna e permanecer lá por mais um ano, até que aprendesse a controla o seu poder.


Acerca do Zôhar está escrito em Daniel 12:3-4: Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente. Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim, muitos o estudarão minuciosamente, e o conhecimento se multiplicará”. Este livro citado no verso é o Zohar Sagrado.

A respeito de rabino Shimon, está dito que, quando ele se preparava para o seu “ocultamento”, revelava a seus discípulos uma grande quantidade de segredos, rabino Abba os estava anotando, e quando rabino Shimon cessou de falar, rabino Abba disse: “Não pude levantar a minha cabeça. Pois a luz que o rodeava era tão grande e brilhante que não podia olhar para ela”. Eu pus o meu rosto sobre a terra, e chorei em voz alta”. Então rabino Elezar (filho de rabino Shimon) e rabino Abba levantaram-se e o vestiram com seus ornamentos sepulcrais, e depositaram-no no ataúde. Quando chegaram a Meron, onde ele seria sepultado, ao abrirem o ataúde, ele, o corpo de rabino Shimon elevou-se pelos ares envolto e rodeado por um fogo flamejante.

Quando ele foi levado para dentro da caverna onde seria sepultado, escutou-se uma voz que dizia: “Este é ele, que perturbou a terra e fez tremer os reinados”.

E relação a ele, rabino Shimon, está escrito em Daniel 12:13: “ E, quanto a ti mesmo, vai até o fim, e descansarás, mas te levantarás para tua porção ao fim dos dias”. E isso nem poderia se provar verdadeiro, se no próprio Daniel 12 não estive codificado o nome Yochai, e não apenas uma, mas, duas vezes.


Yochai está codificado no Livro de Daniel capítulo 12 que é onde o Zôhar é mencionado como "O Livro Selado". O código surge duas vezes no mesmo texto, sendo que um deles cruza os pessuqim (versículos) 3 e 4: "Os que forem sábios, pois, resplandecerão como o fulgor do firmamento; e os que a muitos ensinam a justiça, como as estrelas sempre e eternamente. E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará (Daniel 12:3,4)." Na matriz, o Código "Yochai" está marcado em abóbora e os versos mencionados em verde. O termo "Zohar" está marcado em vermelho. Isso evidencia que Shimeon Bar Yochai existiu mesmo e que estava destinado desde o princípio dos tempos a revelar o "Livro Selado".

Se pode esconder a verdade, se pode alterá-la, mas não se pode ocultá-la por muito tempo e nem alterar o que D'us mesmo codificou nas Suas Escrituras Sagradas. Rashbi (acrônimo de Rabi Shimon Bar Yochai) também está codificado no mesmo capítulo de Daniel. Na matrix em verde na vertical, confirma que RASHBI recebeu os ensinamentos secretos de Yeshu'a, pois ele era o seu irmão e discípulo chamado Shimon Bar Halfai. Marcado também em verde na horizontal à direita e tudo no capítulo 12 de Daniel. Codificado no mesmo capítulo de Daniel que revela o Zôhar, está codificado também o Rabino Berg, e esse código revela que ele veio com uma centelha de Daniel (e também de Eliahu, o que ele mesmo me revelou em um sonho em 2010), para revelar o Zôhar no fim dos dias...



O significado disto é que, agora, no fim dos dias, rabino Shimon estaria de volta, andando entre os vivos. As centelhas da sua alma estariam encarnadas para ajudar-nos na propagação da Sagrada Cabalá. Dezenas de mestres que agora habitam o jardim do éden tem descido à terra, a aparecido a muitos, revelando os segredos do Zohar, e ajudando-os a propagá-los sobre a terra.

Acerca disto está escrito no Zohar: “E uma coluna de fogo aparecerá do céu a terra, e queimará por quarenta dias”. A coluna de fogo é a sabedoria do Zohar Sagrado. Assim como em Daniel, os anos são referidos como dias, assim também, quarenta dias são uma referencia aos anos. Em 1966, o rabino Phillip Berg, encontrou com seu mestre, o rabino Yehuda Brandwein, com quem estudou a sabedoria do zohar por três anos. A coluna de fogo fora acesa, e agora fazem quarenta anos que ela é vista do céu a terra. 

Nós devemos nos esforçar mais para que a Sabedoria do Zohar possa ser espalhada sobre a terra, pois em breve a coluna de fogo se esconderá, para depois reaparecer novamente.

"E disse para eles o Ancião: Venham e comam. E nenhum dos discípulos ousou perguntar quem ele era, pois creram ser Ele. E pegou o Ancião o pão e o peixe e abençoou-os e deu-lhes. E quando eles comeram, o Ancião de dias disse a Simão: Tu, Simão, filho de Qlopas, tu me amas? Ele disse a ele: Sim, meu Senhor. Ele disse a ele: Cuida dos meus cordeiros. E novamente disse para ele o Ancião de dias: Tu, Simão, filho de Alfeu, amas-me muito? Ele disse a ele: Sim, meu Senhor. Disse-lhe: Cuida das minhas ovelhas. E novamente disse-lhe o Ancião: Simão, o Zeloso, amas-me a mim? E entristeceu Simão pelas três vezes que o Ancião de dias lhe disse isso. E disse- lhe Simão: Tudo Tu sabes; que te amo, tu o sabes! E ele disse-lhe Cuida de minhas ovelhas. Amén, Amén, tu és Simão, o filho de Alfeu, serás chamado Bar Yohai – que significa em aramaico “filho do Senhor Vivo” –, e disse-lhe o ancião: Eis aqui meu servo, que sustento; o meu escolhido, que minha alma tem imenso prazer. Pus o meu Espírito sobre ele. Ele revelará a Verdadeira Justiça e a porá em execução entre as nações (Isaías 42:1). Amén, Amén, vos digo que saiam meus filhos, saiam de Jerusalém, pois que o mal vem do Norte e a grande desgraça! E num instante abriram-se os olhos deles e ele sumiu diante deles. E fugiram para a cidade de Pella no caminho do deserto de Judá. E foi ali em Pella, nas Dez Cidades, que encontraram o Livro Oculto que Daniel, o profeta, escondeu. Como diz: E tu, Daniel, fecha estas palavras e sela este livro até o tempo do fim: e vaguearão muitos e aumentará o Conhecimento (Daniel 12:4)."

MEEMRO D’AVOHAIN 

Os ditos dos nossos pais

CAPÍTULO 1O


Autor

Bën Mähren Qadësh

Misha'Ël Ha'Levi

ESCRITO EM 2006

 

O Artesão Da Luz