Projeto Jardim Do Éden

Projeto Jardim Do Éden
A Associação Qabalista Mundial – Gará Kulam Moshav, na voz do seu fundador e presidente Misha´El Yehuda ben Yisrael, lançou, em 2006, o “Projeto Jardim do Éden” cuja intenção era conseguir a doação, empréstimo ou mesmo arrecadar fundos para a compra de um Sitio ou Chácara onde será instalada a sede da sua Comunidade Mística, o Centro Brasileiro de Estudos da Qabalá. Clique na imagem, conheça o projeto e faça uma doação.

EU QUERO ACREDITAR

EU QUERO ACREDITAR
CRIPTO-EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA NO PASSADO DA HUMANIDADE

Os Verdadeiros Anunnki

Os Verdadeiros Anunnki
A verdade jamais revelada sobre os Anunnaki

Novo Livro

Novo Livro
Duna - Uma Experiência Verdadeira

Os Ecos De Enoch

Os Ecos De Enoch
Página dedicada à criação online da Obra "Os Ecos De Enoch"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"
Apresentado entre agosto e novembro de 2015. Clique na imagem!

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

terça-feira, 14 de abril de 2020

O Nascimento Da Era Messiânica


"... Uma estrela procederá de Ya'aqóv..."

שביט איסון, א חנוכה
"Cometa Ison, 1º de Chanuká"
538

Não era uma aranha descendo sobre a minha cabeça naquela madrugada, às 2h32, do dia 321º do ano e não era um sonho. Era uma alma e não uma qualquer mas, a alma de Immanuel Velkovsky, uma centelha de Chizkiahu ha'melech (Rei Ezequias), enviada para ser o meu rúach e me instruir com relação aos segredos sobre o nascimento da Era messiânica e, esta foi a razão de eu não haver sonhado antes com as palavras finais de Raban Yochanan Ben Zaccai "E preparemos uma cadeira para o Rei Ezequias de judá. Ele está vindo..."

והכינו כסא לחזקיהו מלך יהודה שבא

A gematria mispar kollel das palavras de Raban Yochanan Ben Zakkai é igual a 773 que alude ao ano 773 do 5º milênio no luach hebraico da Torá, o ano do Despertar, 2013.

"Kevód Elohim, hastér davar; u'kevód melachim, chaqór davar (כְּבֹד אֱלֹהִים, הַסְתֵּר דָּבָר;    וּכְבֹד מְלָכִים, חֲקֹר דָּבָר.) - A glória de Elohim é ocultar a coisa; e a gloria dos reis é desvendar a coisa." 

- Mishley 25:2.

Nada, absolutamente nada, acontece por acaso. Immanuel Velikovsky nasceu em 10 de julho de 1895 em uma próspera família judia em Vitebsk, Rússia (agora na Bielorrússia ). Filho de Shimon (Simon Yehiel) Velikovsky (1859–1937) e Beila Grodensky, Ele se casou com Elisheva Kramer, uma violonista. Ele faleceu em 17 de novembro de 1979, no 321º dia no ano solar.

Oito meses depois, sua alma entrou em uma novem nascida em 25 de agosto de 1980 (13 de Elul, 5740), jovem que no futuro, com o processo de Teshuvá viria a se chamar Elisheva Menuchá que viria a ser minha noiva e dela, por reencarnação em Ibür, eu receberia o meu rúach (espírito) que é o segundo nível de alma. Eu fui concebido em 13 de Elul de 5725 e nasci em 10 de junho de 1966. O nome civil desta jovem possui gematria igual a 521 e está é a mesma gematria do nome Immanuel Velikovsky (עמנואל וליקובסקי)."



"Quando eu tinha seis ou sete anos, meu pai me mostrava o capítulo do profeta Isaías, onde o nome Emanuel é encontrado; mais de uma vez ele falou comigo da fé que depositou em mim."

Immanuel Velikovsky

Na madrugada de 17 de novembro de 2012, a 321ª madrugada do ano, a alma de Immanuel Velikovsky se revelou a mim e passou a me instruir com relação aos eventos celestes da Era Messiânica.


"Immanuel Velikovsky, o escritor nascido na Rússia cujas teorias sobre a colisão de planetas entretinham e ultrajavam o mundo científico enquanto hipnotizavam milhões de cientistas, morreu ontem em sua casa em Princeton, Nova Jersey. Ele tinha 84 anos e ainda trabalha duro em vários novos volumes."

New York Times - 18/11/1979

Sua alma se revelou a mim na madrugada do dia do seu falecimento, 17 de novembro de 2012, trinta e três anos após sua morte. O primeiro segredo que Immanuel me revelou foi sobre o Cometa Ison (C/2012 S1) que foi descoberto por VITALI NEVSKY em 21 de setembro de 2012. Vitali nasceu na mesma cidade que Immanuel Velikovsky, Vitebsk na atualmente Bielorrússia.

A palavra hebraica para Cometa é Shavit (שביט) e sua gematria é igual a 321 e, por esta razão, a alma de Immanuel Velikovsky se revelou na 321ª madrugada do ano. 17 de novembro.

O cometa Ison atravessou o sol no primeiro dia da Festa de Chanuká, a Festa do Messias, um milhão de anos após iniciar sua viagem dos confins do sistema solar. A gematria de "Cometa Ison, 1º de Chanuká (שביט איסון, א חנוכה)" é igual a 538 que é a mesma gematria de "Kochav Beit-Lechêm (כוכב בית-לחם) - Estrela de Belém e é também o mesmo valor numerológico de "Shavit ha'Zôhar (שביט הזהר) - Cometa do Zôhar" que é mencionado em Parashat Balak tanto na Torá como no próprio Zôhar. É na porção Balak que lemos sobre a profecia de Bilam (Balaão) sobre a Estrela de Ya'aqóv.


Este foi, sem dúvida, um milagre da providência divina para nos instruir os segredos da chegada da Era Messiânica.

A foto no início deste artigo, mostra o Cometa Ison fotografado ao lado esquerdo do Monte Fuji, no Japão.

Razá Ila'ah
Bën Mähren Qadësh

Compre aqui o livro 'Kalamus Elohai'

sábado, 11 de abril de 2020

E Rasgou-se O Véu


Em época de Páscoa cristã, sempre quando se menciona o crucificação de Yeshu'a, se torna comum encontrar postagens e artigo teológicos que mencionam o "véu do templo sendo rasgado" e, em suma, a mensagem de todos estes artigos é a mesma: Não havendo o "véu" o caminho até o Divino está aberto para sempre, uma vez que, anteriormente, somente os Cohanim podiam ter acesso ao Qodesh Ha'Qodashim (Santíssimo dos Santíssimos). 

O que se nota em todas essas postagens e artigos é que, depois de 2.0000 anos a Sabedoria e a Compreensão ainda continua longe da teologia e nada novo se produziu que revelasse o mistério e que, nem mesmo o "véu" tendo, de acordo com o novo testamento, se divido ao meio, os líderes cristãos se quer tiveram acesso ao "Heichal Ha'Sodót (היכל הסודות) - Palácio dos Mistérios - do qual os Profetas obtinham sustento e revelação da profecia. Na verdade se nota que, sequer compreenderam ainda o que o referido "templo" mencionado nas Escrituras do Novo Testamento é... 

Em resumo, tais lideres cristãos e teólogos que constantemente e, por muitas vezes, se utilizando de certa violência, para impor o cristianismo como uma religião verdadeira e a única capaz de conduzir a humanidade ao Divino, até hoje, 2.000 anos depois do aparecimento de Yeshu'a, não sabem nem este e nem qualquer outro segredo espiritual que lhes tenha sido revelado diretamente dos Palácios Celestiais. 

A pergunta que deveria ter sido feita era: Qual foi esse templo mencionado lá no qual o véu foi partido e, de fato, qual era esse véu?

O Templo

Tando no Evangelho de Marcos como também no Evangelho de Lucas, o termo usado no hebraico para se referir ao Templo foi "Heichal (היכל)" e que significa verdadeiramente "Palácio" e é o termo usando na tradição Cabalista para se referir aos "Sete Palácios Celestiais" chamados "Sheva Heichalot (שבע היכלות)" e não ao "Beit Ha'Miqdash (בית המקדש)" que foi edificado por Sh'lomô Ha'Melech e restaurado por Hordos (Herodes). Vejamos Marcos e Lucas:

"E o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo." 
וּפָרֹכֶת הַהֵיכָל נִקְרְעָה לִשְׁנַיִם קְרָעִים מִלְּמַעְלָה לְמָטָּה׃
Marcos 15:38

"E rasgou-se ao meio o véu do templo."
וּפָרֹכֶת הַהֵיכָל נִקְרְעָה לִשְׁנַיִם קְרָעִים׃
Lucas 23:45

Na transliteração para o hebraico, lemos: "U'paróchet ha'Heichal niqrah li'shinayim qerayim milmaelá limatá." Claramente notamos aqui a ausência do uso do termo "Beit Ha'Miqdash" deixando claro que, o templo mencionado se refere a um dos Palácios celestiais e não ao templo físico restaurado por Herodes, ou seja, NENHUM VÉU SE RASGOU NO TEMPLO DE SALOMÃO.

Na transliteração de Lucas vemos o mesmo: "U'paróchet ha'Heichal niqráh li'shinayim qerayim." Ai está, novamente, o termo Heichal aludindo e reforçando que a "PARÓCHET (lit. Cortina)" que se rasgou foi uma outra que não a Paróchet que separava o Átrio do Santo dos Santos.

Se não foi a paróchet que separava e protegia o Santo dos Santos dentro do qual a Aron Ha'Bereti (Arca da Aliança) era mantida, qual foi, então, a paróchet que se rasgou? Vejamos outro versículo do Novo Testamento.

"E até hoje, quando é lido Moisés, o véu está posto sobre o coração deles."
עַד־הַיּוֹם הַזֶּה הֵם קֹרְאִים אֶת־משֶׁה וְהַמַּסְוֶה מֻנָּח עַל־לִבָּם׃
2 Coríntios 3:15

A palavra usada neste versículo e que foi traduzida para "véu" e diferente da usada em Marcos e Lucas e que foi Paróchet (פרכת) que é Cortina. A usada neste versículo supracitado tem raiz em "massach (מסך)" que significa "tela" que é algo usado como um "filtro" para "filtrar a luz" e que, de acordo com a Sabedoria do Zôhar, precisa ir sendo tirada gradualmente para que a Luz dos mundos superiores não nos queime.

O que se está dizendo no versículo citado de Coríntios é que, quando a Torá era lida, os seus mistérios sagrados não era abertos a eles, pois permaneciam escondidos às consciências e a Torá Ne'elam permanecia oculta.

O véu mencionado em Marcos e Lucas que se retirou, foi a cortina que encobria os mistérios que Yeshu'a lhes tinha ensinado e que eles não haviam compreendido e que agora estavam claros às suas consciências.

O templo sagrado é uma alusão ao corpo humano. O Santo dos Santos é a Cabeça dentro da qual está a Arca da Aliança que é a Glândula Pineal que é chamado de "Beit-El (בית-אל) - Casa de D'us" dentro da qual residente a Neshamá (Alma Divina). O altar no qual está acesa a Ner Tamid (Lâmpada Eterna) é o coração do qual brota do fogo do constante amor pelo Divino.

Conclusão

O véu foi a cortina que encobria a consciência espiritual sobre os segredos que Yeshu'a lhes tinha comunicado e, agora, eles tinham livre acesso ao Heichal Ha'Sodot (Palácio dos Mistérios) se se alimentavam constantemente dos mistérios sagrados escondidos na Torá.

Aqui, deixamos claro que, o véu que encobre a consciência do cristianismo permanece até hoje, pois eles não tem acesso aos mistérios divinos a não ser quando um cabalista lhes revela o segredo interior de algum versículo da Torá e que, mesmo assim, ainda permanece encoberto, pois há um outro véu que precisa ser retirado que é a cobertura do prepúcio que encobre "Yesod" e que, completa, com a adição da Letra "yud (י)" o Nome Divino "Shadda'i (שד"י)" afastando as sombras produzidas pelas letras "Shin e Dalet (ש"ד)" que formam a palavra "She'd" que significa "Demônio" e que não lhes permite compreender os segredos de D'us. Eles precisam da Circuncisão...

Autor
Bën Mähren Qadësh
"Misha'Ël Ha'Levi"

O Artesão Da Luz