O Buscador

O Buscador
"Quando olho para os Céus, não estou procurando por um Deus que vive no espaço exterior, estou lendo as estrelas e ouvindo os seus mistérios (Tehilim 19)". Deepak Sankara Veda

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

Boas Vindas

"ברוכים הבאים ממסורת עתיקה העברים במדבר". Bem vindo á Antiga Tradição dos Hebreus do Deserto ao "Zen Hebreu". Este site não representa o judaísmo, nada tem haver com judaísmo e com nenhuma de suas vertentes. Este "sítio" é um lugar onde Sabedoria é compartilhada

sábado, 14 de outubro de 2017

Guilgulim Ha'Rá: Reencarnações Do Mal


" - Morra! Nazista maldito!" Eram os meus rompantes exaltados diante do monitor do agora velho 386 que meu irmão havia montado em 1993 e onde estava instalado o jogo "Wolfenstein 3D" e que me cativou durante muitos anos. 

Naqueles momentos, minha repulsa pelo Nazismo e pelos Nazistas se tornava muito evidente e não era algo novo, vinha desde a minha infância. Me recordo do primeiro filme sobre Nazismo que assisti ainda com a idade de onze anos chamado "Os meninos do Brazil" com Gregory Peck, Sir Laurence Olivier e Rosemary Harris (a Tia May de Homem Aranha) no qual Peck era o médico nazista Joseph Mengele e Sir Laurence era Ezra Lieberman, um caçador de Nazistas foragidos. Outros filmes dos quais me lembro foram a mini série "Holocausto" com James Wood e Meryl Streep e ainda outro e dentre estes meu preferido "O Dossiê Odessa com Jon Voight". 

Havia pouco mais de dois anos que a Guerra do Golfo havia terminado e quase três anos que havia tido uma experiência bastante mística relacionada com o nazismo. Era 1990, agosto, Saddam Hussein havia a pouco invadido o Kwait e o mundo estava temeroso com a deflagração da guerra. Eu estava com amigos, um grupo de cristãos em uma sala da Comunidade que frequentava e na qual havia um mapa mundial pregado na parede Norte. Se crê que orações podem evitar guerras mas, no entanto, nenhuma guerra foi evitada por preces apaixonadas, amparadas por exaltações pentecostais e este grupo se propôs a fazer uma oração pedindo pela intervenção divina sobre os rumores da guerra.  Eles chamavam este tipo de prece de "Oração Intercessória". 

Enquanto oravam eu vi quando pequenas bandeiras suásticas nazistas começaram a surgir em todos os países impressos no mapa pregado à parede Norte e foi quando uma doce e suave voz feminina sussurrou ao meu ouvido dizendo: "O nazismo não está morto! Está apenas dormindo!" Era a "Bat Qol (Voz da Shechiná)" me instruindo a alma, uma centelha das muitas que formam a vestimenta da minha néfesh e que havia vindo dos Campos de Auschwitz durante o Holocausto e que era o segredo por trás da minha repulsa pelo nazismo e, principalmente, por Hitler.



Em 2 de Agosto de 1990, Saddam Hussein invadiu o Kuaite. Imediatamente, no dia 6, a ONU promulgou a Resolução 661 que impunha sanções ao Iraque. Saddam Hussein disparou 95 mísseis Scud contra o Estado de Israel. A guerra se estendeu até o dia 28 de Fevereiro de 1991, quando terminou.

Na Torah, em Meguilat Ester  (Pergaminho de Ester) nos temos a história do perverso Haman, um descendente de Amaleq que intentou destruir o povo Judeu na época na qual Ester era rainha da Pérsia. O plano de Haman foi frustrado no dia 13 de Adar (12°mês hebreu). No dia 14 foi promulgada por Ester a Festa de Purim que comemora a vitória dos judeus contra Haman.

Haman em hebraico (הָמָן) é igual a 95 em gematria e Amaleq é igual a 240. Ester (אֶסְתֵּר) resulta em 661. Saddam Hussein (סאדאם חוסין )é igual a 240 (Amaleq) que lançou 95 Scuds (Haman). A ONU promulgou a sanção 661 que é Ester e a guerra terminou no exato dia de Purim (28 de Fevereiro) que foi 14 de Adar.

Desde pequeno eu fui tomado subitamente por fragmentos de memória nos quais eu estava sempre cercado por homens da Gestapo vestido em seus negros e brilhantes uniformes. Era assustador quando isto me acontecia. Lembranças da alma que em mim havia reencarnado.

Alguns anos se passaram e em 2001 eu redigi a apostila "AMALEK" que usei para minha primeira preleção sobre os segredos do Nazismo em uma palestra na nossa sinagoga em Suzano. Este material seria a base para o meu Livro "Amaleq - As Origens Ocultas Do Nazismo". Em 2002, noutra experiência mística, a alma do falecido Rabino Yehudá Ashlag veio a mim e me disse: Vem! E eu te mostrarei o segredo escondido no nome do perverso Hitler. Rabi Ashlag escreveu em hebraico diante dos meus olhos o nome do malvado (היטלר) e me disse: " - Este é um Notarikon (acrônimo) de 'Haman Yashuv Torquemada Le'Rotzêach (הָמָן יָשׁוּב טורקומאדה לרצוח)". Tendo me mostrado este mistério, a alma de Rabi Ashlag se esvaneceu desaparecendo diante dos meus olhos. 

O nome Hitler contem as iniciais de "Haman retornará em Torquemada para assassinar (הָמָן יָשׁוּב טורקומאדה לרצוח)" e para os que não conhecem, o demônio Haman foi o arqui-inimigo dos judeus na Pérsia há cerca de 2400 anos e que intentou destruí-los, promulgando uma lei com o selo do Rei Achashverosh, saquear-lhes os bens após a sua destruição. Haman reencarnou em Tomás de Torquemada, o Inquisidor Católico espanhol que assassinou, nos tribunais da "santa inquisição", milhares de pessoas. Cerca de 400 anos depois, Haman, tendo a alma fragmentada em três centelhas, reencarnou em Hitler, Stalin e Mussolini, tentando levar a cabo a sua vingança. No tempo em que ele foi o conselheiro do Rei na Pérsia, ele era chamado "Haman Ben Hamedata, o Agagi (הָמָן בֶּן-הַמְּדָתָא הָאֲגָגִי)" nome este cuja gematria é igual a 619 e está por sua vez é a mesmas dos três perversos mencionados acima, evidenciando que Stalin, Mussolini e Hitler (מֻסוֹליני סְטַלִין הִיטְלֵר) eram reencarnações de Haman e ainda há mais. O perverso título "Ha'Agagi (הָאֲגָגִי)" esconde outro segredo pois suas cinco letras são as iniciais dos nomes "Himmler (הימלר), Eichmann (אייכמן), Goering (גרינג), Goebbels (גבלס) e Joseph Mengele (יוסף מנגלה)".


Ainda em 2002, tomando por estas revelações, numa tarde de shabat na qual eu assistia junto com minha noiva ao filme "Pitch Black (Eclipse Mortal)" com Vin Diesel, foi tomando e preenchido com o roteiro que seria a base do meu primeiro documentário "Amalek - As Origens Do Nazismo".

Todo este conhecimento e segredos resultaram no livro "AMALEQ - AS ORIGENS OCULTAS DO NAZISMO" publicado em 2011.

Em 2007, fui convidado pelo meu amigo Raul Kuk para uma palestra que seria proferida pelo Dr. Wilmes Roberto Gonçalves Teixeira que foi o chefe da Força Tarefa que exumou os restos do carrasco nazista morto no Brasil em 1979, o médico-monstro Dr. Joseph Mengele. Eu possuo até hoje um autografo que me foi dado por ele.

No Tana'k, na Meguilat Ester, no capítulo 9 onde são mencionados os nomes dos dez filho de Haman e que foram perdurados (depois de morrerem na batalha contra os judeus) juntamente com ele na forca que ele havia erguido para enforcar o judeu Mordechai, há um segredo profundo e maravilhoso. Três dos nomes dos dez filhos de Haman aparecem escritos com uma de suas letras menor. São estes os nomes dos dez filhos de Haman: Farshandata, Dalfon, Aspata, Porata, Adalia, Aridata, Farmashta, Arisai, Aridai e Vaizata.



No pergaminho acima, na coluna à direita estão escritos os nomes dos dez filhos de Haman. No primeiro, Farshandata (פַּרְשַׁנְדָּתָא), a letra "Tav (תָ)" está escrita num tamanho menor que as outras letras que compõem o nome. No sétimo nome, Farmashta (פַּרְמַשְׁתָּא), a letra "Shin (שְׁ)" também está escrita em um tamanho menor que as outras, e no último nome, Vayzata (וַיְזָתָא), a letra "Zayin (זָ)" também está grafada em um tamanho menor. Qual seria o segredo?

A tradição nos informa que foi o judeu Mordechai quem escreveu a Meguilat Ester e que foi ele quem grafou estes três nomes assim. Ao juntarmos estas três letras hebraicas, "Tav Shin Zayin (תָשְׁזָ)" elas formam a grafia usada para representar anos e o ano que elas juntas representam é o ano de 706 do quinto milênio, ou seja, ano 5706 que se iniciou na noite do dia 25 de setembro de 1946. E o que aconteceu neste ano que havia sido escondido dentro dos nomes dos filhos de Haman? O Tribunal de Nuremberg!

O Tribunal de Nuremberg (português brasileiro) ou Nuremberga (português europeu) constituiu numa série de tribunais militares, realizado pelos Aliados depois da Segunda Guerra Mundial, conhecidos pelos processos contra os proeminentes membros da liderança política, militar e econômica da Alemanha Nazista. Os julgamentos ocorreram na cidade de Nuremberg, Alemanha, entre 20 de novembro de 1945 e 1º de outubro de 1946. O tribunal de Nuremberg decretou 12 condenações à morte, 3 prisões perpétuas, 2 condenações a 20 anos de prisão, uma a 15 e outra a 10 anos. Hans Fritzsche, Franz von Papen e Hjalmar Schacht foram absolvidos.

Os sentenciados à morte foram condenados ao enforcamento. Dos doze, um cometeu suicídio (Hermann Goering) e outro (Martin Bormann) foi condenado In Absêntia (ausência). Ao todo, dez foram enforcados selando este mistério maravilhoso da reencarnação.

Eis o que lemos na Meguilat Ester: "E disse o rei à rainha Ester: Na fortaleza de Susã os judeus mataram e destruíram quinhentos homens, e os dez filhos de Hamã; nas mais províncias do rei que teriam feito? Qual é, pois, a tua petição? E dar-se-te-á. Ou qual é ainda o teu requerimento? E far-se-á. Então disse Ester: Se bem parecer ao rei, conceda-se aos judeus que se acham em Susã que também façam amanhã conforme ao mandado de hoje; e pendurem numa forca os dez filhos de Hamã (Ester 9: 12 & 13)".

וַיֹּאמֶר הַמֶּלֶךְ לְאֶסְתֵּר הַמַּלְכָּה, בְּשׁוּשַׁן הַבִּירָה הָרְגוּ הַיְּהוּדִים וְאַבֵּד חֲמֵשׁ מֵאוֹת אִישׁ וְאֵת עֲשֶׂרֶת בְּנֵי-הָמָן--בִּשְׁאָר מְדִינוֹת הַמֶּלֶךְ, מֶה עָשׂוּ; וּמַה-שְּׁאֵלָתֵךְ וְיִנָּתֵן לָךְ, וּמַה-בַּקָּשָׁתֵךְ עוֹד וְתֵעָשׂ. יג וַתֹּאמֶר אֶסְתֵּר, אִם-עַל-הַמֶּלֶךְ טוֹב--יִנָּתֵן גַּם-מָחָר לַיְּהוּדִים אֲשֶׁר בְּשׁוּשָׁן, לַעֲשׂוֹת כְּדָת הַיּוֹם; וְאֵת עֲשֶׂרֶת בְּנֵי-הָמָן, יִתְלוּ עַל-הָעֵץ.

O Rei é o Sagrado, bendito seja Ele, e Ester é a Shechiná (Presença Divina) e o Rei Santo concedeu a ela a realização do seu pedido e novamente os dez filhos de Haman foram enforcados.

Clique Na Imagem

Hitler está codificado cinco vezes dentro da Meguilat Ester, lembrando que o Pergaminho foi escrito há 2400 anos, e em estreita proximidade com ele está "Haman, o Agagi" e cruzando Haman está "Nazista (נאצי)" sendo a letra "Tzad (צ)" de "Natzi" é a mesma da palavra usada para forca no verso.

Continuará...

Autor
Dipankara Vedas

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Iª CONFERÊNCIA CRIPTO-UFOLÓGICA DE SUZANO


A ufologia mundial possui uma consciência defeituosa. Ela acredita que seres ultraterrestres, extraterrestres ou interplanetários e que emergiram há mais de 4 bilhões de anos precisam de veículos físicos ou aparatos mecânicos para se deslocarem ou para entrarem no nosso universo. Esta ufologia é uma ciência viciada e dogmática religiosa e que precisa de elevação!

Seres que foram criados há milhões de anos precisariam de aparatos mecênicos para entrarem e atuarem no nosso mundo? 


Existem híbridos humanos angélicos alienígenas entre nós? Existe alguma evidência que comprove este fenômeno extraterrestre? Um Star Kid pode ser definido como uma criança com atribuições humanas e extraterrestres (Angélicas) em sua origem. Star Kids são predominantemente humanos, mas não inteiramente. Eles são humanos, mas diferentes. Com certeza, eles têm dois pais biológicos humanos e nascem aqui na Terra através do parto regular. Eles, em sua maioria se parecem com outras crianças. Eles vêm em todas as etnias e nacionalidades e com antecedentes familiares. Eles são cidadãos da Terra.

Venha participar da Primeira Conferência Ufológica Sementes Estelares, como o tema "Ishim: Os humanos angélicos", e descubra segredos milenares que antes não foram revelados e descobrir as respostas para estar intrigantes perguntas e afirmações.

A Conferência

Será dividida em duas partes. A primeira conterá a exposição dos códigos criptográficos que revelam a Abdução do Profeta Elias e o segredo da Abdução do Profeta Jonas por uma máquina submarina da Atlântida. A segunda conterá a exposição do segredo das Crianças Das Estrelas e dos Adultos Estelares.



Data & Local


Dia 28 de outubro de 2017 das 14h às 18h. Local: Auditório da ACE SUZANO. Endereço: Rua Presidente Rodrigues Alves, n° 157 Vila Centenário - Suzano - São Paulo (Mapa). Telefone: (11) 4744-8400

O Conferencista

O escritor Deepak Sankara Veda, autor de dezesseis obras literárias, incluindo Adamá – As Origens Secretas Da Humanidade -, Câmaras Do Tetraedro, B’ney Kochavim – Os Filhos Das Estrelas – e Kalamus Elohai – O Mistério Do Cometa – será o conferencista. Deepak também é Especialista em Criptologia Hebraica e em Cripto-Ufologia. Músico multi-instrumentista e Poeta Místico membro do Grupo Mundial “Poetas Del Mundo” sediado no Chile.


O Investimento

A participação é reservada por uma contribuição no valor de R$50,00 que inclui um Coffe Break (pausa para café) e um quilo de ração animal que será doada a alguma Ong que cuida de animais abandonados. Para reservar sua participação. clique no botão abaixo. Os convites estão disponíveis até o dia 24 de outubro. De 50 lugares ainda estão disponíveis ainda 40. Corra e faça sua inscrição antes que os lugares se esgotem.

Clique Aqui
Realizada sua reserva, não é preciso enviar nenhum comprovante, pois o Pagseguro Uol nos enviará os dados e comprovação de reserva.


Até Lá! Saudações Estelares


Deepak Sankara Veda

"Bën Mähren Qadësh"





quarta-feira, 4 de outubro de 2017

O CÓDIGO 778


Shoá Atomit - O Código 778 

Continuando as análises do Código 778 e para que, fica claro e estabelecido que não se trata de achismo ou dogma ante ou pós-apocalíptico, aqui forneço evidencias do que recebi dos meus mestres que são os santos anjos e dos rabbis da Academia Celestial. 

Em 26 de abril de 1986, dez anos antes que o jornalista e escritor Michael Drosnin, autor do best seller "The Bible Code (O Código Da Bíblia)", publicado em 1997, descobrisse a Key-Code (Palavra Chave) "Shoá Atomit (Holocausto Atômico), aconteceu à 1h23 da manhã, o desastre nuclear de Chernobyl, na Ucrânia. 

Foi por inspiração divina que eu fui informado da importância da gematria da palavra-chave Shoá Atomit (שואה אטומית) que é 778 e o qual o autor do Código da Bíblia e os posteriores analistas de códigos bíblicos em todo o mundo não perceberam. 

Em 22 de fevereiro de 2011, eu recebi, por reencarnação, uma alma vinda do futuro, do ano 2043 e cujas lembranças de um mundo pós holocausto atômico me conduziram às lágrimas, verdadeiramente ao pranto. Ela me conduziu ao que restou da terra num universo pós apocalíptico me revelando a humanidade empobrecida e doente radioativa no que sobrou no mundo. Esta centelha reencarnada em mim me inspirou à poesia "Silêncio" e para mostrar-lhes que foi inspiração divina, a gematria de "Em 22 de Februar (בכ"ב ב"פברואר)" possui valor igual a 515 que é o mesma da palavra "Shirá (שירה)" que significa "Poesia".

"Silêncio! As vozes se calaram. O único som que ouço é o do vento uivando sobre as pedras, ruínas das antigas construções, monturos assolados pelo tempo que os castiga como um chicote invisível. Mesmo os demônios estão em silencio agora...

Não ouço mais o coaxar dos sapos e nem o som dos grilos que preenchiam a noite com suas canções. O galo se foi. Sua voz foi calada há quarenta e dois anos. O único som agora é a voz síntese do velho hardware, aquela cabeça metálica de olhos vermelhos colocada em cima do velho balcão de mármore.

- Água senhor? – Ela pergunta – O teor de radiação está baixo hoje – terminou. A mesma música entoada uma vez na semana. As vozes? Elas se calaram. Os demônios estão em silencio agora.

Ahh! Eu desejava ouvir a voz do velho rabino, aquele de barbas brancas de longos peyot , quando ele dizia para prestarmos atenção às pequenas vozes, as vozes dos humildes, andarilhos iluminados, centelhas do alfabeto místico, avisando a humanidade que o dia chegaria, quando as vozes se calariam.

Lá no interior, os demônios continuam em silêncio. Suas vozes foram silenciadas pela voz da maldade que plantara residência na câmara esquerda do templo do coração do homem.

O gueto esta frio hoje. Pessoas se reúnem ao redor do fogo aceso dentro do velho barril de petróleo, sangue negro, chamavam-no. Ele não existe mais. As veias estão secas e o sangue já não corre mais...

As manchas brancas cobrem a pele. Deveria ser um bom sinal, mas não é. A lepra voltou devorando a alma dos homens, mulheres e crianças. Nem os animais escaparam. Os contaminados são exilados. Eles os mandam para o vale do esquecimento onde a voz jamais se reerguerá. Eles a usaram maliciosamente. Difamaram com ela. Suas calunias foram lançadas ao vento como as folhas do velho carvalho que ficava na floresta de chaiim. Ele também se calou. O vento já não uiva mais por entre os seus frondosos galhos.

Ahh! Onde está a voz do rabino? Foi calada pelos religiosos dogmáticos. Suas centelhas luminosas já não mais crepitam pelo ar. Mesmo os demônios não falam mais. Calaram-se no interior.

Onde estão as vozes dos poemas e dos poetas? Calaram-se também. Elas causavam comichões nos ouvidos da humanidade. Elas acusaram: - Foram os poderosos, os lideres das nações, em seus palácios decorados com sangue. Sangue dos inocentes. Eles as fizeram calar. Elas causavam comichões aos ouvidos do poder.

O brilho nos cegou os olhos. Foi em 2013. Detonaram a velha arma russa trocada por um pedaço de pão para alimentar as crianças famintas. Todas elas morreram com o calor nuclear.

Silêncio! As vozes se calaram. O único som que ouço é o do vento uivando sobre as pedras, ruínas das antigas construções, monturos assolados pelo tempo que os castiga como um chicote invisível. Mesmo os demônios estão em silencio agora...

Ah! Onde está a voz do velho rabino? Eu desejava ouvi-la agora. Calou-se. Mesmo lá no interior há silencio agora, nem mesmo os demônios sussurram mais...".

Depois, em 2012 eu recebi, também por inspiração divina, o "Poema do Ocaso" o qual publiquei em um curta metragem que gravei:


"Lembranças, fragmentos de pensamentos que tivemos, vidas que vivemos. Este é o nosso purgatório, nosso inferno. Sim, estamos mortos. Nós destruímos a terra e já não mais vivemos e tudo o que nos restou foram as lembranças, fragmentos de pensamentos que tivemos. Estamos mortos agora...".


Desde aquele ano, 2012, que venho, em um esforço espiritual, publicando as revelações sobre o Holocausto Atômico, sobre o qual, recebi, novamente por divina inspiração, o conhecimento do dia, mês e ano no qual ele seria detonado, o dia 16 de julho de 2013, sessenta e oito anos após o primeiro teste atômico em Alamogordo, no Novo México. A data cairia em T'shá be'Av de 5773 (9 de Av de 5773).



16 de Julho de 1945
טז יולי תשה
=778

(In Ha'Kollel)

Holocausto Atômico
שואה אטומית
=778

Este valor, 778 é o mesmo da frase "Av be'5773 (אב ב'תשע״ג) - Julho/agosto de 2013". O karma atômico que o mundo criou nos alcançaria no mesmo dia no qual, 68 anos antes, no dia 16 de Julho de 1945 ele fora criado. Dezesseis de Julho de 2013 foi exatamente o dia 9 de Av de 5773 - O dia mais iluminado do ano, no mês regido pelo sol e tido pela religião judaica como o dia mais negativo do ano e não é o dia que é negativo, mas os pensamento e ações negativas da humanidade que ganham vida em um dia tão iluminado.


Av be'5773
אב ב'תשע״ג
=778

Sabemos que seria a Coréia do Norte que iria deflagar este Holocausto Atômico, pois isto está no mesmo código descoberto por Michael Drosnin mas que ele não viu. A expressão "Coréia mi'Tzafon Alef Milchamá Atomí (מצפון קוריאה: א מלחמה אטומי)" possui a mesma gematria de "Shoá Atomit".


A expressão "Karma ha'atomí yketz ha'olami (קארמה האטומי יקץ העולםי) - O karma atômico será o do mundo" possui gematria igual a 778.


CLIQUE PARA AMPLIAR

Este, acima, é o Código descoberto por Michael Drosnin. Eu encontrei não apenas Coréia do Norte, como também o ano (5773/2013) como a expressão "ki avód tôavedon (
כִּי אָבֹד תֹּאבֵדוּן)" cuja tradução é "pois sereis destruídos" e que é parte de Devarim (Deuteronômio) pereq 8, décimo nono passuq (versículo) cuja gematria é 500. Perguntamos "como, por qual meio serão destruídos?" e ao juntarmos a expressão "be'pitzutz (בפיצוץ)" que traduzido é "na explosão" e cujo valor é 278 e ao somarmos com a gematria do final do verso de Devarim, o resultado é 778.

Como nos salvamos se o destino da humanidade era, sem sombra de dúvida, o Holocausto Atômico e a destruição de quase todo mundo?

A POESIA

Sabemos que as poesias que vieram do futuro, vozes de um clamor pós-apocalíptico e a alma do Rabino Chaim Vital vestida por inúmeras outras centelhas de almas e anjos, moveram o coração do Divino que fez adiar o destino da humanidade e nos permitindo escapar do Holocausto Atômico em 16 de julho de 2013.

Em hebraico, a sentença "ha'Mashiach Hayim Vital ha'tziláh ha'Olam (המשיח חיים ויטאל הצילה העולם) - O Messias Chayim Vital salvou o mundo" resulta, em gematria hebraica, exatamente o mesmo valor de "Shoáh Atomit (Holocausto Atômico)".



המשיח חיים ויטאל הצילה העולם
=778

Voltemos a 1986 é o desastre atômico de Chernobyl. A expressão "Shoá Atomit (שואה אטומית)" sobre a qual já conhecemos o seu valor em gematria que é 778 é a chave que nos permitiu compreender o que viria no futuro e, com a Graça do Sagrado, escaparmos de um desastre atômico mundial. A maior evidência estava escondida no próprio desastre nuclear de Pripyat. Ao calcularmos a expressão "Em Chernobyl na Ucrânia (הבאה בצ'רנוביל באוקראינה)" a gematria é exatamente a mesma de "Shoá Atomit" que é 778 e quando calculamos a data e o ano nos quais o reator nuclear de Chernobyl explodiu, descobrimos que não foi acaso, pois "26 abril 5746 (כו א ה'תשמ"ו)" resulta em gematria igual a 778.


Se o desastre atômico de Chernobyl podia ser evitado, por que então não foi? Faltaram almas para realizar este milagre ou o número dos Lamed Vav Nistarim era menor que 36? Porque a sabedoria divina nos informa que, quando o número dos imortais escondidos é menor do que 36 em uma geração, o mundo corre o risco de ser destruído. A gematria de "18 Imortais Ocultos (חי נסתרים)" é igual a 778!


Nós estamos agora no ano 778 e até este momento parece que conseguimos evitar novamente o Holocausto Atômico, com a ajuda da Sabedoria Divina, pois orações não podem salvar o mundo e sim e unicamente ações espirituais e principalmente mérito adquirido pela prática e estudo da Sabedoria Escondida da Torá: A QABALÁH e o Zôhar!




"Lembranças, fragmentos de pensamentos que tivemos, vidas que vivemos. Este é o nosso purgatório, nosso inferno. Sim, estamos mortos. Nós destruímos a terra e já não mais vivemos e tudo o que nos restou foram as lembranças, fragmentos de pensamentos que tivemos. Estamos mortos agora...".

"Ah! Onde está a voz do velho rabino? Eu desejava ouvi-la agora. Calou-se. Mesmo lá no interior há silencio agora, nem mesmo os demônios sussurram mais..."




Autor
Dipankara Vedas
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

terça-feira, 3 de outubro de 2017

O Esconderijo Do Altíssimo


"Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, estará sempre sobre a sua proteção (יֹשֵׁב, בְּסֵתֶר עֶלְיוֹן; בְּצֵל שַׁדַּי, יִתְלוֹנָן.)" 

- Tehilim 91:1 

Primeiro: Por que o Tehilim (Salmos) 91 é considerado o mais poderoso dentro todos os outros? Alguém poderá responder: Porque é o Salmo dos Anjos! O que me leva à réplica: E por que este Tehilim é considerado o Salmo dos Anjos? Vamos as respostas: 

O segredo consiste em gematria que é o cálculo do valor numerológico atribuído às letras da Toráh (alfabeto hebraico) e que são ao todo 23, sendo vinte e duas reveladas e uma letra oculta (ha'ót ne'elam). A palavra da qual se empresta o significado de "Anjo" é "Málach (מַלְאָךְ)" e que significa verdadeiramente "mensageiro (anjo vem do latim "angelus")". Malach é escrita com "mem (מַ), lamed (לְ), alef (אָ) e chaf sofit (ךְ) cujos valores numerológicos são 40, 30, 1 e 20 e que, quando somados resulta em 91 e de fato o Salmo fala dos anjos e contem a energia deles, como o verso 11 deixa claro ao dizer "Porque aos teus mensageiros darás ordem a teu respeito, para te protegerem em todos os teus caminhos (כִּי מַלְאָכָיו, יְצַוֶּה-לָּךְ; לִשְׁמָרְךָ, בְּכָל-דְּרָכֶיךָ.)". Dentro deste verso está o Nome do "anjo" que deve ser ordenado por aquele que possui autoridade para esta realização. 

Vamos quebrar o ego religioso: Ninguém pode comandar um anjo sem conhecer o seu nome e a sua função. Não é como no cristianismo onde os cristãos-evangélicos gritam "vai lá anjo do Senhor e quebra ele". Isto é a mais pura tolice e manifestação do ego. 

Agora vamos quebrar o ego do pseudo-cabalismo: Muito se fala na prece do Nome de 42 Letras (Ana Be'choach) e especialmente do segundo verso "Kabel rinat anchá, saguevênu taharêno norá" cuja as iniciais formam "Kerá Satan (Rasga o Satan)". É claro que este verso e como cada um dos outros contém e carrega a energia de seis anjos e, você sabe quais são os seus nomes? Bem, feita esta introdução, vamos ao que me propus no coração, que é revelar o segredos do primeiro verso do Tehilim 91: 

"Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, estará sempre sobre a sua proteção (יֹשֵׁב, בְּסֵתֶר עֶלְיוֹן; בְּצֵל שַׁדַּי, יִתְלוֹנָן.)". O verso diz "Yoshév (יֹשֵׁב)" que é "sentar, permanecer, habitar" e por último provém da mesma raiz de "yeshivá" que é a "Academia de estudos da Toráh" onde os mestres se sentavam para estudar os seus segredos, e, portanto, compreenda que se refere àquele que se senta e permanece estudando a Sabedoria da Torah, e especialmente a Sabedoria Secreta que é a QABALÁH, conforme vemos a seguir quando diz o verso "be'séter elion (בְּסֵתֶר עֶלְיוֹן)" cuja tradução correta é "no segredo superior (do Altíssimo)" que é o Sêfer ha'Yetzirá (ספר היצירה) - O Livro da Formação - que foi dado a Abraão pelo Anjo Shadai que é o Canal do Anjo Metatron para o mundo, pois o termo "séter (סֵתֶר)" que é "segredo e esconderijo" possui gematria igual a 660 que é o mesmo valor de "Sêfer ha'Yetziráh (ספר היצירה)" e portanto, o verso está dizendo "Aquele que permanece estudando os segredos ocultos do Livro da Formação, sob o conselho (Instrução) de Shadai, estará sempre em segurança". 

Por que "Shadai (שַׁדַּי)" é o canal de Metatron no mundo? Porque Shadai possui a mesma gematria de Metatron que é 314 e este, por sua vez é o valor de "Guilgul Raziel (Reencarnação de Raziel)" indicando que está pessoa que é o canal de Metatron possui, também, uma centelha do Anjo Raziel. E quem é este que possui tão maravilhosa centelha e que se tornar o instrutor dos mistérios divinos para a humanidade? Vamos analisar a gematria: 

O verso diz "be'tzël Shadai (בְּצֵל שַׁדַּי)". A palavra "be'tzël (בְּצֵל)" cujo significado é "à sombra" possui gematria "Mispar Bone'eh" igual a 216 e esta é a mesma de "Ha'Ari (האר"י)" cujo significado é "O Leão" e cujas letras são as iniciais de "ha'Elohai Rabbi Isaac (O Divino Rabbi Isaac) que é o título do mestre Isaac Lúria chamado Arizal (אריזל) e cujas as letras são as mesmas de "Raziel (רזיאל)" que foi o professor de Adão no Jardim do Éden. Já a gematria Mispar Kollel de "betzël (בְּצֵל)" é 123 que é a mesma de "Chaim Vital (חיים ויטל)" o nome do mais proeminente aluno do Rabino Isaac Lúria e a razão pela qual ele veio a este mundo. 

Depois do ocultamento do Anjo de Adonai deste mundo, o Mestre Chaim Vital escreveu: "Eu e o Ari somos um (הארי ואני אחד)" e, aqui, revelamos o que antes não havia sido revelado e mais: Quando o Rabbi Isaac Lúria faleceu, sua alma se uniu à alma do Rabino Chaim Vital por Yibur e como o Arizal era a reencarnação do Santo Anjo Raziel, a centelha deste Anjo Sagrado se unificou por "daveká (Aderência) à alma do Rabino Chaim Vital e este é o segredo de "be'tzël (בְּצֵל) Shadai (שַׁדַּי) - à sombra de Shadai" e o Nome Divino Shadai possui a mesma gematria de "Guilgul Raziel (גלגל רזיאל)" que é "uma reencarnação de Raziel" cujo valor é 314 que é Metatron! 

Para concluirmos, a palavra final "Yitlonan (יִתְלוֹנָן)" possui o mesmo valor de "shomer (שומר)" que é "proteção" e por isto se diz que "ele estará seguro" e é devido à sua permanência sob o conselho da Sabedoria Escondida da Toráh.

Autor
Dipankara Vedas
"Bën Mähren Qadësh"


sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Os Nascidos De Deus


O Conhecimento Liberta

Quantas pessoas foram enganadas pela religião, iludidas e por causa deste engano, tiveram seus processos de Tikun (Correção) prejudicados. Venha, veja e Compreenda:

Yochanan Ha'Shaliach, disse: " Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca (I João 5:18)".

A tradução foi realizada para iludir as pessoas e dar o controle de suas almas à religião e de forma algum o texto original hebraico/aramaico diz o que se lê nesta tradução.

"Yodeim ki kal  mi shê-noléd me-Elohim einênu chotê, hú asher noléd me-Elohim shomér otô ve'ha'rá einô noguêa bô (יוֹדְעִים אָנוּ כִּי כָּל מִי שֶׁנּוֹלָד מֵאֱלֹהִים אֵינֶנּוּ חוֹטֵא; הוּא אֲשֶׁר נוֹלַד מֵאֱלֹהִים שׁוֹמֵר אוֹתוֹ וְהָרַע אֵינוֹ נוֹגֵעַ בּוֹ)".

A melhor tradução, de acordo com a Chochmat Nistar Ha'Torá (Sabedoria Escondida da Toráh) - o Zôhar e, atado aos ensinamentos do Arizal (Rabbi Isaac Lúria) e seu fiel "escudeiro", o Rabino Chaim Vital em Sha'ar Ha'Guilgulim (Portão das Reencarnações) seria esta aqui:

"Conhecemos que todo aquele que é nascido dos Elohim, nele não existe pecado, ele que é nascido dos Elohim é protegido e o mal não lhe pode tocar".

Está pessoa que é um "Ishim (Humano-Angélico)" não pode ser prejudicada pelo mal e não adquire manchas, mesmo que venha a pecar, pois é como se não tivesse pecado, pois seus pecados (de acordo com o Portão das Reencarnações) não é considerado nos céus. E o que acontece quando ela morre?

"Vê'yashóv hê'afar al ha'aretz, ke'shê'hayá, vê'ha'ruach tashuv el ha'Elohim asher netaná (וְיָשֹׁב הֶעָפָר עַל-הָאָרֶץ, כְּשֶׁהָיָה; וְהָרוּחַ תָּשׁוּב, אֶל-הָאֱלֹהִים אֲשֶׁר נְתָנָהּ.)" - Qohelet 12:7

Traduzindo: "E retorne ao pó da terra que a deu, e o espírito retorne aos Elohim que o deram" - Eclesiastes 12:7

Para completar esta revelação, vou usar temurá (permutação cabalistica para revelar o que que ainda está escondido no verso, na palavra "afar (עָפָר)" que significa "pó". Usando a cifra "Atba'sh" a palavra "afar" se torna "zug" que é "unificação" por "casamento", indicando que a néfeh (alma) desta pessoa foi unificada com uma faísca do ruach (espírito) dos Elohim e portanto, esta pessoa não é um humano comum, mas um humano-angélico como Moisés, nosso Mestre, de abençoada lembrança e que, portanto, esta pessoa é um tipo raro no mundo.

Agora, por bondade Divina, uma pessoa pode vir para uma reencarnação depois de fazer suas correções e receber uma faísca dos Elohim que vai ajudá-la a atingir a iluminação e pode vir a ser um Buda, um Cristo em sua geração.

Por esta revelação, todo enganado é desfeito e as pessoas poderão corrigir-se através deste conhecimento sagrado.

 Abençoado seja o Sagrado, bendito seja Ele, que nos revela os seus mistérios. Baruch Hashem ha'Qadosh baruch Hú! Razá Ila'áh. 

Autor
Deepak Sankara Veda
"Bën Mähren Qedësh".
Misha' Ël Ha' Levi​

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O Nascimento Da Era De Aquário


Um Segredo Sobre O Rabino Isaac Lúria

Ainda hoje, existem profundos mistérios escondidos na Torá Sagrada de Hashem e para os quais poucos tem e terão permissão para os contemplar. O Selo divino na vida de um verdadeiro qabalista são os mistérios que ele recebe das almas dos sábios e dos anjos. Eis aqui um segredo maravilhoso:

A trigésima milésima centésima setuagésima segunda (30.172) letra da Torá, é a letra Lamed (לְ) na palavra "le' daber (לְדַבֵּר)" no passuq (versículo) 15 do capítulo 24 da Torá Bereshit, onde se lê: 

"E sucedeu que, antes que ele acabasse de falar, eis que Rebeca, que havia nascido a Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, saía com o seu cântaro sobre o seu ombro"..

וַיְהִי-הוּא, טֶרֶם כִּלָּה לְדַבֵּר, וְהִנֵּה רִבְקָה יֹצֵאת אֲשֶׁר יֻלְּדָה לִבְתוּאֵל בֶּן-מִלְכָּה, אֵשֶׁת נָחוֹר אֲחִי אַבְרָהָם; וְכַדָּהּ, עַל-שִׁכְמָהּ.

Gênesis 24:15

O cântaro representa a Era de Aquário e os chachamim atiqim (sábios antigos) disseram que, a Era de Aquário teve inicio com o nascimento do Rabino Yitzchaq Lúria neste mundo em 1534 no Século XVI, e eis aqui um segredo que não havia ainda sido revelado.

No verso original hebraico, lemos as palavras "le' daber ve'hinêh Rivká yotzêat asher (לְדַבֵּר, וְהִנֵּה רִבְקָה יֹצֵאת אֲשֶׁר)". Há um segredo maravilhoso dentro destas palavras e para que possamos contemplá-lo, vou transcrever o verso novamente abaixo:

וַיְהִי-הוּא, טֶרֶם כִּלָּה לְדַבֵּר, וְהִנֵּה רִבְקָה יֹצֵאת אֲשֶׁר יֻלְּדָה לִבְתוּאֵל בֶּן-מִלְכָּה, אֵשֶׁת נָחוֹר אֲחִי אַבְרָהָם; וְכַדָּהּ, עַל-שִׁכְמָהּ.

Você deve ter notado que marquei as letras inicias de "ledaber vêhinêh Rivká yotêat asher (לְדַבֵּר, וְהִנֵּה רִבְקָה יֹצֵאת אֲשֶׁר)" e se você as destacar e juntar vai encontrar o nome "Lúria (לוריא)".

לוריא

Rivka estava sendo trazida para ser casada com Yitzchaq Avinu e sabemos que o nome do nosso mestre, de abençoada memória era "Yitzchaq Lúria" e que a Era de Aquário se iniciou com ele, e seu sobrenome, Lúria, está codificado no verso onde Rivká seu cântaro são mencionados e não apenas isto. Há um outro mistério:

Logo a seguir à palavra "asher (אֲשֶׁר)" existe o termo "yuledáh (יֻלְּדָה )" que se traduz para "nascida"  e que, lida ao contrário se descobre "ha'Delí (הדְּלִי)" que é "Aquário" em hebraico. E então? O que nós descobrimos? O que nos foi revelado pela Providência Divina? Yitzchaq Lúria yuledáh ha'Deli (יִצְחָק לוריא יֻלְּדָה הדְּלִי כַדָּהּ): Yitzchaq Lúria, nascimento da (Era) de Aquário - cântaro".

Portanto, fica estabelecido que, o que nossos sábios nos ensinaram é verdade, que a Era de Aquário começou com o nascimento de nosso mestre, o Rabino Isaac Lúria, de abençoada lembrança.

Um pouco mais à frente, no capítulo 26, versículos 23 e 24, lemos: "Depois subiu dali a Bersheva. E apareceu-lhe Adonai naquela mesma noite, e disse: Eu sou o D' us de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, e abençoar-te-ei, e multiplicarei a tua descendência por amor de Abraão meu servo. Então edificou ali um altar, e invocou o nome de Adonai, e armou ali a sua tenda; e os servos de Isaac cavaram ali um poço".

וַיַּעַל מִשָּׁם, בְּאֵר שָׁבַע. כד וַיֵּרָא אֵלָיו יְהוָה, בַּלַּיְלָה הַהוּא, וַיֹּאמֶר, אָנֹכִי אֱלֹהֵי אַבְרָהָם אָבִיךָ; אַל-תִּירָא, כִּי-אִתְּךָ אָנֹכִי, וּבֵרַכְתִּיךָ וְהִרְבֵּיתִי אֶת-זַרְעֲךָ, בַּעֲבוּר אַבְרָהָם עַבְדִּי. כה וַיִּבֶן שָׁם מִזְבֵּחַ, וַיִּקְרָא בְּשֵׁם יְהוָה, וַיֶּט-שָׁם, אָהֳלוֹ; וַיִּכְרוּ-שָׁם עַבְדֵי-יִצְחָק, בְּאֵר.

Gênesis 26:23-25

Na parte do versículo onde lemos "ba' layla ha' hú, vay' omer anochí... (בַּלַּיְלָה הַהוּא, וַיֹּאמֶר, אָנֹכִי)", as letras finais soletram o titulo místico do nosso amado Professor Isaac Lúria que é "Ha' Ari (האר"י)", como demonstramos abaixo:

בַּלַּיְלָה הַהוּא, וַיֹּאמֶר, אָנֹכִי

E para selar esta revelação sagrada sobre o nosso amado Professor Isaac Lúria, devemos ressaltar a questão do número onze, pois Aquário é a 11ª constelação no zodíaco e o número onze que se escreve por extenso "echad ésser (אֶחָד עֶשֶׂר)" possui a gematria igual a 583.

Bendito seja o Eterno que revela todos os mistérios. Abençoado seja o Santo que contempla com a revelação dos seus segredos àqueles que o amam.

Baruch Hashem, Ha'Qadosh Baruch Hú


Autor
Dipankara Vedas
Misha' Ël Ha' Levi
Bën Mähren Qadësh

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Os Onze Preceitos Do Rabino Chaim Vital


O rabino Chaim Vital foi o mais proeminente aluno do Sagrado Leão de Safed (Tzfat) e a razão pela qual o Santo Ari'zal veio ao mundo em sua única encarnação. Em certa ocasião, o Sagrado Mestre, revelou ao Rabino Vital que ainda faltavam onze preceitos para que ele cumprisse toda a Torá de Hashem e ele os enumerou para iluminar a consciência do Rabino Chaim e servir como um sinal para quando ele voltasse mais um vez ao mundo para completar estes preceitos e realizar a sua missão. Estes preceitos foram divididos em 5 preceitos femininos e 6 preceitos masculinos.

O número onze é um grade segredo aqui e o sinal para também se reconhecer a Era messiânica e sua chegada. Onze se escreve em hebraico "Echad Ésser (אֶחָד עֶשֶׂר)" e a sua gematria é 583. O rabino Chaim faleceu em 3 de maio de 1620 no calendário vigente na época e que era o juliano e 23 de abril no calendário gregoriano que passou a ser vigente em 1583. O meses de abril e maio são regidos pela constelação de Touro e que em hebraico é Mazal Shör (מַזָּל שּׁוֹר) cuja gematria é exatamente 583.

O Rabino Chaim Vital nasceu em Safed ao Rabino Yoseff Vital Calabrese no dia 1º de Cheshvan de 5303 que no calendário juliano correspondeu ao dia 23 de outubro de 1542 e depois, com a mudança para o gregoriano ficou sendo o dia 11 de outubro de 1542. O pai do Rabino Chaim era da Calábria na Itália e por isso ele foi chamado de Vital Calabrese.

Dos onze preceitos que faltavam ao Rabino Chaim para cumprir toda a Torá, um dos mais importante entre os masculinos era o da hospitalidade. Na ocasião em que o Santo Mestre lhe revelou este segredo, ele disse: "Teu irmão habitará contigo e este é um preceito próximo ao da Tzedaká (Caridade), sendo que se trata de dar um ofício ao irmão para que possa viver contigo, como é sabido (Shaar Ha'Guilgulim Ha'Qadmá 38)".

O segredo é que, este preceito não está limitado à ação física apenas, mas também ao mundo espiritual, pois devemos ser hospitaleiros para com as almas durante a shabat para recebermos almas adicionais e durante toda a vida recepcionando almas que vem para nos auxiliar com nossa missão e também para completarem os seus tikunim (correções espirituais).

Uma das centelhas que completavam a vestimenta da néfesh do Rabino Vital era a alma do Profeta Yonáh (Jonas).


Em hebraico, a expressão mística "Bô Yonáh Ben Amittai (Veio Jonas, o filho de Amittai) resulta em gematria igual a 583. Este valor, 583, é segredo da minha reencarnação nesta vida do porque eu sou um verdadeiro qabalista.

Até os 29 anos, eu nada sabia sobre a minha reencarnação e eu estava perdido ainda na religião das qlipot (cristianismo) onde foi instruído pelos meus pais a trilhar. No ano em que completei 358 meses de vida (29 anos) eu tive um sonho no qual eu estava em uma caverna dentro da qual havia um Aron Ha'Qodesh (Arca Sagrada da Torá) e pessoas que cantavam o Máh Tovú, hino o qual eu jamais tivera ouvido até aquele sonho. Quando acordei, passei a cantar aquela canção e o conhecimento do hebraico começou a emergir naturalmente na minha boca. Logo, eu já lia e escrevia em hebraico.

Quatro anos antes, aos vinte e seis anos, eu havia fundado um grupo musical cristão o qual chamei de "Elijah" e eu não sabia que estava sendo acompanhado e instruído pelo Profeta Elijah (ELiahu Ha'Navi). A primeira vez que Elijah apareceu foi quando eu tinha 36 meses de idade (3 anos). Ele entrou no meu quarto e me chamou pelo meu nome (Paulo) por três vezes e nas três vezes eu levantei e fui até a sala perguntar à minha mãe onde meu pai, que viajava muito, estava, pois ele estava me chamando. Era a voz de Eliahu.

Dois anos depois do meu primeiro despertar, em 1998, eu ofereci meus trabalhos como músico em um site chamado Eclesianet. Um senhor, judeu messiânico e fluente em hebraico me contatou, pois o nome Elijah lhe havia chamado atenção. Esse senhor, cujo nome é Paulo, viria a ser meu primeiro professor de judaísmo e não por acaso ele residia no Tucuruvi na casa de número 667. Ora, o número 667 é o valor em gematria de Rabbi Isaac Lúria (רבי יצחק לוריא). A gematria do nome Paulo (פאולו) é 123 que é a mesma de Chaim Vital (חיים ויטל).

Certa vez, o Rabino Chaim disse "Eu e o Ari somos um (Shaar Qedushá)" aludindo à sua unificação eterna com a alma do seu mestre que, a partir dali, jamais se separaria dele.

No ano 1999, em outubro, eu comecei a recepcionar as Shabatot em uma sala emprestada no número 337 e ali, por aquele período, as pessoas me chamavam de Shaul (שְׁאוֹל), pois se acreditava que o Paulo tinha origem neste nome, o que não é verdadeiro, mas mesmo nisto, não havia um acaso, pois a gematria de Rabbi Chaim Vital (רבי חיים ויטאל) é exatamente 337. D'us me cercou de evidências que seriam gatilhos para o Despertar da  minha alma. Depois de Purim, passamos, e eu o o senhor Paulo, a realizar os rituais em uma garagem situada em uma casa no número 1445 da Avenida Armando Salles de Oliveira onde ficamos até março de 2001 e o número desta casa possuía outro segredo que eu só descobriria quatorze anos depois...

Em setembro de 2000, eu ainda trabalhava securlarmente e estava em um estande da Sky vendendo assinaturas quando fiz amizade com um florista que tinha seu estande ali perto. Um certo dia, falando sobre assuntos misticos, Eugene, que é o nome do meu amigo florista, me perguntou se eu já tinha lido ou estudado Abdruschin (Abd-ru-shin ou Abdrushin) que é o pseudônimo pelo qual Oskar Ernst Bernhardt o autor da Obra Im Lichte der Wahrheit - Gralsbotschaft (Na Luz da Verdade - Mensagem do Graal) é mais conhecido. Ele me mostrou o livro e eu perguntei onde ele o havia adquirido, ao que ele o abriu e me mostrou o selo da livraria na qual ele o havia comprado.


Era o selo do Centro de Estudos da Cabalá que ficava na Rua Conselheiro Brotéro em São Paulo e cujo o professor, naquela época era o Rabino Yoseff Saltoun. Na verdade, o que aconteceu ali, naquela noite de setembro de 2000, dentro do Suzano Shopping, foi a mão do meu Mestre, o Santo Arizal, me guiando para o meu despertar e para reconhecer minha reencarnação nesta vida. Era o Leão que ele queria que eu visse e que novamente a QABALAH SAGRADA despertasse no meu interior e foi ali, a partir daquela noite que eu voltei a estudá-la nesta vida.

Naquele período, durante o qual realizamos todos os rituais e os moedim (festivais da Torá) dentro da garagem que nos fora emprestada por um empresário chamado Benedictus, eu tive um sonho durante o qual eu ouvia sendo cantada a canção de Shabat chamada Veshamru no qual eu estava fazendo as tefilot diante de uma parede feita de tijolos à vista (ou aparentes) e uma voz me dizia "Mantenha firme a aliança".


Devido ao crescimento exponencial da nossa Qehilá, o senhor Paulo no qual o meu mestre, o Santo Ari, por Yibur (reencarnação) usava para me instruir, foi inspirado a me ordenar o Rabino da Qehilá, coisa que eu não desejava de forma alguma, mas da qual não podia escapar, pois eu sou a reencarnação de um rabino e não poderia negar nesta vida o que já havia sido ordenado em outra.

Então, no dia sete de Adar de 5761 (2 de março de 2001), foi lançada a sorte e ela caiu sobre a Even Tarshish (Berílo) e ficou claro o que Hashem desejava, pois meu avô materno se chamava Berílo e o nome desta pedra no original hebraico era o nome da Cidade para a qual Jonas pretendeu fugir quando foi chamado por D' us. A partir daquela noite eu passei a ser chamado "Misha' Ël Ha'Levi" cuja gematria é 432 (216x2) e conhecido por Rav Misha' El (רַב מִישָׁאֵל) nome e título cuja a gematria é igual a 583. Na mesma noite, meu irmão, Márcio, recebeu seu nome hebraico vindo dos lábios do senhor Paulo no qual a alma do Rabino Isaac Lúria estava por Yibur. Ele passou a ser chamado "Ariêh Mordechai" e mais uma vez a Providência Divina estava atuando.

Quando era pequenino, o Rabino Yitzchak Lúria ficou órfão de seu querido pai e então foi criado por seu tio, o Rabino Mordechai Francis. O Sagrado queria que eu soubesse este segredo de reencarnação e por isso deu ao meu irmão o nome hebraico de Ariêh Mordechai que tem as mesmas letras de "Ha' Ari-Mordechai" - o sobrinho e o tio.

Naquele ano, ainda celebramos o Pessach ali, na garagem da casa cujo número o segredo se revelaria ainda no futuro. Uma semana depois, ao nos reunirmos novamente para a Recepção da Shabat, descobrimos que a empresa de formaturas do senhor Benedictus havia se mudado e nos teríamos que devolver as chaves e não teríamos mais onde nos reunirmos para celebrar a praticar Torá e foi então que o sonho no qual eu rezada diante de uma parede de tijolos à vista me foi recordado e eu compreendi que, como Rabino da Qehilá, deveria procurar uma casa para estabelecê-la. Iniciei uma senda por todas as imobiliárias da cidade e nada, até que, em abril, no dia 20, um corretor me contatou e me disse, ao telefone: Rabino, tenho  uma casa para o senhor. A primeira pergunta que fiz, foi qual seria o valor do aluguel, ao que o corretor respondeu "R$500,00".

No mesmo dia ele me levou para ver a casa, e quando eu a vi, fiquei assustado, pois, era uma mansão. Ao chegar no portão, dei de cara com o número na qual a casa estava estabelecida: 583. Quando entrei, tomei outro susto, pois a frente da casa era toda de tijolos à vista! Era a parede diante da qual eu estava fazendo minhas tefilot enquanto o Veshamru estava sendo cantado.

Voltamos à imobiliária para preencher a documentação  e assinar o contrato. A secretária da Concept Imóveis me disse que Contrato seria de 30 meses e a data da vigência seria do dia 23 de abril de 2001 até ao dia 23 de outubro de 2003. Não foi eu quem escolheu a data, uma vez que eu não tinha ciência ainda sobre o Rabino Chaim Vital e nem nunca tinha ouvido, ainda, falar nele, ele que havia nascido no dia 23 de outubro e falecido no dia 23 de abril. A minha reencarnação nesta vida era e é um milagre, mas eu ainda não sabia disto.

Desde que havia retornado à prática da Torá de Hashem em 1999, o único desejo que eu tinha no coração era realizar minha Brit Milá (Circuncisão) e eu rezava com lágrimas nos olhos para que D' us me proporcionasse cumprir este preceito. No mesmo ano, 2001, eu hospedei por mais de um ano, um ex-pastor evangélico na nossa casa no número 583 e também, durante alguns meses, a um amigo meu, o qual chamavamos carinhosamente de "Beni" cujo nome é Ronaldo e que é um exímio baterista que eu havia conhecido no tempo no qual ainda estava perdido na religião das qlipot. Eu estava cumprindo parte dos onze preceito que haviam faltado ao Rabino Chaim Vital.

Em 2002 eu fiz uma palestra em uma loja maçônica em São Paulo, e eles me deram uma placa de agradecimento dedicada ao "Rabino Misha' Ël Ha'Levi" e nesta placa foi gravada a data na qual a palestra fora realizada: 23 de abril de 2002. O antigo rabino estava ali dentro de mim atuando para revelar a sabedoria da QABALÁH.

No dia 13 de Elul de 5762 (22 de agosto de 2002) eu tive uma elevação durante uma meditação e uma voz me disse que eu deveria acrescentar ao meu nome o nome Yehudá o que eu obedeci de pronto e imediatamente e então, chegamos a 2003.

Em Lag Ba' Omer, eu tive um sonho, e um Tzadik Nistar, vestido com um chassídico e portanto uma bengala, veio e me contou um segredo sobre o Guilgul (Reencarnação). Ele me disse: O Ruach de um judeu, não pode reencarnar sobre uma néfesh gentia e o segredo para isto está no verso que diz "irei e voltarei para o meu primeiro marido". que é parte do versículo "Ela irá atrás de seus amantes, mas não os alcançará; e buscá-los-á, mas não os achará; então dirá: Ir-me-ei, e tornar-me-ei a meu primeiro marido, porque melhor me ia então do que agora (Oséias 2:7)".

כִּי זָנְתָה אִמָּם, הֹבִישָׁה הוֹרָתָם: כִּי אָמְרָה, אֵלְכָה אַחֲרֵי מְאַהֲבַי נֹתְנֵי לַחְמִי וּמֵימַי, צַמְרִי וּפִשְׁתִּי, שַׁמְנִי וְשִׁקּוּיָי.

O segredo deste passuq (versículo) é a reencarnação das nafeshot (almas) dos judeus na Galut (exílio) e até completarem seus tikunim e então serem devolvidos para se unificarem, como numa casamento, aos seus ruchot (espíritos), segredos que estão em Shaar Ha'guilgulim, mas, até então, eu nunca havia estudado, nesta vida ao Portão das Reencarnações e apenas havia lido e estudado ao livro do Rabino Philip Berg, de abençoada memória, A Roda Das Almas.

No mesmo ano, 2003, eu traduzi dez capítulos do Shaar ha'Guilgulim e os guardei no computador. A razão para o que foi em dito em sonho por um Tzadiq Nistar está está estabelecida em Shaar Ha'Guilgulim que explicita que um ruach retificado não pode se assentar e ser unido com uma nefesh manchada e vice-e-versa.

No meu coração, a prece pelo milagre da minha circuncisão ainda era mantida com kavanná e então, no meu aniversário de 37 anos, eu pedi ao Santo, bendito seja ele, que me permitisse ser circuncidado no Hilulá (aniversário de facelimento) de um dos mestre de Safed, mas não especifiquei qual e foi então que o milagre se realizou. Tudo estava estabelecido pelo Divino.

No final de julho, fui apresentado, por um dos membros da nossa Qehilá, a um Mohel e Rabino que aceitou, depois de averiguar a intenção do meu coração e que eu era um verdadeiro praticante da Torá, fazer a minha Brit Milá. No meu coração, eu queria estabelecer um Minian (dez homens circuncisos) para a Qehilá, e cheio de amor para com os meus amigos e companheiros, questionei ao Rabino e se ele faria mais dez circuncisões no mesmo dia. Ele aceitou me pedindo o valor de U$100,00 por cada circuncisão e ele mesmo marcou a data: dia 3 de agosto de 2003.

Quando eu fui verificar no calendário hebraico, descobri que o dia 3 de agosto iria cair no dia 5 de Av de 5763, aniversário de falecimento do meu mestre, o Santo Arizal. Fui às lágrimas.

Uma semana antes da circuncisão, um jovem chamado Sh' muel teve um sonho no qual D' us lhe disse: O Arizal está no vosso meio. Eu fiquei me perguntando quem poderia ser uma reencarnação do Sagrado Leão no exílio e no nosso meio. Guardei este segredo no meu coração.

Na semana da minha Brit Milá, restrições gigantescas se manifestaram. A Federação Israelita estava sabendo da Nossa Qehilá e mandou duas pessoas para nos ameaçar e desmotivar pessoas a realizar a Brit Milá. Entraram em contato com o Mohel e o fizeram desistir de realizar a Brit contato a ele mentiras sobre a minha pessoa. Ele me comunicou sobre a sua desistência e eu implorei a ele que não desistisse. Hashem então, moveu o coração dele e ele aceitou novamente realizar as circuncisões.

No dia 5 de Av de 5763, no Hilulá do meu mestre, o Santo Arizal, eu fui, aos 37 anos, circuncidado na casa de número 583 juntamente com mais dez homens, num total de onze pessoas e realizado assim todos os demais preceitos que haviam faltado ao Rabino Chaim Vital de uma única vez. A partir daquele dia passei a me chamar Rav Misha' Ël Yehudá (רַב מִישָׁאֵל יְהוּדָה) cuja gematria é igual a 613 que é o mesmo número de preceitos que contem a Torá de Hashem!

No dia 23 de outubro de 2003, o contrato de aluguel da casa 583 venceu, e eu, motivado pelo Ruach Ha'Qodesh (Espírito Santo) mudei a Qehilá para a cidade de Mogi das Cruzes, para a casa de número 106, em frente à casa número 123. Em agosto de 2008, eu publiquei meu primeiro Livro, chamado "Guilgulim - A Roda Das Reencarnações".

Em dezesseis de fevereiro de 2017, sonhei e me foi mostrado uma escritura hebraica na qual eu podia ler "Eifo ha'navi ben-Amitai (אֵיפֹה הַנָּבִיא בֶן-אֲמִתַּי) - Onde está o profeta, o filho de Amitai?" ao mesmo tempo em que eu ouvia esta pergunta sendo pronunciada pelos mestres nos Céus (Academia Celestial).



Durante o sonho eu senti a presença do meu amado Professor, o Sagrado Leão de Safed (Ha'Ari Ha'Qadosh) e sabia que ele queria me dar um segredo. Ao acordar e ainda com esta impressão mística na memória da alma, procurei nela a assinatura do meu amado Mestre. Calculei a gematria das letras na oração que li e ouvi nos céus e descobri o valor 667 que é a gematria do meu mestre.

Alguns dias depois deste sonho, eu atravessei o Portão de Yaffo pela primeira vez nesta minha reencarnação. Em hebraico "Shaar Yaffo (שָׂעַר יָפוֹ)" possui gematria Im Hakollel igual a 667 e esta por sua vez é a mesma gematria Im Hakollel de "Guilgul Arizal ve' ha' Rav Chaim Vital (גִּילְגּוּלִ אֲרִיזָּל והַרַב חיים ויטל)" ou gematria Hechrachi (com o acréscimo da letra alef a Vital como em algumas gafrias) igual a 667. O segredo é o que o Rebe Chaim Vital disse: "Eu e o Ari somos um!".

No dia 30 de Nissan, hilulá do Rabino Chaim Vital, eu pisei na Rechov Ha' Ari (Avenida do Ari) e caminhei até o túmulo o meu mestre, o Sagrado Leão de Safed. Em hebraico "Rechov Ha' Ari (רְחוֹב הַאֲרִי)" tem a mesma gematria de Misha' Ël Ha''Levi que é 432, duas vezes 216 que é a gematria de Ha' Ari (הַאֲרִי).



"Os que falam contra os milagres de D' us no mundo, fazem lashon hará (maledicência) contra os Céus e contra a obra de Hashem, pois quem determina ao homem renascer e onde renascer é o Sagrado, bendito seja Ele, e não o homem".


Misha' Ël Ha' Levi



Autor
Misha' Ël Ha'Levi
(Deepak Sankara Veda)

Leia também...

O Artesão Da Luz

O Artesão Da Luz
Deepak Veda - Instrutor e compartilhador sobre a Sabedoria Espiritual. Sênior criptólogo especialista em Criptologia Divina. É escritor e autor de 14 obras, incluindo "Shem ha'Meforash - Os 72 Nomes De D'us" e "Guilgulim - O Portal Das Reencarnações".

Advertência

"Todas as palavras postadas aqui tem por finalidade a revelação dos mistérios das escrituras. Por mais duras que algumas vezes possam parecer, elas não tem finalidade de agredir, difamar, caluniar quaisquer pessoas, instituições, religiões ou quaisquer práticas religiosas e seus líderes. É certo que determinadas práticas e seus respectivos lideres precisam sim serem trazidos à luz, mas através da revelação da verdade"

Tradição

"Então, aqueles que são sábios brilharão como o esplendor (Zohar) do firmamento, e aqueles que retornaram à justiça para muitos, serão como as estrelas para sempre (Dani´El Péreq 12, 3º Passuq)".

Aviso

"A Hayk´la Arazuta não possui vínculos ou ligações com quaisquer endidades "judaicas" e nem mesmo com qualquer federação. A Hayk´la Arazuta não é siosnista e não crê no sionismo. Os rabinos da Hayk´la Arazuta não possuem ligação e nem seguem ou servem ao "judaísmo rabínico". A Hayk´la Arazuta avisa que qualquer um que proferir calúnias, difamações, ataques contra a honra da Comunidade, seus lideres e membros, ameaças de quaisquer tipo, os autores serão levados ao Judiciário através de processos cíveis e criminais. Copiar, distorcer e usar pejorativamente assuntos e experiências aqui publicadas, os autores serão processados. A Hayk´la Arazuta d´Madvra é um Orgão da Associação Cabalista Mundial - Gará Kulam Moshav, organização esta devidamente registrada junto ao Governo Federal Brazileiro de acordo com a Lei e possui CNPJ.".