Curso: Manifestações Ufológicas EM Código Secreto Na Bíblia

Curso: Manifestações Ufológicas EM Código Secreto Na Bíblia
O Velho Testamento bíblico e outras partes do livro sagrado estão repletos de alusões a avistamentos ufológicos e contatos com seres extraterrestres, como se verá neste curso, que dá continuidade ao ministrado pelo mesmo professor no ano de 2020. Há até mesmo ocorrências de abduções alienígenas nele descritas com clareza, como a do profeta Elias, que foi levado aos céus. Se lida com uma ótica moderna e interpretada com conhecimentos ufológicos, na Bíblia, principalmente em sua versão hebraica, há ainda inúmeras outras menções a situações inusitadas apresentadas em um código próprio, que hoje é estudado pela chamada Ufocriptologia, que o curso ministrado pelo rabino Misha’ Ël Há’ Levi, como também é conhecido Paulo Sergio Batalini, abordará. Clique na imagem para mais informações.

EU QUERO ACREDITAR

EU QUERO ACREDITAR
CRIPTO-EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA NO PASSADO DA HUMANIDADE

Os Verdadeiros Anunnki

Os Verdadeiros Anunnki
A verdade jamais revelada sobre os Anunnaki

Novo Livro

Novo Livro
Duna - Uma Experiência Verdadeira

Os Ecos De Enoch

Os Ecos De Enoch
Página dedicada à criação online da Obra "Os Ecos De Enoch"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"
Apresentado entre agosto e novembro de 2015. Clique na imagem!

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

OS QUATRO TIPOS DE MORTE


Zohar tem um longo discurso sobre as penas de morte ordenadas na Torá e afirma que, dentro dessas leis prescritas, existem quatro tipos de penas. Em outras palavras, não cabia ao Estado decidir se a execução seria na forma de cadeira elétrica ou decapitação, como ocorreu ao longo dos milênios. Em vez disso, o que aprendemos é que existe uma prescrição de qual pena de morte alguém merece. A aplicação de tais penas não estava sobre a tutela dos magistrados.

As quatro penas de morte ordenadas na Torá - morte por lança, enforcamento, fogo e apedrejamento. Parecem, à principio, primitivas e cruéis, e conduzem os tolos a acreditam na tolice de que Ha'Shem é mal, cruel e sanguinário e é por isso que estudamos QABALÁH, porque sem o Zôhar, não podemos compreender as Qituvei Ha'Qodeshim e somos induzidos pelo Satan a interpretá-las literalmente.

A Torá está dizendo que a punição pode ser um instrumento de Deus, e que em um julgamento, se uma pessoa merece alguma forma de pena de morte, é isso que ela pode esperar; nos alertando para não cometer crimes ou então haverá um método horrível de nossa morte? Não, deixe-me assegurar-lhes o que o Talmude nos diz: Segundo ele (o Talmude) a pena de morte nunca aplicada e que nunca poderia acontecer porque o sistema judicial aqui referido exigia nada menos do que duas testemunhas; não poderia haver nenhuma evidência circunstancial, nenhuma outra forma de evidência, nenhuma impressão digital. O que é preciso são duas testemunhas que possam testemunhar que viram a situação com seus próprios olhos e, como duas testemunhas nunca contaram a mesma história, não havia pena de morte. O Talmude também afirma que o Sanhedrin (Tribunal Rabínico) só funcionava uma vez a cada setenta anos.

Então, se a pena de morte nunca aconteceu, por que esta seção inteira da Torá foi prescrita? O Zôhar explica que estamos falando sobre as quatro maneiras de morrer; que todo tipo de morte cairá em uma dessas quatro categorias, não importa o que seja. O Zôhar e Rav Isaac Luria (o Arizal) explicam que estas penas de morte estão relacionadas ao nosso tikun (processo de correção) e que todos nós voltamos, somos reencarnados de acordo com Sabá d'Mishpatim, na maioria das vezes sem saber que podemos ter feito algo para ter merecido a pena de morte em uma vida anterior.

"Nada acontece neste mundo sem uma causa prévia colocada em ação em alguma vida anterior."


No entanto, de acordo com o Talmude, não há como ter sentenciado alguém fisicamente e, portanto, isso nunca aconteceu. Não há como indiciar e condenar à morte outra pessoa por um crime cometido. Portanto, uma vez que existe justiça no universo e nada acontece de repente e nem por acaso, e, então, a pergunta é de onde veio isso e por que a merecemos?

Se uma pessoa morre em um prédio que desaba, isso significa que essa pessoa morreu por apedrejamento, morte também chamada de "lapidação". Se uma pessoa morre em um prédio em chamas, isso é morte pelo fogo. Se uma pessoa é apunhalada até a morte, isso é morte por lança, ou se engasga com um pedaço de comida e morre, isso é morte por enforcamento (asfixia). São esses quatro tipos de morte que representam cada morte prescrita e ordenada na Torá.

As vezes a pessoa é atingida por uma pedra e, como consequência, vem a falecer. Isso é morte por apedrejamento, lapidação, devido ela ter transgredido algum preceito da Torá cuja sentença é esse tipo de morte.

O que é quando as artérias são bloqueadas? O que isto significa? Para entender isso, vejamos o que acontece quando alguém é enforcado. Como esse indivíduo morre? Sufocando até a morte. A mesma coisa acontece em uma artéria obstruída, o que pode resultar em um derrame ou ataque cardíaco; isso resulta na única ideia de asfixia.

Sem entrar em todos os detalhes, para resumir, o Zôhar nos lembra de fazer todas as tentativas para limpar nosso tikun. Ele também nos oferece o conhecimento para que possamos alcançar o Dharma. É por isso que temos a porção de Shoftim no mês de Elul (Virgem) que antecede o mês de Rosh Ha'Shaná, Yom Ha'Kippurim e Sukkot. Com a ajuda de Shoftim, podemos nos limpar antes de entrarmos no ano novo em Rosh Ha'Shanah. E ao nos purificarmos, sabemos que nosso Ano Novo não será estabelecido com base em ações negativas pelas quais somos responsáveis, ou por alguma negatividade de mil anos atrás ou de mil vidas pelas quais podemos ter voltado.

No entanto, agora, nós estamos em um momento no qual não existe muita distância entre causa e efeito e as pessoas estão recebendo as consequências de suas ações negativas quase que imediatamente.

"Quatro coisas cancelam o castigo de um homem, a saber, tsedaqá, súplica, mudança de nome e mudança de conduta."

- Talmud Bavlí Rosh Ha'Shaná 16b

Os 4 tipos de morte são níveis de limpeza e cura para a alma. Cada tipo de morte remove um tipo diferente de negatividade. A alma precisa experimentar todos os tipos de morte em diferentes vidas. A pessoa deve superar todos os medos da morte porque a alma nunca morre, mas é transformada.

Sekilá 

(Apedrejamento) 

Chochma (י)

Serifá 

(Fogo) 

Bina (ה)

Harag 

(decapitação) 

Zeir Anpin (ו)

Chenek 

(Asfixia) 

Malchút (ה)

No juízo dos céus e da Terra, se condena por esses quatro tipos de mortes, ao anjo do mal, SAMAEL, o único culpado, o anjo que é responsável pela queda de Adão, pela queda dos filhos de Adão, neste mundo. Por isso todos os que não conhecem os segredos profundos da Torah, creem que podem queimar, decapitar, enforcar e apedrejar seus próximos. Não tem nada a ver! Não se lapida seu próximo, não se enforca seu próximo, não se decapita seu próximo, não se queima seu próximo! Ao próximo não se toca. Se pode prender, enviar ao exílio, mas jamais as leis dos céus autorizam fazer isso com seres humanos, mas, sim, com Samael, o anjo do mal, que não é um ser físico,  Então tão pouco podemos aplicar essa lei nele, fisicamente, porque é um anjo, e como tal, não tem corpo físico. Então como aplicar essa lei neste anjo do mal?

Tudo isso, são metáforas, pois para ele, precisamos de armas não físicas e sim espirituais, a Espada de D-us. A ESPADA de Ha"Qadosh Baruch hu, é o TETRAGRAMA, o YHVH (יהו"ה).  A YUD, é a empunhadura, a VAV, é a espada e as duas HEY, são os fios da direita e da esquerda da lâmina da espada. Então o Nome de D-us, que é ESPADA, que altera as Leis da Natureza e faz milagres, nos permite DECAPITAR ao anjo do mal.

Para ENFORCAR, é preciso se fazer uma corrente, se utiliza a YUD e a VAV, quando se medita durante a relação sexual se asfixia o anjo do mal. A LAPIDAÇÃO, se faz com ONDAS, que atiram pedras. A YUD é a pedra, e a HEY, são os 5 dedos das mãos, para atirar a pedra e a Vav, é a onda. Para se QUEIMAR, utilizamos a YUD incandescente, acendendo a letra Yud, que ilumina a Vav e a Hey.

Jamais um tribunal terreno decreta por pena de morte ao ser humano. JAMAIS. As quatro mortes definidas, são para o anjo do mal, que instigou a serpente a induzir Chavá e Adão comer da arvore do conhecimento do bem e do mal e que provocou a morte neste mundo. Os que não compreendem as leis dos céus, vão matando pessoas, achando terem entendido os textos, mas estão seguindo P'shat (literal), o que é proibido. É um equivoco! Porque é preciso conhecer os segredos dos céus, para destramar as misericórdias dos céus, e com isso fazer reinar a misericórdia no mundo!

MATAR AO INFIEL, é MATAR AO ANJO DO MAL, SAMAEL, com o tetragrama, o YHVH (יהו"ה). O que ele quer (Samael), é destruir a humanidade. Quando o Talmude diz "Aquele que mata um Goy, alegra ao Criador", o GOY é o anjo do Mal, um aspecto negativo na própria alma da pessoa e que, quando é corrigido, alegra a Ha'Shem.


A Origem Da Religião
"EDOM"

"Ele (O Sagrado) chamou Samael (O Demônio) o anjo da guarda de Esaú (Edom/Roma) e lhe perguntou: "Você aceita a minha Oráita (Torá)?". Samael perguntou: "O que está escrito Nela?" O Sagrado lhe respondeu: "Não matarás (Êxodo 20 verso 13)!". Samael afirmou: "D'us me livre! Está Oráita (Torá) e Sua e deve permanecer Sua. Eu não desejo tal Oráita (Torá), e implorou: "Mestre do universo, se você me der esta Torá, todo o meu governo vai cessar, já que toda a minha dominação baseia-se em assassinato. E se eu aceito esta Torá, não haverá mais guerras. Meu governo é influenciado pelo planeta Ma'adim (Marte) que regra o derramamento de sangue". 

- Zôhar Parashat Balak

Autor
Bën Mähren Qadësh
Traduzido Do Espanhol
QABALISTA

O Artesão Da Luz