O Buscador

O Buscador
"Quando olho para os Céus, não estou procurando por um Deus que vive no espaço exterior, estou lendo as estrelas e ouvindo os seus mistérios (Tehilim 19)". Deepak Sankara Veda

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

Boas Vindas

"ברוכים הבאים ממסורת עתיקה העברים במדבר". Bem vindo á Antiga Tradição dos Hebreus do Deserto ao "Zen Hebreu". Este site não representa o judaísmo, nada tem haver com judaísmo e com nenhuma de suas vertentes. Este "sítio" é um lugar onde Sabedoria é compartilhada

terça-feira, 29 de junho de 2010

A Pedra do Altar Celeste



O Capitão Edward Get, despede-se de sua esposa, a enfermeira naval Jude Laws, com quem ele tinha uma difícil relação, pois nunca a havia tratado com respeito e amor, como é devido a um esposo tratar sua mulher, pois ela, a esposa, é a “Pedra do Altar Celeste”.


O Capitão Edward está indo na mais difícil missão dos Aliados: O desembarque na praia de Omaha. Quatro meses se passam após a partida do capitão Edward, mas nenhuma carta, nenhuma mensagem, e nem mesmo um aviso de falecimento em combate é recebido pela enfermeira Jude.

Um dia, após um pesado combate nas Florestas de Ardenas, contra a terrível força nazista, a Panzer, o hospital está cheio. Soldados mutilados, em terríveis condições. Alguns sem as pernas, outros sem braços, e muitos com os órgãos internos expostos por terríveis explosões. Entre eles estava o tenente David Soul Mate com um terrível ferimento no braço esquerdo. Quando Jude passa, ele a segura pela mão, e é então que seus olhos se cruzam pela primeira vez. Ela se aproxima ainda presa ao olhar do tenente, e logo nota sua terrível ferida, e imediatamente começa a tratá-lo.

Dias se passam, e o tenente é liberado do hospital, mas seus corações e suas almas permanecem ligados. O amor é imediato e inevitavelmente poderoso.

Numa manha, enquanto a enfermeira Jude em sua casa, nos arredores da vila militar, prepara o seu café deliciosamente misturado com o sabor de um pau de canela, alguém bate á porta. Seu coração imediatamente dispara, como que percebendo que, aquele por quem ele agora suspirava estava lá, em pé a sua porta. Ela arruma o cabelo, e depois de olhar-se no espelho, dirige-se a porta. Em pé, com seu quepe embaixo do braço esquerdo, totalmente curado, está o tenente David. Eles se olham por alguns segundos, e magicamente permitem o encontro dos seus lábios num momento capaz de mover os céus e a terra.

Dois meses são decorridos deste encontro, e numa manha em que a enfermeira Jude prepara o seu delicioso café com a especiaria, três toques na porta a fazem suspirar. Achando ser o seu amado tenente, ela se dirige à porta, ainda segurando em sua mão sua xícara de café, que ao deparar-se com a figura de 1,90 à porta, e deixada ao ar, indo estalar-se de encontro ao chão.

- Edward! – exclama a doce enfermeira. Sua vida agora mudaria radicalmente, e um problema a ser solucionado agora a aguardava, pois achava que o marido havia morrido na guerra.

Para nós estudantes da torah, surge imediatamente um pergunta: Teria a enfermeira Jude cometido Adultério, lançando-se num novo relacionamento, uma vez que seu marido ainda estava vivo?

A resposta evidentemente é sim! Ela cometeu adultério, pois o marido não a havia liberado do seu compromisso.

Para evitar que esta desgraça acontecesse com os guerreiros de Israel, D´us comandou pela “tradição” que, todo guerreiro de Israel ao sair para a guerra, deveria escrever um termo de divorcio, conforme comandado pela lei me Moisés nosso Rabi, para que, não havendo noticias de seu desaparecimento em combate, sua esposa pudesse iniciar um novo relacionamento, e encontrar para os seus filhos um novo pai. É aqui que reside o segredo da história do Amado Rei David e Bath-Sheva.

Muitos “auto intitulados” homens de D´us, pastores e lideres de congregações, tem pecado por gerações, imputando uma má fama ao Rei Santo de Israel, um homem segundo o coração de D´us. Estas pessoas tem pecado contra a Tora e assim contra o Sagrado, bendito seja Ele, ao acusar o Rei de Israel de “adultério”. Tolos que são, continuam se movendo pelas sombras do “romanismo católico” e suas interpretações profanas das escrituras.

Estes homens tolos sem nenhum conhecimento, obrigam mulheres humilhadas, maltratadas a permanecerem atadas a casamento com estes homens que são inimigos de D´us, pois humilham a “Pedra do Altar Celeste” que é a esposa, a figura da “Presença Divina” no mundo, aquele que representa a “terra de kana´an”.

Um Segredo Sobre O Rei David
Muitos lideres religiosos e muitas gerações, procurando ensinar justamente aquilo sobre o que não tem nenhuma autoridade, a “Bíblia”, e procurando as causas que culminaram no evento do Rei David com Bathsheva, atribuíram ao Rei Santo de Yisrael, um pecado que ele jamais cometeu: “ADULTÉRIO”. E isto é tão certo porque as conseqüências contidas na Toráh sobre esta questão, não foram aplicadas ao Rei Santo. A torah diz: “E com a mulher de teu companheiro não te deitarás para dar sêmen (Levitico 18:20)”.

O sábio Maimônides, explicando acerca deste preceito da Toráh, que é o de Nº 347 dos preceitos negativos, diz: “A punição pela violação deste preceito varia de acordo com as circunstancias. Se a mulher for noiva, ambos ficam sujeitos ao apredejamento, como determinam as Escrituras. Se ela for filha de um Cohen (sacerdote), ela deverá morrer queimada e o homem estrangulado. Se ela for filha de um Israelita, ambos estão sujeitos a morte por estrangulamento. Tudo isto se aplica se a prova for evidenciada, caso contrário o homem fica sujeito à extinção”.

Nós sabemos que, nenhuma destas punições foi imposta ao amado Rei de Yisrael, o que evidencia que a natureza do pecado do Rei não foi o de adultério. E senão, então qual foi? Para responder esta intrigante questão, temos que voltar ao principio.

O Zohar diz: A Serpente original no Jardim de Éden comeu frutas da árvore que também é interpretada como “bebendo vinho”. Por esta ação, duas forças de energia negativas entraram em existência (não devemos pronunciar os nomes) malcon, e peor. O Zohar expõe estas duas forças negativas e como eles se manifestam em nosso mundo para influenciar o homem. As duas crianças nascidas de uma relação incestuosa entre Lót e as duas filhas dele são a manifestação física destas duas forças. Está escrito na Toráh: “E conceberam ambas as filhas de Lót, de seu pai. E deu à luz a maior um filho, e chamou seu nome Moab, ele foi o pai dos moabitas até hoje. E a menor, também ela, deu à luz um filho, e chamou seu nome Ben Ami; ele foi o pai dos filhos de Amon até hoje (gênesis 18:36, 37 e 38)”.

Um destes líderes tolos que pregam esta tolice é o "Reverendo Caio Fábio d'Araujo" que tenta justificar o erro cometido no passado usando Rei David. E sua página no Facebbok, encontramos estas palavras escritas por Leonardo Gonçalves: "Após o escândalo moral envolvendo a sua pessoa, o adultério seguido do divórcio, bem como a confissão em sua auto-biografia, o reverendo amazonense se desvelou ao público, abriu seu coração como nenhum outro, tirou a máscara e teve a ousadia de revelar ao mundo a sua verdadeira face. Sua hipocrisia, sua conduta dúbia, tudo isso foi delatado por ele mesmo, resultando no ostracismo ao qual ele foi submetido por alguns anos. Não quero com isso justificar a atitude do Caio. Adultério é pecado, causa um tremendo estrago, deixa cicatrizes profundas e em alguns casos a ferida nunca fecha completamente, e o Caio sabe disso. Contudo, que direito temos nós de punir um homem por algo que ficou lá no passado, e que certamente Deus mesmo já perdoou? Será que Caio, em plena vigência da Graça, foi privado por Deus do perdão enquanto Davi, na dispensação da Lei, foi perdoado pelo Criador?"

Nota-se, pelas palavras acima, que não há diferença de pensamento de Caio Fábio para aqueles a quem ele denuncia constantemente. Através das palavras acima se vê claramente que ele acredita mesmo estar no tal "tempo da graça" e que a Torah foi abolida, como é descrito, ela era a "dispensação da Lei"...

Amon E Moab
O Rei David que era um descendente de Moab através de Ruth, usou esta tremenda negatividade como uma ferramenta para ter controle em cima destas duas forças negativas. De acordo com as leis de espiritualidade, para se atingir controle genuíno em cima de qualquer situação, a pessoa tem que ter alguma conexão (parentesco) com isto. Foi destinado que o Rei David seria semeado com esta negatividade porque ele era cheio com a força espiritual necessária para ter controle em cima disto. Está, portanto escrito no Zohar:

O Rei David disse: “Contra Ti, contra Ti somente, tenho eu pecado, e praticado o mal em Tua vista”. O significado disto é o seguinte. È possível cometer pecados que são ofensas tanto para o Senhor quanto para o homem; também se pode cometer pecados que são ofensas contra o homem, mas não contra o Senhor; mas há também pecados que são cometidos somente contra o Senhor. O pecado de David foi este último tipo. Talvez, porém, você se incline a questionar isto, dizendo:

“Mas e o pecado com BatSheva? Por acaso não pecou contra o marido – para quem ela estava agora proibida – assim contra o Senhor?”.



Para esta pergunta há uma resposta, que é a seguinte: De acordo com a tradição, Urias, como era costume com os guerreiros de Israel, deu à sua esposa uma nota de divórcio antes de ir para a batalha, logo David não pecou contra Urias no sentido de traiçoeiramente roubar a sua esposa. E por isso lemos: “E David confortou a BatSheva,sua esposa”, o que prova que ela era considerada como a esposa legítima de David, destinada a ele desde o início dos tempos.


O seu pecado, então, foi uma ofensa somente contra o Senhor. E em que constituiu esta ofensa? Não em que ele ordenou que Joab, seu general, enviasse Urias para frente de batalha para que fosse morto – porque David tinha o direito de fazer isto, uma vez que Urias chamou Joab de “meu senhor Joab” na presença do Rei, o que foi desrespeitoso.


O pecado de David foi que ele não matou Urias no momento em que desonrou o Rei, mas em vez disso deixou que fosse morto pela espada dos filhos de Amon; porque em cada espada amonita estava gravada a serpente que era seu deus. Disse o Senhor a David: “Tu conferiste força à abominação”; porque quando os filhos de Amon mataram Urias e muitos outros israelitas, e a espada de Amon prevaleceu, o deus pagão foi fortalecido por David.

Então vemos claramente que a natureza do pecado do Rei David não foi a de tomar para si a BathSheva por mulher, uma vez que ela estava destinada a ele desde a criação, e nem tampouco o de matar Urias, e sim matá-lo através da espada dos Amomitas. E é por isto que está escrito: E David confortou Bath-sheva, SUA ESPOSA!.

Quando David cometeu seu grande pecado ao tomar para si Bat Sheva, ele pensou que isto iria deixar para sempre uma marca. Mas chegou até ele a mensagem: “O senhor pôs de lado o teu pecado, e não morrerás”; Quer dizer, a mancha foi removida. Rav Abba colocou esta pergunta para rav Shimon: ‘Se aprendemos que Bat Sheva foi destinada ao Rei David desde o dia da criação, como pode ser que o Senhor a tenha dado primeiro a Urias, o hitita?’ Rav Shimon respondeu: Assim é o caminho do Senhor; embora uma mulher esteja destinada a um determinado homem. Ele permite que ela seja primeiro mulher de outro homem até que chega a hora da alma-gêmea (que se elevou espiritualmente). Este é o segredo porque a terra de Kana´an foi primeiro esposa de outro para depois ser dada a Israel que era o seu legitimo marido. Tolo é o homem que humilha sua esposa e a difama perante os outros, pois por este pecado, ele será morto. Foi por isto que o povo foi punido, pois quando os espias voltaram de olhar a Terra, a difamaram. Fazendo assim, o marido se vai deste mundo (ele morre) para ceder lugar ao outro homem que a tratará como uma pedra preciosa, como está escrito: Esposa virtuosa, quem a achará, pois o seu valor excede finíssimas jóias. Esta é a razão secreta pela qual Bat Sheva foi dada primeiro a Urias.

A Pedra do Altar Celeste



O Capitão Edward Get, despede-se de sua esposa, a enfermeira naval Jude Laws, com quem ele tinha uma difícil relação, pois nunca a havia tratado com respeito e amor, como é devido a um esposo tratar sua mulher, pois ela, a esposa, é a “Pedra do Altar Celeste”.


O Capitão Edward está indo na mais difícil missão dos Aliados: O desembarque na praia de Omaha. Quatro meses se passam após a partida do capitão Edward, mas nenhuma carta, nenhuma mensagem, e nem mesmo um aviso de falecimento em combate é recebido pela enfermeira Jude.

Um dia, após um pesado combate nas Florestas de Ardenas, contra a terrível força nazista, a Panzer, o hospital está cheio. Soldados mutilados, em terríveis condições. Alguns sem as pernas, outros sem braços, e muitos com os órgãos internos expostos por terríveis explosões. Entre eles estava o tenente David Soul Mate com um terrível ferimento no braço esquerdo. Quando Jude passa, ele a segura pela mão, e é então que seus olhos se cruzam pela primeira vez. Ela se aproxima ainda presa ao olhar do tenente, e logo nota sua terrível ferida, e imediatamente começa a tratá-lo.

Dias se passam, e o tenente é liberado do hospital, mas seus corações e suas almas permanecem ligados. O amor é imediato e inevitavelmente poderoso.

Numa manha, enquanto a enfermeira Jude em sua casa, nos arredores da vila militar, prepara o seu café deliciosamente misturado com o sabor de um pau de canela, alguém bate á porta. Seu coração imediatamente dispara, como que percebendo que, aquele por quem ele agora suspirava estava lá, em pé a sua porta. Ela arruma o cabelo, e depois de olhar-se no espelho, dirige-se a porta. Em pé, com seu quepe embaixo do braço esquerdo, totalmente curado, está o tenente David. Eles se olham por alguns segundos, e magicamente permitem o encontro dos seus lábios num momento capaz de mover os céus e a terra.

Dois meses são decorridos deste encontro, e numa manha em que a enfermeira Jude prepara o seu delicioso café com a especiaria, três toques na porta a fazem suspirar. Achando ser o seu amado tenente, ela se dirige à porta, ainda segurando em sua mão sua xícara de café, que ao deparar-se com a figura de 1,90 à porta, e deixada ao ar, indo estalar-se de encontro ao chão.

- Edward! – exclama a doce enfermeira. Sua vida agora mudaria radicalmente, e um problema a ser solucionado agora a aguardava, pois achava que o marido havia morrido na guerra.

Para nós estudantes da torah, surge imediatamente um pergunta: Teria a enfermeira Jude cometido Adultério, lançando-se num novo relacionamento, uma vez que seu marido ainda estava vivo?

A resposta evidentemente é sim! Ela cometeu adultério, pois o marido não a havia liberado do seu compromisso.

Para evitar que esta desgraça acontecesse com os guerreiros de Israel, D´us comandou pela “tradição” que, todo guerreiro de Israel ao sair para a guerra, deveria escrever um termo de divorcio, conforme comandado pela lei me Moisés nosso Rabi, para que, não havendo noticias de seu desaparecimento em combate, sua esposa pudesse iniciar um novo relacionamento, e encontrar para os seus filhos um novo pai. É aqui que reside o segredo da história do Amado Rei David e Bath-Sheva.

Muitos “auto intitulados” homens de D´us, pastores e lideres de congregações, tem pecado por gerações, imputando uma má fama ao Rei Santo de Israel, um homem segundo o coração de D´us. Estas pessoas tem pecado contra a Tora e assim contra o Sagrado, bendito seja Ele, ao acusar o Rei de Israel de “adultério”. Tolos que são, continuam se movendo pelas sombras do “romanismo católico” e suas interpretações profanas das escrituras.

Estes homens tolos sem nenhum conhecimento, obrigam mulheres humilhadas, maltratadas a permanecerem atadas a casamento com estes homens que são inimigos de D´us, pois humilham a “Pedra do Altar Celeste” que é a esposa, a figura da “Presença Divina” no mundo, aquele que representa a “terra de kana´an”.

Um Segredo Sobre O Rei David
Muitos lideres religiosos e muitas gerações, procurando ensinar justamente aquilo sobre o que não tem nenhuma autoridade, a “Bíblia”, e procurando as causas que culminaram no evento do Rei David com Bathsheva, atribuíram ao Rei Santo de Yisrael, um pecado que ele jamais cometeu: “ADULTÉRIO”. E isto é tão certo porque as conseqüências contidas na Toráh sobre esta questão, não foram aplicadas ao Rei Santo. A torah diz: “E com a mulher de teu companheiro não te deitarás para dar sêmen (Levitico 18:20)”.

O sábio Maimônides, explicando acerca deste preceito da Toráh, que é o de Nº 347 dos preceitos negativos, diz: “A punição pela violação deste preceito varia de acordo com as circunstancias. Se a mulher for noiva, ambos ficam sujeitos ao apredejamento, como determinam as Escrituras. Se ela for filha de um Cohen (sacerdote), ela deverá morrer queimada e o homem estrangulado. Se ela for filha de um Israelita, ambos estão sujeitos a morte por estrangulamento. Tudo isto se aplica se a prova for evidenciada, caso contrário o homem fica sujeito à extinção”.

Nós sabemos que, nenhuma destas punições foi imposta ao amado Rei de Yisrael, o que evidencia que a natureza do pecado do Rei não foi o de adultério. E senão, então qual foi? Para responder esta intrigante questão, temos que voltar ao principio.

O Zohar diz: A Serpente original no Jardim de Éden comeu frutas da árvore que também é interpretada como “bebendo vinho”. Por esta ação, duas forças de energia negativas entraram em existência (não devemos pronunciar os nomes) malcon, e peor. O Zohar expõe estas duas forças negativas e como eles se manifestam em nosso mundo para influenciar o homem. As duas crianças nascidas de uma relação incestuosa entre Lót e as duas filhas dele são a manifestação física destas duas forças. Está escrito na Toráh: “E conceberam ambas as filhas de Lót, de seu pai. E deu à luz a maior um filho, e chamou seu nome Moab, ele foi o pai dos moabitas até hoje. E a menor, também ela, deu à luz um filho, e chamou seu nome Ben Ami; ele foi o pai dos filhos de Amon até hoje (gênesis 18:36, 37 e 38)”.

Um destes líderes tolos que pregam esta tolice é o "Reverendo Caio Fábio d'Araujo" que tenta justificar o erro cometido no passado usando Rei David. E sua página no Facebbok, encontramos estas palavras escritas por Leonardo Gonçalves: "Após o escândalo moral envolvendo a sua pessoa, o adultério seguido do divórcio, bem como a confissão em sua auto-biografia, o reverendo amazonense se desvelou ao público, abriu seu coração como nenhum outro, tirou a máscara e teve a ousadia de revelar ao mundo a sua verdadeira face. Sua hipocrisia, sua conduta dúbia, tudo isso foi delatado por ele mesmo, resultando no ostracismo ao qual ele foi submetido por alguns anos. Não quero com isso justificar a atitude do Caio. Adultério é pecado, causa um tremendo estrago, deixa cicatrizes profundas e em alguns casos a ferida nunca fecha completamente, e o Caio sabe disso. Contudo, que direito temos nós de punir um homem por algo que ficou lá no passado, e que certamente Deus mesmo já perdoou? Será que Caio, em plena vigência da Graça, foi privado por Deus do perdão enquanto Davi, na dispensação da Lei, foi perdoado pelo Criador?"

Nota-se, pelas palavras acima, que não há diferença de pensamento de Caio Fábio para aqueles a quem ele denuncia constantemente. Através das palavras acima se vê claramente que ele acredita mesmo estar no tal "tempo da graça" e que a Torah foi abolida, como é descrito, ela era a "dispensação da Lei"...
Amon E Moab
O Rei David que era um descendente de Moab através de Ruth, usou esta tremenda negatividade como uma ferramenta para ter controle em cima destas duas forças negativas. De acordo com as leis de espiritualidade, para se atingir controle genuíno em cima de qualquer situação, a pessoa tem que ter alguma conexão (parentesco) com isto. Foi destinado que o Rei David seria semeado com esta negatividade porque ele era cheio com a força espiritual necessária para ter controle em cima disto. Está, portanto escrito no Zohar:

O Rei David disse: “Contra Ti, contra Ti somente, tenho eu pecado, e praticado o mal em Tua vista”. O significado disto é o seguinte. È possível cometer pecados que são ofensas tanto para o Senhor quanto para o homem; também se pode cometer pecados que são ofensas contra o homem, mas não contra o Senhor; mas há também pecados que são cometidos somente contra o Senhor. O pecado de David foi este último tipo. Talvez, porém, você se incline a questionar isto, dizendo:

“Mas e o pecado com BatSheva? Por acaso não pecou contra o marido – para quem ela estava agora proibida – assim contra o Senhor?”.


Para esta pergunta há uma resposta, que é a seguinte: De acordo com a tradição, Urias, como era costume com os guerreiros de Israel, deu à sua esposa uma nota de divórcio antes de ir para a batalha, logo David não pecou contra Urias no sentido de traiçoeiramente roubar a sua esposa. E por isso lemos: “E David confortou a BatSheva,sua esposa”, o que prova que ela era considerada como a esposa legítima de David, destinada a ele desde o início dos tempos.


O seu pecado, então, foi uma ofensa somente contra o Senhor. E em que constituiu esta ofensa? Não em que ele ordenou que Joab, seu general, enviasse Urias para frente de batalha para que fosse morto – porque David tinha o direito de fazer isto, uma vez que Urias chamou Joab de “meu senhor Joab” na presença do Rei, o que foi desrespeitoso.


O pecado de David foi que ele não matou Urias no momento em que desonrou o Rei, mas em vez disso deixou que fosse morto pela espada dos filhos de Amon; porque em cada espada amonita estava gravada a serpente que era seu deus. Disse o Senhor a David: “Tu conferiste força à abominação”; porque quando os filhos de Amon mataram Urias e muitos outros israelitas, e a espada de Amon prevaleceu, o deus pagão foi fortalecido por David.

Então vemos claramente que a natureza do pecado do Rei David não foi a de tomar para si a BathSheva por mulher, uma vez que ela estava destinada a ele desde a criação, e nem tampouco o de matar Urias, e sim matá-lo através da espada dos Amomitas. E é por isto que está escrito: E David confortou Bath-sheva, SUA ESPOSA!.

Quando David cometeu seu grande pecado ao tomar para si Bat Sheva, ele pensou que isto iria deixar para sempre uma marca. Mas chegou até ele a mensagem: “O senhor pôs de lado o teu pecado, e não morrerás”; Quer dizer, a mancha foi removida. Rav Abba colocou esta pergunta para rav Shimon: ‘Se aprendemos que Bat Sheva foi destinada ao Rei David desde o dia da criação, como pode ser que o Senhor a tenha dado primeiro a Urias, o hitita?’ Rav Shimon respondeu: Assim é o caminho do Senhor; embora uma mulher esteja destinada a um determinado homem. Ele permite que ela seja primeiro mulher de outro homem até que chega a hora da alma-gêmea (que se elevou espiritualmente). Este é o segredo porque a terra de Kana´an foi primeiro esposa de outro para depois ser dada a Israel que era o seu legitimo marido. Tolo é o homem que humilha sua esposa e a difama perante os outros, pois por este pecado, ele será morto. Foi por isto que o povo foi punido, pois quando os espias voltaram de olhar a Terra, a difamaram. Fazendo assim, o marido se vai deste mundo (ele morre) para ceder lugar ao outro homem que a tratará como uma pedra preciosa, como está escrito: Esposa virtuosa, quem a achará, pois o seu valor excede finíssimas jóias. Esta é a razão secreta pela qual Bat Sheva foi dada primeiro a Urias.

Oferecendo Fogo Estranho



“E os filhos de Aarão, Nadab e Abihú, tomaram cada um seu incensário e puseram fogo neles, e puseram eles incenso e ofereceram diante do Eterno um “Fogo Estranho”, o que não lhes ordenara”. – Levitico 10:1

Já se ouviu e se leu muitas interpretações para este verso da bíblia, mas nenhum deles se quer chegou perto de trazer uma elucidação do porque os dois meninos, os filhos de Aarão o sacerdote, foram mortos por D´us, quando tinham a “boa intenção” de “agradá-lo”.


Bem, vamos lá: O povo sofre porque não possui conhecimento. Sem sabedoria, as pessoas atraem para si muitos infortúnios.


Quando Nadab e Abihú propuseram uma “oferenda de incensos” para agradar ao “Rei Santo”, despertaram na “Rainha (A Shekiná)” o desejo de “Acasalar-se” com o “Rei (Zeir Anpin)”. Ela então se preparou, vestiu-se, para ser introduzida à presença do “Rei Santo”. Quando o “Rei” veio para recebê-la e acasalar-se com ela, oferecer-lhe prazer e alegria, olhou para os “Acompanhantes da Rainha” e viu que estavam inadequados, mutilados, pois eram “Solteiros” e não havia produzido filhos, e sabemos que o homem sem filhos é incompleto. A ira do “Rei” foi despertada, e Ele rejeitou a “Rainha” por ela ter sido introduzida à Sua presença por acompanhantes “imperfeitos”.


A “Rainha” então irou-se por haver sido rejeitada e, virando para os seus acompanhantes (Nadav e Abihú)”, matou-os por haver ela sido preterida pelo “Rei Santo”. Aqui reside a sabedoria, pois muitos supostos “adoradores” que se “colocam” na posição de “sacerdotes (e não o são)” e querem “queimar incenso קטורת סמים (Qetoret Samim)” diante do “Rei”, não tem sequer conhecimento secreto destas maravilhas, que somente a QABALÁH pode nos oferecer.

Fazem shows, convocam o povo, com a promessa de introduzi-lo na presença do “Rei Sagrado”, e desta forma, trazem sobre a “nação” desgraças e infortúnios, pois não são acompanhantes adequados para “introduzir a Rainha (A Presença Divina)” diante do “Rei Santo” para o “kidushin (Casamento)”, e por isto, atraem a energia de “falência” para todas as áreas de suas vidas, e para o povo, que ignorante, é induzido ao pecado por estes “falsos adoradores (cantores gospels, pastores, padres, etc)” que não possuem a marca da convenção santa "a brit milá (circuncisão). Inventam tudo quando é porcaria por fama e dinheiro e as intitulam "verdadeira adoração". 


Por esta razão, após os “Qorbanot (sacrifícios bíblicos)” serem cessados, os Sábios da cabalá compuseram o “sidur de rezas” que contem a ordem, as orações e cânticos corretos, que são o “caminho” para introduzir a “Rainha” à presença do “Rei”. Sem este instrumento, a “oferta” se tornará estranha, e fará com que o “Rei” rejeite a “Rainha”, e fazendo assim, fará com que a “Rainha” decrete a morte dos acompanhantes. Que o Sagrado, bendito seja Ele, nos permita aprender a Sabedoria, e assim, faça-nos viver em Sua Presença.


E este mistério não termina aqui, pois o Zohar sagrado nos oferece conhecimento no caso de um shomer ha´torah que é solteiro e como ele deve fazer para que a Shekiná, a Presença Divina, seja sua companheira.

Kabala Yoga


"Os seus olhos estavam fixos na sha´on de sete horas que repousava sobre uma placa de saphir, esta flutuava próximo do chão, calçado com placas de shocham. Observava as micro pedras enquanto elas caiam para repousar no fundo da redoma feita não de vidro de odêm, mas de berilo. O seu corpo repousava sobre um tapete entrançado com fibras de q´namon e folhas das qórem tamar. Assumira uma posição yogue enquanto meditava, usando as centelhas luminosas da nebulosa do relógio de areia que caiam, contando os daqót, permitindo assim a ampliação da sua mente. Uma expansão provocada pelo aroma de q´namon, que fluía de alguns qetoret samim flutuantes espalhados pelo ambiente, colocados estrategicamente nos pontos cardeais e pelas letras do shab´ta nas quais se transformavam as pedras da ampulheta ao descerem do receptáculo superior, sendo, ao mesmo tempo, impressas nas pupilas brancas do patriarca, gravando em suas almas e no seu espírito, os códigos celestiais do universo".

Trecho do Meu Livro "Qédem"



Kabala Yoga


"Os seus olhos estavam fixos na sha´on de sete horas que repousava sobre uma placa de saphir, esta flutuava próximo do chão, calçado com placas de shocham. Observava as micro pedras enquanto elas caiam para repousar no fundo da redoma feita não de vidro de odêm, mas de berilo. O seu corpo repousava sobre um tapete entrançado com fibras de q´namon e folhas das qórem tamar. Assumira uma posição yogue enquanto meditava, usando as centelhas luminosas da nebulosa do relógio de areia que caiam, contando os daqót, permitindo assim a ampliação da sua mente. Uma expansão provocada pelo aroma de q´namon, que fluía de alguns qetoret samim flutuantes espalhados pelo ambiente, colocados estrategicamente nos pontos cardeais e pelas letras do shab´ta nas quais se transformavam as pedras da ampulheta ao descerem do receptáculo superior, sendo, ao mesmo tempo, impressas nas pupilas brancas do patriarca, gravando em suas almas e no seu espírito, os códigos celestiais do universo".

Trecho do Meu Livro "Qédem"


Os Segredos do Sêmen



Na idade da escuridão, a igreja e os dominadores usaram o conhecimento secreto sobre o sêmen, obtido dos cabalistas colocados sob tortura, para dominar os povos que se negavam a serem conquistados. Nós podemos ver isto no filme “Coração Valente” do diretor “Mel Gibson”.

A energia espiritual do homem, o sêmen, permanece na mulher mesmo depois da relação ter se encerrado. Quando ela inicia um novo relacionamento, uma nova energia é injetada em seu ventre, e o que acontece com a energia anterior, o sêmen do seu último parceiro que já estava nela? Será perdida? Não!

As duas energias brigarão entre si pela posse deste lugar sagrado (o ventre). Se o último parceiro for mais espiritual do que o primeiro, a energia do seu parceiro anterior irá embora. Mas se o primeiro for mais espiritual do que o segundo, o segundo parceiro a deixará. Isto é ainda mais forte no caso de almas gêmeas.

Casamento levirato
Um dos preceitos positivos da Torá é que quando um marido morre sem deixar filhos, seu irmão mais novo tinha a obrigação de suscitar-lhe descendência, casando-se com a cunhada.

O Zohar explica que, no momento da relação, a mulher tinha que se concentrar na imagem do marido falecido.

Este segredo era conhecido comumente na nação israelita no passado. O jovem irmão sabia que, ao se deitar com sua cunhada, seu sêmen apenas a fecundaria, mas seria o sêmen do falecido irmão quem geraria a criança.

O propósito disto era fornecer uma “vestimenta” para que o irmão falecido pudesse reencarnar no ventre da própria esposa.

A bíblia cita dois casos onde este segredo foi usado. No gênesis capitulo 38 temos a história de Judá, seus três filhos e sua nora Tamar. O marido de tamar “Er” havia sido mal diante de D´us, e acabara morrendo, ficando para seu irmão “Onan” o dever de lhe fornecer a oportunidade para reencarnar. Mas Onan quando ia a sua cunhada, sabendo que o filho não seria seu, deixava cair no chão o seu sêmen, vindo a ser morto por esta má intenção de não cumprir o levirato. No nome “Onan” vem a palavra “Onanismo” que é o equivalente a “masturbação” em português. 

A Prima Nocte
De posse destes segredos espirituais, os antigos gregos forjaram uma estratégia para assimilar a nação de Israel, uma vez que eles não conseguiam fazer com que os judeus abandonassem a prática da Tora.
Eles criaram uma lei que obrigava uma jovem judia recém casada a dar sua primeira relação a um grego. Se ela não concebesse desta relação com o grego, a energia espiritual ficaria no ventre dela, e quando ela mantivesse relações com seu legitimo marido e fosse fecundada, haveria uma “mistura” profanando a não judaica de dentro para fora.
A verdade é que, uma mulher pode ser fecundada por um homem, mas conceber de outro!

Outros Mistérios
Há uma coisa que precisa ser colocada na balança, que é a fonte de onde vem o ensinamento. Há muita mistura por ai, então, você deve considerar sempre a fonte, e quanto mais antiga ela for, mais pura será. O Zohar nos revela que o Sêmen é chamado de "Ór Qatan (pequena luz)". Quando um homem mantém relações com uma mulher, ele está doando luz. Há também o seguinte segredo: Quando um homem sente desejo por uma mulher, parte da sua "nefesh (alma animal)" desce para o seu sêmen, e quando ele mantém relação com esta mulher e a fecunda, e está nefesh que será a primeira alma do bebê.

Por que as mulheres tem ou entram em depressão? Por que elas não estão recebendo luz. Mas,então, você vai perguntar: Elas não mantém relações com seus parceiros? Sim, elas mantém, mas um homem sem espiritualidade, ou que não tenha uma mente elevada, seu sêmen não é de boa qualidade, e ao invés de fazer bem à mulher, a lança na escuridão. Isto é explicado assim: Sêmen vem do hebraico biblico "Zerá (זרע)" e é escrito com as letras "Zayin, Resh e Ayin" e seu valor numérico é "277". Se subtrairmos uma letra apenas, uma outra energia será criada. E como podemos mudar a energia subtraindo uma letra sagrada? Digamos que está pessoa não seja um estudante da torah, um homem que guarde o "Shabath" como foi ordenado pelo Santo, bendito seja Ele. O Shabath, de acordo com o Sefer Yetzirá, foi criado pela letra hebraica "Zayin (ז)". Como ele não guarda o "Shabath Sagrado" ele então, arranca, subtrai a letra "Zayin" da palavra "Zerá (Sêmen)" deixando-a com defeito e resulando na palavra "Rá (רע)" que significa "Mal". Também devo revelar que "Zayin" é a palavra hebraica para "Pênis" e como você sabe, um homem para ser um Cabalista precisar ter no membro o Nome de D´us escrito, que é a Circuncisão. Até mesmo na obra de Frank Herbert "Duna", a "Brit Milá (Circuncisão) é exaltada no trecho em que é narrado o teste do "Cavaleiro da Areia".

Muito se fala em espiritualidade, e muito do que se fala não passa de fantasia criada por mentes distorcidas, ou resultado da religião.
Você não deve mesmo concordar, mas estudar a fundo, encontrar evidências e provar aquilo que lhe está sendo compartilhado. Espero tê-la ajudado.

Positivo & Negativo
Tudo neste mundo tem uma parte negativa e uma positiva, e é por isto que este mundo (Olam Hazêh) é chamado na Torah pelo nome código de "Etz Da´at tóv ve´rá - Árvore da penetração (conhecimento) do bem e do mal". Assim, o sêmen também tem uma parte positiva e uma negativa. A parte negativa do sêmen somente pode ser transformada ou absorvida pela parte positiva através de muitas kavanot (meditações qabalisticas) no momento da concepção.

O zohar nos revela que somente é possível gerar uma prole positiva através da eliminação da qlipá (casca negativa) que fica no prepúcio.

Recentemente estudos provaram que, homens circuncisos correm menos risco de contrair HIV (AIDS) e DST (Doenças sexualmente transmissíveis).

O Sêmen de Adão
Após o seu pecado, Adão soube que todos os filhos que geraria através de seu sêmen impregnado de negatividade, que foi um resultado do seu erro, possuiriam defeitos e seria mortos. Sabendo disto, Adão separou-se de sua mulher por 130 anos, e neste tempo manteve relações sexuais com dois espiritos gêmeos femininos (o que ele também corrigiria mais tarde) para esgotar todo o sêmen impregnado de negatividade. Após isto, ele então procurou sua mulher e gerou Shet (Set) tão semelhante a ele mesmo, que quando Adão morreu, todos pensavam que ele ainda estava vivo, por causa da semelhança de Set com o próprio pai.

O Sêmen de Isaac
A parte negativa do sêmen de Isaac, filho de Abraão, gerou Esav (Esaú) o perverso, e a parte positiva do seu sêmen gerou Yaáqov (Jacó) e dele vieram as doze tribos.

Adolf Hitler
O sêmen impregnado de negatividade do Barão Frankenberg que preencheu o ventre da sua empregada doméstica, a jovem Anna Maria Schikengruber, através de uma relação proíbida, gerou Alöis Hidler que trinta e sete anos depois seria o pai do maior assassino da humanidade: Adolf Hitler.

A Telefonia

Tudo o que foi revelado acima já está provado pela ciência. Recentemente foi publicado em um artigo científico os resultados de experiências realizadas por cientistas australianos. Veja no link abaixo.



E há muito mais...

Os Segredos do Sêmen



Na idade da escuridão, a igreja e os dominadores usaram o conhecimento secreto sobre o sêmen, obtido dos cabalistas colocados sob tortura, para dominar os povos que se negavam a serem conquistados. Nós podemos ver isto no filme “Coração Valente” do diretor “Mel Gibson”.


A energia espiritual do homem, o sêmen, permanece na mulher mesmo depois da relação ter se encerrado. Quando ela inicia um novo relacionamento, uma nova energia é injetada em seu ventre, e o que acontece com a energia anterior, o sêmen do seu último parceiro que já estava nela? Será perdida? Não!

As duas energias brigaram entre si pela posse deste lugar sagrado (o ventre). Se o último parceiro for mais espiritual do que o primeiro, a energia do seu parceiro anterior irá embora. Mas se o primeiro for mais espiritual do que o segundo, o segundo parceiro a deixará. Isto é ainda mais forte no caso de almas gêmeas.

Casamento levirato

Um dos preceitos positivos da Torá é que quando um marido morre sem deixar filhos, seu irmão mais novo tinha a obrigação de suscitar-lhe descendência, casando-se com a cunhada.

O Zohar explica que, no momento da relação, a mulher tinha que se concentrar na imagem do marido falecido.

Este segredo era conhecido comumente na nação israelita no passado. O jovem irmão sabia que, ao se deitar com sua cunhada, seu sêmen apenas a fecundaria, mas seria o sêmen do falecido irmão quem geraria a criança.

O propósito disto era fornecer uma “vestimenta” para que o irmão falecido pudesse reencarnar no ventre da própria esposa.

A bíblia cita dois casos onde este segredo foi usado. No gênesis capitulo 38 temos a história de Judá, seus três filhos e sua nora Tamar. O marido de tamar “Er” havia sido mal diante de D´us, e acabara morrendo, ficando para seu irmão “Onan” o dever de lhe fornecer a oportunidade para reencarnar. Mas Onan quando ia a sua cunhada, sabendo que o filho não seria seu, deixava cair no chão o seu sêmen, vindo a ser morto por esta má intenção de não cumprir o levirato. No nome “Onan” vem a palavra “Onanismo” que é o equivalente a “masturbação” em português. Este mistério também é contado para os cristãos no livro de Hebreus, mas o verso foi modificado pelos tradutores, para que o segredo da reencarnação fosse escondido. Eis o verso:

"Pela fé, mulheres receberam pela ressurreição, os seus mortos... (Hebreus 11:35)".


Onde no verso está "ressurreição" a palavra original indica "reencarnação". Foi mudada pelos tradutores. E como receberam de volta "os seus maridos mortos?" Através do casamento levirato (Ibum). Você deve ter em mente que a carta foi escrita para os Hebreus, cuja Sabedoria e conhecimento possuíam acerca deste mistério.

A Prima Nocte

De posse destes segredos espirituais, os antigos gregos forjaram uma estratégia para assimilar a nação de Israel, uma vez que eles não conseguiam fazer com que os judeus abandonassem a prática da Tora.

Eles criaram uma lei que obrigava uma jovem judia recém casada a dar sua primeira relação a um grego. Se ela não concebesse desta relação com o grego, a energia espiritual ficaria no ventre dela, e quando ela mantivesse relações com seu legitimo marido e fosse fecundada, haveria uma “mistura” profanando a não judaica de dentro para fora.

A verdade é que, uma mulher pode ser fecundada por um homem, mas conceber de outro!

Outros Mistérios

Há uma coisa que precisa ser colocada na balança, que é a fonte de onde vem o ensinamento. Há muita mistura por ai, então, você deve considerar sempre a fonte, e quanto mais antiga ela for, mais pura será. O Zohar nos revela que o Sêmen é chamado de "Ór Qatan (pequena luz)". Quando um homem mantém relações com uma mulher, ele está doando luz. Há também o seguinte segredo: Quando um homem sente desejo por uma mulher, parte da sua "nefesh (alma animal)" desce para o seu sêmen, e quando ele mantém relação com esta mulher e a fecunda, e está nefesh que será a primeira alma do bebê.

Por que as mulheres tem ou entram em depressão? Por que elas não estão recebendo luz. Mas,então, você vai perguntar: Elas não mantém relações com seus parceiros? Sim, elas mantém, mas um homem sem espiritualidade, ou que não tenha uma mente elevada, seu sêmen não é de boa qualidade, e ao invés de fazer bem à mulher, a lança na escuridão. Isto é explicado assim: Sêmen vem do hebraico biblico "Zerá (זרע)" e é escrito com as letras "Zayin, Resh e Ayin" e seu valor numérico é "277". Se subtrairmos uma letra apenas, uma outra energia será criada. E como podemos mudar a energia subtraindo uma letra sagrada? Digamos que está pessoa não seja um estudante da torah, um homem que guarde o "Shabath" como foi ordenado pelo Santo, bendito seja Ele. O Shabath, de acordo com o Sefer Yetzirá, foi criado pela letra hebraica "Zayin (ז)". Como ele não guarda o "Shabath Sagrado" ele então, arranca, subtrai a letra "Zayin" da palavra "Zerá (Sêmen)" deixando-a com defeito e resulando na palavra "Rá (רע)" que significa "Mal". Também devo revelar que "Zayin" é a palavra hebraica para "Pênis" e como você sabe, um homem para ser um Cabalista precisar ter no membro o Nome de D´us escrito, que é a Circuncisão. Em Duna, é falado sobre a Circuncisão, na parte que fala do teste do "Cavaleiro da Areia".

Muito se fala em espiritualidade, e muito do que se fala não passa de fantasia criada por mentes distorcidas, ou resultado da religião.

Você não deve mesmo concordar, mas estudar a fundo, encontrar evidências e provar aquilo que lhe está sendo compartilhado. Espero tê-la ajudado.

Postagem original: 9/12/2006 - no blog "Caminhos Místicos". Transcrita com acréscimos.

Os Imortais


"Há somente 36 tsadikim (imortais) no mundo que recebem a presença divina (Talmude Bavlí. Sanhedrin 97b)”.


Eu encontrei uma discussão fascinante sobre os "imortais" que trouxe eventualmente o assunto sobre os Tsadikim. Agora, aparentemente, em algum lugar da tradição Judaica, há uma idéia clara de que há 36 pessoas justas na terra em cada geração, que são eficazmente "imortais", eles não podem morrer!

Os Highlanders


A noção dos trinta seis justos aparece no Talmude, a tradição oral do judaísmo, como um ensino de um dos rabbis babilônicos, "Abbaye". No ensino de Abbaye, o mundo requer um mínimo de trinta seis indivíduos justos a fim de que ele continue a existir.


Segue-se um argumento sobre o que acontece se não houver estes trinta seis no mundo. Como o mundo pode ser redimido? A idéia pode ter sido sugerida pela história famosa na biblia sobre Sodoma, em que Abraham discutiu com o Criador tentando evitar a destruição da cidade (gênesis, capítulo 18). O Criador concordou, se dez indivíduos justos (tsadikim) pudessem ser encontrados lá. Ele não destruiria a cidade. Abraham ganhou o argumento, mas perdeu a luta e Sodoma foi destruída, porque o mínimo, dez indivíduos justos, não puderam ser encontrados lá. Aquele é o lado secreto da história dos trinta seis. As vezes o mundo não pode conter trinta seis indivíduos justos, e então? O que acontece?

Os cabalistas dizem que, os trinta seis escondidos têm o potencial conservar o mundo, aparecem quando são necessários, e um deles é o Messias. Aparecem às vezes em um período de grandes conflitos, chamado de seus anonimatos e humildade pela necessidade de conservar o mundo.

Porque eles tem o poder para isto, e porque nós os necessitamos. Nós judeus começamos a estar familiarizados com eles, consultando a expressão em "Yiddish" "Lamed Vov-niks" (Lamed Vav é o hebraico para trinta e seis), e vendo-os em toda parte nos atos anônimos das pessoas das nações que realizam poderosos atos em circunstâncias difíceis. E porque um dos "Lamed Vov-Niks", um dos trinta seis anônimos pode ser o Messias, nós temos que tratar os desconhecidos com bondade porque há a possibilidade de que esta pessoa poderia ser o Messias.

Poderia ser a pessoa que nós menos suspeitamos, porque os trinta seis, de acordo com a cabalá, são escondidos. Podem aparecer, e não podem aparecer. Se aparecerem, podem ser conhecidos. Em cada geração, nós os procuramos em toda parte.

Um imortal: Elias O Profeta

A data de nascimento de Elias não é mencionada na bíblia, e nem a sua ascendência, uma vez que ele e Pinchás, são a mesma pessoa.

Na Tora a porção que conta a história de Pincha (Números capitulo 25:11) carrega os segredos da imortalidade, então não é de se estranhar que Pinchás apareça vivo, quase 400 anos depois, no livro de Shofetim (juizes).

Quem Era Pinchás?

Quando os Israelitas estavam acampados no deserto, um homem mau chamdo “Zinri” tomou uma mulher Midianita, e para afrontar a autoridade de Moisés e romper com os comandos da Torá de D´us, passou a manter relações sexuais com esta. Um anjo desceu ao acampamento atraído por esta tremenda negatividade, e começou a matar os israelitas. Para deter a matança, Pinchás (Finéias) filho de Elazar o Sacerdote, tomou uma lança, e atravessou com ela aqueles que praticavam tal imoralidade. Mas a tarefa não foi tão simples.

Quando Pinchás entrou na tenda de Zimri para executá-lo, milhares de Simeonitas se apressaram atrás dele e quiseram matá-lo. Tão grande foi o seu terror naquele momento que a sua alma o abandonou e ele caiu morto. Mas Deus então causou que as almas de Nadav e Avihu que haviam morrido antes no evento onde ofereceram “Fogo Estranho” no altar, encarnassem no seu corpo, e ele se tornou sacerdote, uma distinção que ele não possuia antes, desde quando Aaron e seus filhos foram ungidos para sacerdócio, pois Pinchás não era nascido. Nem foi feita a sua unção subseqüente por Aaron para fazê-lo um cohen, e isto só pode afetar a posição de alguém nascido posteriormente. Naquele momento ele se tornou imortal, de forma que, mesmo se fosse ferido, suas feridas se curariam instantaneamente. A verdade é que, até hoje Pinchás caminha entre nós.

Leia também...

O Artesão Da Luz

O Artesão Da Luz
Deepak Veda - Instrutor e compartilhador sobre a Sabedoria Espiritual. Sênior criptólogo especialista em Criptologia Divina. É escritor e autor de 14 obras, incluindo "Shem ha'Meforash - Os 72 Nomes De D'us" e "Guilgulim - O Portal Das Reencarnações".

Advertência

"Todas as palavras postadas aqui tem por finalidade a revelação dos mistérios das escrituras. Por mais duras que algumas vezes possam parecer, elas não tem finalidade de agredir, difamar, caluniar quaisquer pessoas, instituições, religiões ou quaisquer práticas religiosas e seus líderes. É certo que determinadas práticas e seus respectivos lideres precisam sim serem trazidos à luz, mas através da revelação da verdade"

Tradição

"Então, aqueles que são sábios brilharão como o esplendor (Zohar) do firmamento, e aqueles que retornaram à justiça para muitos, serão como as estrelas para sempre (Dani´El Péreq 12, 3º Passuq)".

Aviso

"A Hayk´la Arazuta não possui vínculos ou ligações com quaisquer endidades "judaicas" e nem mesmo com qualquer federação. A Hayk´la Arazuta não é siosnista e não crê no sionismo. Os rabinos da Hayk´la Arazuta não possuem ligação e nem seguem ou servem ao "judaísmo rabínico". A Hayk´la Arazuta avisa que qualquer um que proferir calúnias, difamações, ataques contra a honra da Comunidade, seus lideres e membros, ameaças de quaisquer tipo, os autores serão levados ao Judiciário através de processos cíveis e criminais. Copiar, distorcer e usar pejorativamente assuntos e experiências aqui publicadas, os autores serão processados. A Hayk´la Arazuta d´Madvra é um Orgão da Associação Cabalista Mundial - Gará Kulam Moshav, organização esta devidamente registrada junto ao Governo Federal Brazileiro de acordo com a Lei e possui CNPJ.".