Projeto Jardim Do Éden

Projeto Jardim Do Éden
A Associação Qabalista Mundial – Gará Kulam Moshav, na voz do seu fundador e presidente Misha´El Yehuda ben Yisrael, lançou, em 2006, o “Projeto Jardim do Éden” cuja intenção era conseguir a doação, empréstimo ou mesmo arrecadar fundos para a compra de um Sitio ou Chácara onde será instalada a sede da sua Comunidade Mística, o Centro Brasileiro de Estudos da Qabalá. Clique na imagem, conheça o projeto e faça uma doação.

EU QUERO ACREDITAR

EU QUERO ACREDITAR
CRIPTO-EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA NO PASSADO DA HUMANIDADE

Os Verdadeiros Anunnki

Os Verdadeiros Anunnki
A verdade jamais revelada sobre os Anunnaki

Novo Livro

Novo Livro
Duna - Uma Experiência Verdadeira

Os Ecos De Enoch

Os Ecos De Enoch
Página dedicada à criação online da Obra "Os Ecos De Enoch"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"

PROGRAMA "OS ARQUIVOS X"
Apresentado entre agosto e novembro de 2015. Clique na imagem!

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Yibur Maharal: O Milagre Da Reencarnação


YIBUR

"Este é o sod (segredo) : Do mesmo nível de pureza e extensão do tikun (correção) alcançado pela Néfesh (נֶפֶשׁ) da pessoa, irá reencarnar no seu corpo, enquanto ele ainda está vivo, a Néfesh de um tzadik (justo) que já completou o seus gilgulim e retificações, e não precisa mais reencarnar aqui. Ao entrar aqui, a Néfesh deste tzadik toma o lugar do Ruach ou da Neshamá desta pessoa".

Sha'ar Ha'Guilgulim Ha'Qadmá 2



Hoje é 18 de setembro, no calendário hebraico cabalístico, 18 de Elul (יח ב"אלול), data do ocultamento da alma do nosso grande mestre, o salvador do povo judeu de Praga, o Grão Rabino Yehudá Loëw Bën Betzalel, o Maharal de Praga, abençoada seja sua memória.

E justamente hoje, no dia do seu Hilulá, o Sagrado, bendito seja Ele, me revelou um segredo concernente a um sonho que foi sonhado no dia 28 de março de 2017, no qual o Rebbe de Lubavitcher. veio no sonho de uma pessoa para revelar um segredo sobre a minha neshamá. E esta jovem não havia sido qualquer pessoa ou uma pessoa desconhecida, ela havia sido minha noiva para a qual eu estava destinado naqueles dias por razões de reencarnação. Mas, antes de revelar sobre este sonho de 28 de março é preciso começar por um outro sonho que foi sonhado em 21 de julho de 2013. Ei-lo aqui conforme anoite no meu diário:

"Madrugada, 21 de julho de 2013. Sonhei e um novo mistério me foi revelado: No sonho estávamos eu, Dean e Sam Winchester e o Anjo Castiel. Havia um quadro negro com muitos mistérios escritos nele. Num determinado momento, tomei um giz e escrevi um Nome Divino no quadro e Castiel veio e o apagou. Escrevi-o novamente e então o Sagrado, bendito seja Ele, apareceu imediatamente e então me revelou que este é um Nome pelo qual D’us, abençoado seja, atende prontamente. Outros mistérios me foram contados sobre os quais ainda vou meditar."

Elul (אלול) foi o Nome Divino que eu escrevia no quadro negro no meu sonho. É o nome que recebe o sexto mês lunar no calendário hebraico que é chamado “O Mês da Teshuvá (retorno)”. Mas, porque Castiel, Dean e Sam de Supernatural? Eu ainda não havia descoberto Castiel nos escritos do Rabino Chaim Vital e então, D’us veio a mim em sonho através do Anjo Castiel para me revelar este é outro profundo e singular mistério.

A primeira missão desse sonho era me chamar atenção para os mistérios que estavam escondido, criptografado no nome Elul (אלול), nome que contém as roshei teivot (iniciais) de "Ani Le'dodí Ve'dodí Lí (אני לדודי ודודי לי) - Eu sou para o meu amado e o meu amado é para mim" que é uma declaração do neshamá (alama divina) para o rúach (espírito), um segredo que vou explanar mais abaixo. Um desses mistérios eu já havia revelado que era o que estava escondido na gematria de "Ani Le'dodí Ve'dodí Lí" que é 185 e que é a mesma de "Ani Chaim Vital (אני חיים ויטאל) - Eu sou Chaim Vital." O outro mistério era revelar a outra centelha que eu iria receber também por yibur.

A QABALÁH nos ensina que nenhuma relação acontece ao acaso e todas estão relacionadas ao mistério do gilgul (reencarnação) e todas são para o bem da pessoa mesmo que estes relacionamentos sejam difíceis e dolorosos.

HAÿFFA

Quando eu sonhei na madrugada de 27 de julho de 2013 ela não tinha aparecido ainda e eu não tinha sequer um vislumbre do que iria me acontecer e desse encontro profundo e poderoso que se realizaria por razões espirituais e para realizar o mistério da reencarnação.

Eu sempre dizia para ela, a italianinha, quando estamos juntos: "O que é seu, virá para você, no entanto, o que não é seu, lhe será tirado". O segredo era que ela tinha vindo até mim, trazida pela neshamá (alma divina) que nela havia sido reencarnada para a devolver para mim, pois ela era minha e deveria ser devolvida a mim.

Eu fui abençoado. neste gilgul, para adquirir méritos e alcançar os três níveis de alma (néfesh, rúach e neshamá) e todos estes níveis vieram para mim por Yibur (Impregnação). A néfesh em 1999, o rúach em 2003 e a neshamá em 2014.

Este sonho foi recebido na madrugada de 21 de julho continha o segredo da chegada da centelha de alma que me seria emprestada para ser a minha neshamá. O dia 21 de julho é o 202º dia no calendário solar e este valor contém a gematria da expressão “Betzalel chai va’yavoú (בצלאל חי ויבאו)” e cuja tradução é “Betzalel está vivo e está chegando.” Betzalel é o sobrenome do nosso mestre, o criador do golem, o rabino Judá Loëw Ben Betzalel, de abençoada memória.

O Sagrado, o Qadosh Baruch Hú, Ele mesmo veio no sonho para me revelar este segredo: Que "Betzalel está vivo e que estava chegando", mas eu estava dormindo, não havia despertando ainda e o despertar somente viria no dia 27 de setembro de 2014, exatamente no aniversário daquela que viria trazendo a centelha que a mim seria devolvida: Haÿffa!

Então, na segunda-feira, 28 de outubro de 2013, segundo dia de leitura da Porção Toledot, ela surgiu misteriosamente e o inevitável se realizou: O que era meu, veio para mim.

Betzalël está vivo e está chegando...

O SONHO DE HAÿFFA

Ela possuía uma profunda admiração pelo Rebbe Menachem Mendel, também conhecido como Lubavitcher Rebbe, e nem ela e nem eu sabíamos o mistério, mas, não há mistério que não seja revelado pelo Sagrado, abençoado seja Ele, para aqueles a quem Ele deseja.

"Estou tendo uma sequencia de sonhos... Do dia 27 para o dia 28 na madrugada, sonhei com o rebe Lubavitch. Há detalhes, mas o principal: Me mostrou letras do alfabeto hebraico. Já procurei o significado delas mas creio que há outros mais profundos. Ele estava em uma casa, era de noite. Tudo muito escuro. Antes de me encontrar com ele, uma senhora que estava comigo, arrumou minhas vestes, como se a engomasse (o sonho começou assim). Eu estava vestida com um traje em tons escuros. Ela abriu uma porta e logo vi à alguns metros, a casa, de onde surgiu o rabi. Adentrei a casa, logo sentei à mesa onde ele também estava. A perfeição de detalhes do rosto dele era inacreditável. Ele abriu o livro, e me mostrou três palavras . Uma delas significa "segredo." As utras duas palavras tem haver com os 36 justos...'


Haÿffa

O sonho não era para ela! Era um recado do Rebbe para mim, um segredo sobre transmigração por yibur, um segredo que parcialmente eu já conhecia conscientemente desde fevereiro de 2016 e desde aquele ano já publiquei inúmeros artigos sobre este segredo.

Há dois anos eu não pensava neste sonho, sequer me recordei dele, apesar de o ter anotado devidamente com a data e, de repente, no dia de hoje, 18 de Elul, no hilulá do Maharal, ele veio ao pensamento como uma flash de luz brilhando da escuridão. Não foi acaso...

No sonho o Rebbe abria um livro, como relatado nas próprias palavras da jovem, e lhe mostrava, escrito em hebraico "Sód Lamed Vav (סוד ל"ו)" palavras que se traduzem "O Segredo do Justo Escondido" código este que também é uma alusão à neshamá de uma pessoa que pode ser a faísca da alma de um Justo Escondido. As letras "Lamed Vav (ל"ו)" são as iniciais de "Lamed Vav Tzadiqim (לו צדיקים)" que se traduz "Trinta e Seis Justos."

"Abaye disse: O mundo tem pelo menos trinta e seis justos em cada geração que cumprimentam a Presença Divina (Shechiná), como é afirmado: “Felizes são todos os que esperam por Ele [lo]” - Isaías 30:18. O valor numérico de lo (לו), soletrado lamed vav, é trinta e seis. 


Talmud Sanhedrin 97b

Yibur Do Maharal De Praga 

Rebbe é um descendente direito do Maharal de Praga e a madrugada na qual ele veio no sonho da pessoa foi a 87º madrugada do ano e este valor, o 87 é a exata gematria de "18 de Elul (יח ב"אלול)" que é a data do ocultamento da alma do Maharal.

Esta visita do Rebbe aconteceu um pouco antes da minha viagem para Israel em abril e foi quando eu estava lá que o segredo do yibur da minha neshamá me foi revelado. A expressão hebraica "Tzadiq Ne'elam (צדיק נעלם)" possui gematria mispar kollel igual a 395 que é a mesma do nome do 3º nível da alma que é "neshamá (נשמה)." O nome da jovem que sonhou possui a mesma gematria mispar musafi, ou seja, 395. Ela nasceu no dia 1º de Tshri de 5745 e esta data é o segredo da primeira palavra da Torá (Bereshit) que ao ser permutada se torna "Alef b'Tshiri (א ב"תשרי)" que se traduz "1º de Tshri". E o que lemos depois? "... criou Elohim os céus... (...בָּרָא אֱלֹהִים, אֵת הַשָּׁמַיִם...)". A palavra "shamayim (הַשָּׁמַיִם)" que é "céus" possui a mesma gematria de "neshamá" que é 395 e, então, o versículo pode ser compreendido como "Em 1º de Tshiri criou Elohim a neshamá... (א ב"תשרי ברא אלהים את נשמה)". Tudo se encaixa perfeitamente e, como revelei no meu artigo "Alcançando A Plenitude", o meu rúach e a minha neshama vieram ao mundo nos corpos de outras pessoas, conforme o segredo explicado em Sha'ar ha'Gilgulim e a jovem a quem o Rebbe visitou para contar o segredo foi a pessoa na qual a minha neshamá veio ao mundo.

Foto Haÿffa

Dois dias depois do sonho dela, a primeira coisa que ela escreveu, após aprender o alfabeto hebraico, foi o nome Menachem Mendel (מנחם מנדל) e cuja gematria mispar musafi é igual a 270 que é a mesma da palavra Ër (ער) que significa "Desperto." O mesmo valor corresponde ao dia 27 de setembro, a data do aniversário dela e o dia no qual o despertar me alcançou.

Por que somente hoje, no hilulá do Maharal, este segredo me foi aberto? Mais de dois anos depois da visita do Rebbe? O segredo está na gematria Atbash de Maharal que é 123 que é a gematria do meu nome civil.

O Maharal de Praga faleceu no dia 18 de Elul no ano de 5369 (1609). Este é o mesmo dia em que sete gerações depois, seu descendente direto, o primeiro Rebe de Chabad, Rabino Schneur Zalman de Liadi, nasceu no ano de 5505 (1745). O fundador do movimento chassídico, o rabino Israel Baal Shem Tov, nasceu no mesmo dia no ano de 5458 1698).

Os dias que sobraram no ano a partir da madrugada do sonho em 28 de março foram 278 valor em gematria de Ór Ganuz (Luz Oculta) e da expressão "Galé sód zô ha'chacham be'18 be'Elul (גל סוד זו החכם ב'י"ח ב'אלול) - Descubra este segredo, do sábio de 18 de Elul." O dia 18 de Elul é o Hilulá (aniversário de ocultamento da alma) do Maharal de Praga.

Quando ela surgiu, em 28 de outubro de 2013, ela mencionou o nome Haÿffa e eu imediatamente compreendi que este era o seu nome espiritual e, mais tarde compreendi que era o nome da neshamá que estava reencarnada nela e que veio para ser devolvida à mim. A gematria mispar ha'achor de Haÿffa (חיפה) é igual a 288 que é a mesma gematria de Yibur e também do nome da centelha que eu receberia por este tipo de reencarnação.

Mesmo com todas estas experiencias maravilhosas, eu declaro e reafirmo que, a minha neshamá é apenas uma faísca do Maharal. Certamente existem outros que possuem almas que são faíscas do Grão Rabino de Praga e talvez um dia, sejam aproximados milagrosamente e, então, nos reencontraremos...

O sonho me foi relatado na madrugada de 30 de março de 2017 a 01h01m e eu o vi apenas pela manhã quando abri o email.

Eu viajei para Israel na madrugada de 3 de abril de 2017 e cheguei lá as 3 horas da madrugada do dia 4. No dia 22 de abril, véspera do hilulá de Chaim Vital, o segredo da minha reencarnação me foi aberto e as identidades das pessoas nas quais estes três níveis de almas vieram ao mundo destinadas a mim por yibur me foram reveladas. A primeira centelha na pessoa que nasceu em novembro de 1981 e cuja gematria ne'elam do nome é igual a 185 que é a mesma de "Ani Chaim Vital (אני חיים ויטאל)" que significa "Eu sou Chaim Vital." A segunda centelha que é o meu rúach veio ao mundo na pessoa que nasceu em agosto (13 de Elul) de 1980 e cuja gematria do nome é igual a 214 que é a mesma de "rúach (espírito) que é o segundo nível de alma e que é a alma de Immanuel Velikovsky, uma centelha de Chizkiyahu ha'melech e, finalmente, a terceira centelha veio ao mundo na pessoa que nasceu em setembro de 1984 e cuja gematria do nome é igual a 395 que é a mesma numerologia do nome do terceiro nível de alma que é a neshamá e é uma faísca do Maharal. Isso tudo eu compreendi no dia 22 de abril de 2017. A gematria somada dos nomes destas três centelhas de almas é igual a 467 que é a mesma de "Gilgul Chodesh Elul (גילגול חודש אלול)" que significa "Reencarnação De Elul". Elul é um acrônimo para o versículo "Ani Le'dodi Ve'dodí Li (אֲנִי לְדוֹדִי וְדוֹדִי לִי) - Eu sou para o meu amado e o meu amado é para mim" que é uma declaração da neshamá para o rúach que é o seu marido e também do versículo. de acordo com o Arizal, de Êxodo 21 no qual se lê "...Ana Le'yadô Ve'shamti Lechá (אִנָּה לְיָדוֹ--וְשַׂמְתִּי לְךָ)" que é sobre a lei do "homicídio acidental" e a mim, foi revelado que Elul é também as iniciais no versículo (IIºCrônicas 5:13) "...Echad Le'hallél Le'hodót L'adonai (אֶחָד, לְהַלֵּל וּלְהֹדוֹת לַיהוָה) - unidos para louvar e bendizer a Adonai..." que é o segredo da unificação destes três níveis de almas.

Elul é chamado de "O Mês Da Teshuvá" termo este traduzido erroneamente para "arrependimento" mas que verdadeiramente significa "retorno" porque as almas retornam em Elul e, de acordo com o Sêfer ha'Yetizirá, as letras que criaram o mês de Elul são "Rêsh (ר)" que criou mercúrio e "Yud (י)" que criou virgem e ambas são as iniciais de "Rakav Yashuv (רכב ישוב)" que significa "Carruagem Do Retorno." Eu fui concebido no dia 13 de Elul de 5725 (10 de setembro de 1965)...

18 De Janeiro


ELUL

Na tarde de 18 de janeiro de 2014, eu coloquei, no dedo dela, um anel no qual estava gravado "Ani Le'dodí Ve'dodi Lí (אֲנִי לְדוֹדִי וְדוֹדִי לִי) - Eu sou do meu amado e o meu amado é meu" que é uma declaração da neshamá (alma divina) pelo seu amado que é o rúach (espírito). Um ano depois eu sonhei com ela na mesma data e mais outro ano, outro sonho. D'us queria que eu soubesse o segredo.

A gematria de "18 de janeiro (יח ביאנואר) é 288 que é a mesma numerologia cabalística do termo "Yibur (עיבור)" e que significa "Impregnação" e é o segredo mencionado do começo deste escrito. Mas, havia outro maior e grandioso segredo nesta gematria.

Foi durante os dias nos quais estávamos nos relacionado que o nome Bën Mähren Qadësh me foi velado. Eu ainda levaria alguns anos para compreendê-lo.

O nome do nosso mestre era "Yehudá Loëw Bën Betzalel (יהודה ליווא בן בצלאל)" e gematria do nome do nosso professor, de abençoada lembrança, é exatamente 288 e este número revela que um Yibur se realizou e foi o Yibur de Judá Loëw Bën Betzalel. Abençoado seja o Sagrado que não nos abandonou na galút (exílio) e não deixa no escuro os seus pequenos e humildes servos.

Este relato aqui publicado ainda será estendido e melhor organizado. Eu o publiquei hoje para não deixar passar a data na qual o segredo me foi revelado.

Razá Ila'ah. 
Bën Mäheren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

Rabbi Isaac Lúria:- Uma Reencarnação De Moisés


Nosso mestre, de abençoada lembrança, o rabbi Isaac Lúria, foi uma reencarnação de nosso mestre Moisés, abençoado seja, o que ele mesmo revelou ao seu discípulo Chaim Vital. Agora, passo a revelar, neste artigo, este segredo maravilhoso que estava oculto no Zôhar Sagrado que foi "descoberto" por nosso professor amado, o Rabino Shimeon Bar Yochai.

Inicio a abertura desse mistério pelas palavras codificadas em Sha'ar ha'Gilgulim de autoria do Arizal (Rabbi Isaac Lúria) e compilado por seu discípulo Chaim Vital. Sabia que, em Sha'ar ha'Gilgulim (Portal das Reencarnações) Introdução 17, está escrito:

"Sabia que o total de almas (de Israel) é 600.00 e não mais do que isso. E a Torá é a Raiz de todas as almas de Israel, pois dela as almas saíram e nela estão enraizadas. E, portanto, a Torá tem 600.000 maneiras de ser explicada, e todas elas se encontram no nível de P'shat (Literal)."

Sha'ar Ha'Gilgulim - Ha'Qadmá 17

Este é o segredo do nome Israel (ישראל) cujas letras são as roshei teivot (iniciais) de "Iêsh Sheshim Ribô Oti'ot Le'Torá (יש שישים ריבוא אותיות לתורה)" cujo significado é "Existem seiscentas mil letras na Torá." Razá Ila'áh.

"Ainda há 600.000 maneiras no nível de Remêz (alusivo), 600.000 no nível de Derash (Exegético) e 600.000 no nível de Sód (Secreto). Assim, de cada um das 600.000 maneiras de explicar Torá, uma alma de Israel foi criada e, num futuro próximo, cada indivíduo de Israel conseguirá saber toda a Torá de acordo com a sua explicação, que está relacionada com a raiz da sua alma. Isto é, aquela explicação que o criou e lhe deu existência."

Sha'ar Ha'Gilgulim - Ha'Qadmá 17

Imagine, então que, para todos os quatro níveis da Torá existem 2.400.000 (dois milhões e quatrocentas mil) maneiras de serem explicados, de acordo com cada uma raiz das 600.000 em cada nível.

"Mas há algumas almas que compreendem dois tipos de interpretações, enquanto outras compreendem muitos e muitos mais. E a alma de Moshê (Moises), que a paz esteja com ele, compreendia todas as 600.000 interpretações da Torá, e, prova disso é o que os Sábios disseram, de que ele sabia até o que cada aluno iria eventualmente renovar no ensino de Torá. Isso ocorria porque a alma dele (Moisés) envolvia todas as 600.000 almas de Israel. É por isso, também, que outros Sábios de Israel conseguiram compreender e fornecer tantas interpretações para a Torá, porque tudo depende do aspecto das almas incluídas nas almas deles."

Sha'ar Ha'Gilgulim Ha'Qadmá 17

Agora venha, leia e compreenda, o que foi escrito no Zõhar Sagrado há mais de 2.000 anos, muito antes que o Arizal viesse ao mundo para instruir o Rabino Chaim Vital:

"Aprendemos que, naquele momento, que chegou a hora de Moisés, o profeta fiel, descer ao mundo. O Santo, abençoado seja ele, retirou um Espírito Santo de um bloco cortado da pedra preciosa, a safira, que estava escondida dentro de 248 luzes, e brilhava sobre ele. E ele o coroou com 365 coroas e ficaram diante dele, e ele o nomeou sobre tudo o que era dele. Ele lhe deu 173 chaves, e o coroou com cinco coroas. Toda coroa subiu e iluminou em mil mundos que iluminam e nas luzes escondidas nos tesouros do Rei Santo Revelável"

Zôhar Beshalach


A alma possui 248 órgãos e 365 nervos e tendões que são forma aos órgãos, nervos e tendões do corpo, mas o segredo não é apenas este. A Torá possui 248 preceitos positivos e 365 negativos. 

A gematria do Nome Raziël (רַזִיאֶל) é 248 que é a mesma gematria de Arizal (אָרִיזַל). As 173 chaves são as letras na Prece Ana Bekoach e as cinco coroas são o segredo das cinco letras no Nome Raziël (רַזִיאֶל) e também no nome Arizal (אָרִיזַל).

Os sábios declararam que Moisés era metade homem e metade anjo o que comprova esta revelação. Lemos em Sêfer Devarim (Deuteronômio) capítulo 33, a seguinte declaração sobre a natureza angélica de Moisés:

"Esta é a bênção com que Moisés, homem de Deus, abençoou os filhos de Israel antes do seu ocultamento (וְזֹאת הַבְּרָכָה, אֲשֶׁר בֵּרַךְ מֹשֶׁה אִישׁ הָאֱלֹהִים--אֶת-בְּנֵי יִשְׂרָאֵל)".

Deuteronômio 33:1

Neste passuq, Moisés é chamado de "Ish ha'Elohim" e sabemos que os "Ishim e os Elohim" são hierarquias angelicais. Em Dere'k Nistar (QABALAH), os ishim (Heb. אִישִׁים - "homens", "personagens", "personalidades", "indivíduos") ou Eshim (אֵשִׁים - "incêndios", "chamas", "faíscas") são uma classe de anjos sobre os quais disseram que são os mais próximos dos assuntos da humanidade. Eles são compostos de fogo e neve, e são descritos como "as almas belas" que residem em Makon, o 5º Céu e Moisés foi chamado "Ish ha'Elohim (אִישׁ הָאֱלֹהִים)".


No próprio Sêfer Devarim nós encontramos "Raziel" e abaixo dele "Yavô (virá) e ao lado "Moshê ish ha'Elohim...".

A metade anjo da alma de Moisés era o Anjo Raziël e por isso ele era chamado "Ish ha'Elohim" que pode ser compreendido como "Faísca de D'us". Assim também, nosso mestre Isaac Lúria era, alem de uma reencarnação de Moisés, uma reencarnação também do anjo Raziel, professor de Adão no Jardim do Éden.

Portando, no Zôhar, já estava codificado que nosso mestre Moisés, que a paz esteja com ele, voltaria ao mundo e se chamaria Arizal, e ele abriria para nós os segredos inefáveis da nossa sagrada Torá. Abençoada seja a memória do nosso mestre...

Razá Ila'ah

Autor
Bën Mähren Qadësh
Misha'Ël Ha'Levi

O Artesão Da Luz