Projeto Jardim Do Éden

Projeto Jardim Do Éden
A Associação Qabalista Mundial – Gará Kulam Moshav, na voz do seu fundador e presidente Misha´El Yehuda ben Yisrael, lançou, em 2006, o “Projeto Jardim do Éden” cuja intenção era conseguir a doação, empréstimo ou mesmo arrecadar fundos para a compra de um Sitio ou Chácara onde será instalada a sede da sua Comunidade Mística, o Centro Brasileiro de Estudos da Qabalá. Clique na imagem, conheça o projeto e faça uma doação.

EU QUERO ACREDITAR

EU QUERO ACREDITAR
CRIPTO-EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA NO PASSADO DA HUMANIDADE

Os Verdadeiros Anunnki

Os Verdadeiros Anunnki
A verdade jamais revelada sobre os Anunnaki

Novo Livro

Novo Livro
Duna - Uma Experiência Verdadeira

Os Ecos De Enoch

Os Ecos De Enoch
Página dedicada à criação online da Obra "Os Ecos De Enoch"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"
Apresentado entre agosto e novembro de 2015. Clique na imagem!

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

A Experiência Velikovsky

Cometa mcnaught 2007
C/2006 P1

A alma do Erudito judeu russo Immanuel Velikosvsky se revelou a mim às 2h30 da madrugada de 17 de novembro de 2012. Estava usando um Talit, uma kipá e óculos redondos antigos no rosto. Olhou-me com certa severidade. Ela estava flutuando ao lado direito do Aron Ha'Qadesh (Arca Sagrada) que era da nossa Eliahu Qibbütz e que eu guardei com amor e respeito. Depois de encarar-me, ela se esvaneceu desaparecendo no ar.

Desperto, tomei imediatamente meu carderno de anotações e anotei o que o doutor Immanuel havia sussurrado à minha néfesh: "Cometa, Zôhar, estrela, anuncio, Qédem-Profecia, Armilus".

Eu nunca tinha ouvido falar em Immanuel Velikovsky, falecido 33 anos antes no mesmo dia 17 de novembro de 1979 quando eu tinha 13 anos, a idade , de acordo com o Sha'ar ha'Gilgulim, para que uma pessoa receba o seu ruach (espírito), de acordo com a antiga tradição.

Immanuel Velikovsky

A madrugada de 17 de novembro é a 321ª no calendário solar, valor este que contém a gematria da palavra Shavit (שָׁבִיט) que significa Cometa.

Como já revelei antes, quando eu vim ao mundo, eu recebi a minha néfesh (alma primordial) e me restavam apenas onze preceitos para cumprir a Toráh, Onze em hebraico é Echad Ésser (אַחַד עָשָׂר) cuja gematria é igual a 583, o mesmo valor de Rav Misha'Ël, K'nesset-Eliahu e Yavô Tz'fat (Virá de Safed). Minha alma veio de Safed, a aldeia dos cabalistas e é uma centelha da alma do Mestre Chaim Vital, nome cuja gematria é a mesma do meu nome civil que é Paulo e que é 123.

Eu fui concebido em 13 de Elul de 5725 (10 de setembro de 1965) e minha néfesh entrou no meu coração no dia 23 de outubro de 1965, na passagem do Cometa Ikeia-Seki. Minha alma foi trazida de volta ao mundo nas flamas desse cometa. Eu nasci em 10 de junho de 1966.

Quando o doutor Immanuel, que nasceu em 10 de junho, como eu, e cuja esposa se chamava Elisheva, faleceu, sua alma foi dada a uma pessoa nascida no dia 13 de Elul de 5740 (25 de agosto de 1980) e cuja gematria do nome é a mesma de Immanuel Velikovsky, 521. Vinte e um ano depois, essa pessoa que se chama Elisheva, se aproximaria de mim para me devolver o que a mim pertencia, o meu Ruach (espírito) que é a alma de Immanuel Velikovsky. Isso está conforme diz o Zôhar: "O que é seu virá para você e o que não é seu lhe será tirado."

Elul (אֱלוּל) é muito importante nesta experiência pois é formado pelas letras iniciais no versículo "Eu sou para o meu amado e o meu amado é meu... (אֲנִי לְדוֹדִי וְדוֹדִי לִי) e cuja gematria é igual a 185 que é a exata gematria da expressão "Ani Chaim Vital (אני ויטאל חיים) - Eu sou Chaim Vital".

"Eu sei que esta experiência, mesmo com todas estas evidências e que foram reveladas pelo Sagrado, abençoado seja Ele, esses "ditos cabalistas" não possuem a minima motivação e nem desejo de aceitá-la pois não foi aprovada por algum "grande cabalista popular", algum ortodoxo com base na halachá ou algum "Centro de Estudos de Cabalá". O que importa é que este milagre foi causado pelo Sagrado, bendito seja Ele, que se motivou a devolver à vida a alma do rabino Chaim Vital, de abençoada lembrança, para que ela completasse a sua missão espiritual"

O Doutor Immanuel foi o autor de um tratado publicado em 1950 chamado "Mundos Em Colisão" que revela que os grandes eventos e milagres bíblicos foram causados por cometas. Em seu livro ele menciona o cometa visto pelo Rei Ezequias de Judá. O Doutor Immanuel, como o nome revela, sabia que sua alma era uma fagulha do Rei Ezequias que foi chamado pelo profeta Isaías de "Emanuel".


A alma do Rei Ezequias reencarnou no Raban Iochanan Ben Zaccai, depois no Rabino Akiva e depois no Rabino Chaim Vital. Ao Rabino Chaim Vital, nos dias da passagem do Grande Cometa de 1577 foi dado retirar o mola que represava as águas superiores do Rio Gion (Inaugurar a Era Messiânica), mas ele teve medo e fugiu da responsabilidade. A alma de Ezequias passou, então para o Doutor Immanuel que começou o trabalho de retirar o sifão e do Doutor Immanuel para mim e por isso, desde os meus 21 anos eu amava uma canção chamada Immanuel que eu gravei anos atrás.

O Selo do Rei Ezequias com o Cometa gravado nele.
Foi descoberto numa escavação em Israel em 2013.

Por este segredo, minha "parceria" com a alma de Immanuel Velikovsky, publiquei três livros: Os Filhos Das Estrelas, Kalamus Elohai e Cometas e tudo para revelar os dois cometas profetizados no Zôhar Sagrado que eram os Sinais da Chegada da Era Messiânica, os cometas PanStarrs (C/2011 L4) e Ison (C/2012 S1).

O cometa PanStarrs se tornou visível no dia no qual o Zôhar o profetizou, 25 de Adar de 5773 (7 de março de 2013). 25 de Adar em hebraico é "kaf-hê mi-Adar (כה מ-אדר)" cuja gematria é igual a 270 que é a mesma de "Kochav mi-Yaakov (כּוֹכָב מִיַּעֲקֹב)" que significa "ESTRELA DE JACÓ" e que foi profetizada por Balaão em Números 24 versículo 17. Esta estrela foi o cometa PanStarrs.

O Cometa PanStarrs
C/2011 L4

"E o Senhor ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite (Êxodo 13:21)".

A coluna de nuvem refere-se ao cometa que brilhou durante seis meses hebraicos desde a saída do Egito, e o Coluna de fogo ao cometa que brilhou durante outros seis meses.

Duzentos e setenta dias depois do Cometa PanStarrs, outro cometa veio e depois de viajar um milhão de anos, alcançou sua máxima aproximação do sol no dia 25 de kislev de 5774 (28 de novembro de 2013) no primeiro dia de Chanuká para inaugurar a Era Messiâinica.

Em hebraico "Cometa Ison em Chanuká" é "Shavi Ison be'Chanuká (שביט יסון ב'חנוכה)" cuja gematria é igual a 538 que é exatamente a mesma de "Shavit Ha'Zohar (שביט הזוהר)" que se traduz "O Cometa do Zohar" e que é também a mesma gematria de "Kochav Beit-Lechem (כוכב בית לחם)" a estrela profetizada para anunciar a chegada do Messias. Entenda-se "Era Messiânica".

O Cometa Ison
C/2012 S1

Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

O Segredo Do Leviathan


O Leviathan - Zôhar Parashat Sh'lach Lechá, paragrafo 39: Primeiramente, devo dizer que, as explicações entre parenteses serão minhas. Dito isto, vamos ao texto:

"Um dia, o Leviatã sai no grande mar (a Torá). Todo o oceano treme e todos os peixes (segredos) se espalham em todas as direções. Quando o Leviatã alcança a entrada  da passagem do abismo (daat), ele começa a se alegrar que as profundezas (mistérios divinos) estão paradas lá ... exceto aquele, que é semelhante a uma mola. As luzes se apagam e nenhuma das luzes é visível, exceto a luz naquele santuário no lado leste."

יוֹמָא חַד, בְּיַמָּא רַבָּא, לִוְיָתָן נָפִיק, וְכָל יַמָּא אִזְדַּעְזָע, וְכָל נוּנֵי אָזְלִין לְכָאן וּלְכָאן, כַּד מָטֵי לִוְיָתָן בְּפִתְחָא דְּפִתְחָא דִּתְהוֹמָא, שָׁארִי לְמֶחְדֵּי, וְאִשְׁתְּכַךְ תַּמָּן תְּהוֹמֵי, אֶלָּא הַהוּא כְּחֵיזוּ דִּמְעַיֵין, וְאִתְחַפְּיָין נְהוֹרִין, וְלָא אִתְחָזוּן כָּל אִינּוּן נְהוֹרִין, בַּר נְהוֹרָא דְּהֵיכָלָא בִסְטַר מִזְרָח דָּא.


Zôhar Sh'lach Lechá

Vamos a um ou duas explicações. Primeira: muitos estudantes de Cabalá (vou usar com a letra "C" mesmo) e até muitos, se não a maioria dos professores não sabem o que o Leviathan é e, portanto, já o associaram a muitas coisas através de interpretações erradas criando muita confusão na mente dos alunos. 

Eu omiti acima o segredo do Leviathan para o explicar aqui. O que ou quem é o Leviathan? Vamos começar pelas letras hebraicas que formam o nome Leviahtan (לִוְיָתָן) tanto em hebraico como no aramaico.

Leviathan (לִוְיָתָן) é um nome construído com duas palavras que são "Levi (לֵוִי)" e Than (תן) do ver "dar" cujo o segredo é "Than-Levi (por temurá)" que se traduz "Ele, o divino doador, deu a Levi." E, o que Ele, o doador divino, deu à Levi? A Sabedoria da Cabalá! Vejamos:

"A Sabedoria da Cabalá foi dada (Nathan)_a Adão no Jardim do Éden pelo Anjo Raziel. Adão a transmitiu para seus filhos incluindo Chanoch (Enoch) que alcançou o mais alto nível. Então, o Anjo Rafael veio e a ensinou a Noach (Noé) que a transmitiu para Shem que fundou uma Escola em Charan. Abraão veio e aprendeu com Shem. Ele a transmitiu a Isaac, que a ensinou a Jacob. Jacob transmitiu a seus filhos, em especial a Levi, que se assentou bem no papel de guardião principal da tradição (cabalá). Levi passou a seu filho, Kehat, que o passou a seu filho Amram. E Amram foi o pai do senhor de todos os profetas, Moisés."

Quem é o Leviathan? Ele é Moisés que veio de Levi. O termo Than (תן) é escrito com duas letras, que são "Tav (ת)" a última do alfabeto hebraico/aramaico e que é a inicial de Toráh (תוֹרָה) que por sua vez tem raiz na palavra "Hora'a (הוֹרָאָה) que significa "Instrução Divina" e a letra "Nun (ן)" que é a inicial da palavra "Nistar (נִסתָר)"  que significa "oculto". Than contém as letras iniciais de "Torat Nistar (תורת נסתר)" significando "Torah Escondida" ou "Torah Oculta" e também "A Torah Dos Mistérios".

O que o Divino doador deu a Levi? A Torah Oculta, a Instrução dos Mistérios. Moisés é o guardião da Torah dos Mistérios da qual o Zôhar é a chave.

Quando o Zôhar fala "e todos os peixes (segredos) se espalham em todas as direções..." usa o termo plural aramaico "Nunei (נוּנֵי)" que é o nome no plural "Nun", a nomenclatura da 14ª letra hebraica/aramaica que se traduz "Peixe". os peixes são os mistérios. O talmude e o midrash dizem que, o Leviathan come um peixe por dia.

JONAS & O GRANDE PEIXE


No Pirkê D'Rabbi Eliezer (Capítulo do Rabino Eliezer), quando Jonas é engolido pelo grande Peixe (Zeir Anpin) a pérola que brilha como o sol (o livro de Raziel) dentro do peixe lhe revela que, aquele dia era o seu de ser engolido pelo Leviathan. Jonas pede que o peixe lhe conduz às profundezas do grande mar para que ele o "livre e a ele também da boca do Leviathan...". Jonas diz ao Leviathan que, no fim dos tempos voltaria às profundezas e pescaria o Leviathan com um anzol (a letra Zayin) e serviria sua carne no grande banquete do messias aos tzadiqim, ou seja, o Zôhar é o anzol que pesca Moisés para servir sua carne (mistérios divinos e escondidos da Torah) ao mundo todo na Era Messiânica, e isso inclui a Tecnologia. 

Reinterpretando, quando Moisés (Levi) toma a Torah (ת) das profundezas através de duas aberturas que é o que o Zôhar menciona quando diz "Quando o Leviatã alcança a entrada da profundidade..." usa "be'pitchá d'pitchá (בְּפִתְחָא דְּפִתְחָא ) - abertura da sabedoria" uma vez que Pitchá vem de Patach que se refere à S'firá Chochmá na Árvore das Vidas indicando "Abertura da Sabedoria Escondida, "todos os peixes (mistérios ocultos) se espalham pelo grande mar (Torah) agitado pelo sopro da boca do Leviathan (o Espírito de Moisés).

Há muito tempo, na verdade, dois anos, venho meditando nesse segredo e há dois dias, pedi em oração ao Sagrado que me visitasse e me revelasse o segredo de Sagdon e Gilba que são as gemas que o Levithan tomou no dia no qual o Templo foi destruído (T'shá be'Av) e o que aconteceu esta madrugada na qual fui despertado pelo Sagrado que me contou estes segredos, motivo pelo qual eu estarei retirado no dia de hoje pois, não é possível para mim permanecer ligado totalmente às coisas mundanas.

O SEGREDO DO NOME LEVI

Há apenas um Levi na Toráh, ou seja, o terceiro filho de Jacó com Lia (Gênesis 29:34), que deu origem à casta sacerdotal dos levitas (que na forma singular é soletrada em hebraico, o mesmo que o nome Levi). : לוי e no plural masculino: לוים , levi'im. o nome Levi do verbo לוה ( lawa ) significando juntar, ser unido. Este é o verbo que Leah usa quando nomeia Levi, "Agora, desta vez meu marido se unirá a mim, porque eu lhe dei três filhos (Gênesis 29:34)." Leviathan, como a abertura do segredo do nome Levi, significa também "Aquele que foi unido, atado à Toráh dos Segredos. Neste ponto descobrimos que, todos os grandes patriarcas que revelaram segredos da Toráh Escondida, são também chamados "Leviathan" ou, como aparece no Bereshit "Taninim (Dragões)" e também "Grandes repteis".

Baruch Atá Atiqá Qadishá, Gal ha'Sodot (Bendito sejas Tu, óh Ancião Sagrado, que revela os segredos). 

Autor
Bën Mähren Qadësh
Deepak Sankara Veda​

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Edüt Arizal - O Testemunho Do Arizal


A Visita Do Arizal

Corriam os dias de abril no ano gregoriano de 2001, um ano que seria auspicioso para nós. Nossa Qehilá Eliahu Qibbütz funcionava em uma garagem emprestada no número 1445 da Avenida Armando Salles De Oliveira, próximo ao Suzano Shopping desde março de 2000 e antes do meio do mês nós teríamos que abandonar aquele lugar que gentilmente nos fora emprestado por um empresário do ramo de formaturas cujo nome é Benedictus.

Certa madrugada, fui visitado no sonho pela alma do meu Mestre, o Sagrado Leão de Safed, que viera para me revelar o que aconteceria nos dias futuros e um segredo da Torá Sagrada, um mistério que somente ele poderia revelar.

No sonho, fui colocado em pé virado de frente para uma parede de tijolinhos aparentes e ao fundo, atrás de mim, muitas vozes entoavam uma canção de Shabat, a mais bela de todas elas, cuja letra se encontra em Shemot (Êxodo) capítulo 31, versículos 16 e 17: "Vesham'ru, b'ney Israel, et ha'Shabat. La'assót, et ha'Shabat le'dorotam berit olam. Beini u'ven b'ney Israel, ot hi le'olam. ki sheshet iamim assá Adonai et ha'shamayim ve'et ha'aretz. u'vayom ha'shevii shabat vay'nafash (וְשָׁמְרוּ בְנֵי-יִשְׂרָאֵל, אֶת-הַשַּׁבָּת, לַעֲשׂוֹת אֶת-הַשַּׁבָּת לְדֹרֹתָם, בְּרִית עוֹלָם.  יז בֵּינִי, וּבֵין בְּנֵי יִשְׂרָאֵל--אוֹת הִוא, לְעֹלָם:  כִּי-שֵׁשֶׁת יָמִים, עָשָׂה יְהוָה אֶת-הַשָּׁמַיִם וְאֶת-הָאָרֶץ, וּבַיּוֹם הַשְּׁבִיעִי, שָׁבַת וַיִּנָּפַשׁ.)."

O meu santo Professor queria me revelar o segredo que jaz adormecido dentro das oti'ot (letras) desta maravilhosa canção e o presente que viria a com ela. Ele veio para revelar-me este segredo que, até agora, não havia sido revelado e não está escrito em qualquer outro lugar e também a sua constante presença e instrução a mim. seu discípulo.

Certa érev Shabat (véspera da Shabat), eu cheguei ao local, à aquela garagem dentro daquela casa antiga no número 1445, e, para minha surpresa, a encontrei vazia. As cadeiras, mesas, o fogão, tudo havia sido retirado, pois o empresário havia se mudado e nada havia nos comunicado. Fiquei triste mas, corri ao mercado junto com um dos nossos colaboradores na época, o meu irmão Ari,  e compramos dez cadeiras e um fogão e assim, a Shabat pode ser realizada.

Havia alguns dias que eu havia sido ordenado o Rabino da nossa comunidade, num ritual místico antigo e com a presença de meu Amado Professor e passado a ser chamado e conhecido pelo nome de Misha'Ël Ha'Levi cuja gematria é 583.

מישאל הלוי

Na semana seguinte, sai pela cidade, à procura da Casa que havia visto no meu sonho e que me fora dado pelo meu Mestre, o Arizal, e sabia no meu íntimo, que a iria encontrar. procurei por alguns dias, fiz cadastros em algumas imobiliárias e, quando menos esperava, certa tarde, o telefone tocou: "- Rabino? - Interpelou-me a voz do outro lado da linha. "- Tenho uma casa para o senhor!" - Completou a voz do corretor.


Minha primeira pergunta foi sobre o valor do aluguel, ao que ele me respondeu que seria de R$500,00. Imediatamente, pedi para que me conduzisse ao local para ver a residência. Ao chegar, vi o número da casa que era 583 e ao passar pelo portão de madeira, a primeira visão que tive foi da parede de tijolinhos aparentes. Era uma mansão com uma sala de três ambientes, quatro quartos, cozinha, lavanderia e uma bela piscina. Glorifiquei ao Sagrado, abençoado seja Ele e sai com o corretor para providenciar a documentação e preparar o contrato que foi assinado no dia 23 de abril, aniversário de ocultamento no calendário solar da alma do Rabino Chaim Vital, o mais proeminente discípulo do Arizal. O contrato tinha duração de 30 meses e vigoraria até ao dia 23 de outubro, data de nascimento do Rabino Chaim Vital no calendário solar em 1542.


No dias no qual o Arizal vivia entre nós na aldeia de Safed, ele frequentava a K'nesset-Eliahu (כנסת-אליהו) nome, cuja gematria é examente 583 e que é também a gematria do meu nome hebreu e título, Rav Misha'El (רב מישאל) e que era o número da residência e também a numerologia cabalista da expressão "Yavô tz'fat (יבא צפת)" que se traduz "Virá de Safed - A aldeia dos cabalistas" e é ainda a gematria de "Mi-she'zocher (מי שזוכר)" que significa "Aquele que se lembra (das vidas passadas)".


E por que o Arizal veio no sonho sobre a mercavá (carrugem divina) das palavras da Canção Vesham'ru? Porque seu nome inteiro está nela e somente ele poderia revelar tão grande segredo. Nosso mestre era conhecido pelo acrônimo Ha'Ari (האר'י) cujas 4 letras são as iniciais de "Ha'Elohei Rabbi Yitzchaq (O Divino Rabio Isaac), divino, porque a metade de sua alma era uma fagulha do Anjo Raziel, o professor dos mistérios divinos e o mestre de Adão no Jardim do Éden e que depois passou a ser chamado de Arizal (אריז"ל) cujas letras são as mesmas de Raziel (רזיאל), segredo este que também me foi revelado pelos lábios do próprio Arizal no dia 23 de outubro de 2013.

וְשָׁמְרוּ בְנֵי-יִשְׂרָאֵל, אֶת-הַשַּׁבָּת, לַעֲשׂוֹת אֶת-הַשַּׁבָּת לְדֹרֹתָם, בְּרִית עוֹלָם. יז בֵּינִי, וּבֵין בְּנֵי יִשְׂרָאֵל--אוֹת הִוא, לְעֹלָם: כִּי-שֵׁשֶׁת יָמִים, עָשָׂה יְהוָה אֶת-הַשָּׁמַיִם וְאֶת-הָאָרֶץ, וּבַיּוֹם הַשְּׁבִיעִי, שָׁבַת וַיִּנָּפַשׁ.

As letras marcadas em verde nas palavras dos pessuqim (versículos) do Êxodo capítulo 31 formam o acrônimo Ha'Ari, como meu mestre me havia revelado e foi por esta razão que ele veio sob as vozes desta canção, para selar o milagre que ele mesmo havia realizado e testemunhar sua visita com uma evidência. Abençoado seja a alma do nosso Santo professor, que realiza tais maravilhas para nós.

Quatorze anos depois da fundação da nossa Eliahu Qibutz eu alcançaria a consciência de Adão ao receber a neshamá divina e o número 1445 revelaria o seu segredo, sendo 14 o número de anos que se decorreriam e 45 a gematria de Adam. Então, o valor 12, conforme explicado em Sha'ar ha'Gilgulim brilharia sobre mim e outro segredo me seria revelado que é o nome Chaim Vital escondido na Canção de Havdalá, mestre e discípulo codificados nas principais canções entoadas em Shabat e Havdalá.

הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי אֶבְטַח, וְלֹא אֶפְחָד: כִּי-עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְהוָה, וַיְהִי-לִי לִישׁוּעָה.


Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

O Segredo Da Coluna De Fogo


"Rabi Akiva chorou e disse-lhe: Rabino, ensine-me a Orayita (אוֹרַיְיתָא)! O rabino Eliezer abriu a boca e, enquanto falava sobre as obras da carruagem divina (מַעֲשֵׂה מֶרְכָּבָה), um fogo cercou os dois. Os sábios disseram: Com isso aprendemos que não somos dignos; nem temos o privilégio de escutar as palavras de seus ensinamentos. Então eles sentaram do lado de fora do portão. Depois que tudo acabou, o fogo desapareceu". - Zôhar Parashat Vayera.

A palavra fogo é "Êsh (אש)" em hebraico e contém as letras iniciais de "El Shada'i (אֵל שַׁדַּי)" o divino revelador dos Mistérios Superiores (Razá Ila'áh)". O que era o fogo? Eram os segredos divinos falados pelo Anjo da Face (Metatron) pela boca do Rabino Eliezer ao seu discípulo Rabi Akiva. E o que lemos depois? Sobre Rabi Akiva?

""E quando Rabi Akivá abria (com sabedoria) sobre os trabalhos da Carruagem Divina (מַעֲשֵׂה מֶרְכָּבָה), sua boca estava no Sinai e suas palavras eram uma escada pela qual anjos ascendiam e descendiam, e em cada discurso seu, o anjo Metatron cavalgava em suas palavras". Zôhar Parashat Pinchás

Quem é digino de ouvir as palavras do Anjo Sagrado que são como um torvelinho de fogo que sobe da terra ao céus? 

"Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu Adonai a Abrão, e disse-lhe: Eu sou El Shada'i, anda em minha presença e sê perfeito (Gênesis 17:1)." 

E Adonai ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo para os iluminar, para que caminhassem de dia e de noite (וַיהוָה הֹלֵךְ לִפְנֵיהֶם יוֹמָם בְּעַמּוּד עָנָן, לַנְחֹתָם הַדֶּרֶךְ, וְלַיְלָה בְּעַמּוּד אֵשׁ, לְהָאִיר לָהֶם--לָלֶכֶת, יוֹמָם וָלָיְלָה.) - Êxodo 13:21


O que é a coluna de nuvem? São as 216 letras do Nome Sagrado que compõem os 72 Nomes, e por isso esta escrito "be'amud anan (בְּעַמּוּד עָנָן)" cujas iniciais são "beit e ayin" que formam o numeral 72. E o que é a coluna de fogo? São os mistérios revelados por El Shada'i e está é a razão de estar escrito "la'nichotam (לַנְחֹתָם)" cujas letras são as iniciais de "le'nodëa chochmat Torá misatér (לַנוֹדַע חוכמת תורה מסתרי)" que se traduz para "do conhecimento da sabedoria da Torá dos segredos" e por isso está escrito depois "le'hair lahem (לְהָאִיר לָהֶם) - para os iluminar..."


Autor
Dipankara Vedas
"Bën Mähren Qadësh"
Misha'Ël Ha'Levi

O Artesão Da Luz