O Buscador

O Buscador
"Quando olho para os Céus, não estou procurando por um Deus que vive no espaço exterior, estou lendo as estrelas e ouvindo os seus mistérios (Tehilim 19)". Deepak Sankara Veda

Faça Uma Tzedaká (Doação)

Faça Uma Tzedaká (Doação)
O Segredo Da Doação

Boas Vindas

"ברוכים הבאים ממסורת עתיקה העברים במדבר". Bem vindo á Antiga Tradição dos Hebreus do Deserto ao "Zen Hebreu". Este site não representa o judaísmo, nada tem haver com judaísmo e com nenhuma de suas vertentes. Este "sítio" é um lugar onde Sabedoria é compartilhada

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

O Segredo De Beer-Sheva


Na madrugada de hoje, 27 de Fevereiro (Iº de Adar), sonhei e me mostraram no sonho um pergaminho que estava queimada nas bordas e onde haviam grandes letras hebraicas escritas. Quando acordei, realizei as kavanot (introspecções), tomei banho e recitei as preces matinais ao mesmo tempo em que refletia no sonho. "- À tarde eu anoto..." - Concordei comigo mesmo sobre o que havia visto no sonho.

O Zôhar diz, citando a Torá Bereshit: ""E Iosef se lembrou dos sonhos que ele sonhara...(וַיִּזְכֹּר יוֹסֵף--אֵת הַחֲלֹמוֹת, אֲשֶׁר חָלַם לָהֶם)"

Beresheet 42: 9

Pela natureza dos meus sonhos e pelas visões que sempre tenho neles, já sabia que este não havia sido diferente e que algum segredo da Torá me havia sido entregue. À tarde, depois do almoço, sentei na minha cama e fui anotar o sonho. Enquanto fazia a anotação, a imagem que tinha visto no sonho me veio à memória e junto com ela as seis primeiras letras do Nome de 42 Letras e o ano 5774 (2013/2014). Abri meu software de pesquisa dos códigos da, selecionei a Torá Bereshit apenas e escrevi as seis primeiras letras do Santo Nome e solicitei ao programa que fizesse uma busca com um cruzamento com o ano 5774. Bingo!


Assim que meus olhos encontraram as letras na matriz, imediatamente eu tive um chazon (sonho lúcido) e vi o Profeta Eliahu descendo dos céus e tomando um balde junto ao Poço de Beer-Sheva. Ele o desceu e o recolheu cheio com as águas do Poço e me deu para beber e assim que bebi das águas de Beer-Sheva o véu foi tirado e eu vi todo o segredo no meu sonho e também que era justamente o segredo de Beer-Sheva. Eu comecei a tremer e meus braços e pernas adormeceram e eu fiquei na visão por alguns minutos e quando voltei, olhei novamente para a matrix e vi que, cruzando "Ana Be'koach" estava escrito "No deserto de Beer-Sheva" logo acima do ano 5774 que foi o ano do meu Despertar.

Quando voltei novamente meu olhar para o Nome Santo (בְּאֵר שָׁבַע) - Beer-Sheva eu vi as letras se permutarem e revelarem as seis primeiras letras do Ana Be'koach.

Todo o pensamento elevado sobre os mistérios da Torá começa em Biná e terminar em Malchut que é chamada esotericamente de "Be'er Shevá - O Poço dos Sete" e que pode também ser compreendida como "Nas Sete Luzes (be'or-sheva)" uma vez que os sete sefirot superiores derramam suas luzes em malchut que é chamada poço e como malchut é o Vergel (Jardim) do Santo, bendito seja Ele, nos o nomeamos "Jardim das Sete Luzes". 

Quando Eliahu me deu de beber do Poço de Sheva eu bebi das águas de Biná que me deram compreensão. Foi o Ana Be'koach  que eu vi no meu sonho anotada em um pergaminho queimado nas bordas, significando que um segredo do Santo Nome de  Letras me tinha sido presenteado. É de Biná que Sandalfon (Elias) vem.

Ainda tomado pela visão de Eliahu, eu comecei a permutar as letras de Beer-sheva e anotá-las no meu diário. O segredo das permutações é este: Através do método de temurá (permutação) chamado "anterior" a letra "beit (בְּ)" se torna "alet (אָ)". A letra "alef (אֵ)" de "Beer" se torna "beit (בְּ)" e através do método "atbash" a letra "resh (ר)" se torna a letra "guimel (ג) e então nos temos as três primeiras letras do "Ana Be'koach" e então, vamos para "sheva (שָׁבַע)". A letra "shin (שָׁ)" através do método "próxima (seguinte)" se torna a letra "tav (ת)" e que através do método "albam (alef-lamed, beit-mem)" se torna a letra "yud (י)". A letra "beit (בְּ)" de "sheva (שָׁבַע)" se transforma, através de "atbash" em "shin (שָׁ)" e esta, através de "próxima" se torna em "tav (ת)", e então vamos para a última letra que é "ayin (ע)". Ao aplicarmos sobre "ayin (ע)" o método "atbash" ela se transforma em "zayin (זְ)" e esta, através de "albam" se transforma na letra "hê (ה)". Ao aplicarmos novamente o "atbash" na letra "hê (ה)" ela se transforma em "tzad (צְ)" resultando na última letra da primeira sequencia do Ana Be'koach (אב"ג ית"ץ).

As Temurot 
"Permutações"


Como explicado acima, usei basicamente três métodos ou cifras, se assim preferirem, para extrair para fora de "Beer-sheva" o segredo que me tinha mostrado o Profeta Eliahu. Estas cifras foram o "Atbash (צופן אתב"ש)" - método usado pelo profeta Jeremias (capítulos 25 verso 26 e 51 verso 41) onde a primeira letra "alef (א)" é substituída pela última que é "tav (ת)", a segunda letra que é "beit (בֹ)" é substituída pela penúltima que é "shin (שִׁ)" e assim sucessivamente. O segundo método que usei foi o "Avgad (אַבְּגַ'ד)" onde o alef é substituído pela próxima e assim sucessivamente e tamb´´em o oposto. E finalmente a cifra "Albam (אלב"ם)" onde o alef-beit é dividido em dois grupos de onze letras e então, a primeira é substituída pela décima primeira, a segunda pela décima segunda e sucessivamente.

ע
בַ
שָׁ
ר
אֵ
בְּ
זַ
שָׁ
ת
גַ
בְּ
אֵ
ה
ת
י
גַ
בְּ
אֵ
ץ
ת
י
גַ
בְּ
אֵ

אב"ג ית"ץ

A cifra "Atbash" foi a que o Sagrado, Ele mesmo, bendito seja, usou para extrair Seu Nome Sagrado de 42 Letras das primeiras 42 letras do Gênesis. Todos estes métodos são divinos.

Foi este segredo que me foi dado no sonho e que Elias veio para me dar a compreensão dando-me de beber das águas místicas do Poço de sheva e ainda há mais. A gematria de Beer-sheva (בְּאֵר שָׁבַע) é 575 e este valor é o mesmo de "Vai'omer Elohim: Yehi ór (וַיֹּאמֶר אֱלֹהִים, יְהִי אוֹר)" cuja tradução é "E disse D'us: Haja luz... (Gênesis :3)" e sabemos que a palavra "Ór (אוֹר)" possui a mesma gematria da palavra "raz (רז)" que é "segredo místico". O valor 575 também é a gematria de "Va'yehi davar Adonai elai le'emor (וַיְהִי דְבַר-יְהוָה, אֵלַי לֵאמֹר) - E veio a mim a palavra de Adonai, dizendo (Jeremias 1:4)".

SOD HA"NIQUDOT

As vogais (niqudot) embaixo de "Ber-sheva" nos revelam outro segredo, o número 72, uma alusão aos 72 Nomes.



Beer-sheva é um Nome poderoso porque, carrega o segredo do primeiro verso do Santo Nome de 42 Letras e a força dos 72 Nomes de D'us. Claro, ainda existem outros mistérios.

As Águas De Beer-Sheva

No dia 25, dois dias antes de receber a visita de Eliahu, eu republiquei no Facebook um excerto do meu Livro Crônicas De Qédem que narra o Rio Púrpura que corre em Aur e deságua no Pardes Rimonim (malchut):


"A leste encontra-se a nascente do “Argaman (אַרְגָּמָן) – o Rio púrpura”, e no centro do rio, numa ilha flutuante está “Onég – A Árvore Do Deleite” cujas folhas destilam o “Samim” usado como especiaria nos templos de “Sagidá – o mundo da adoração eterna ”, o segundo planeta do sistema do Altar, onde o Rei Yoshiahu também chamado “A Quarta Centelha ”, escondeu a “Arca da Aliança”, a mesma que fora usada pelos Filhos de Éber durante seu exílio em Aretz, posteriormente procurada pelos arqueólogos durante milénios. Agora, todo o universo conhecerá o seu lugar. O primeiro planeta deste sistema é “Hallel” cujo patriarca, “Dód”, fora o criador das “cento e cinquenta canções”, usadas nos serviços de adoração por quase todos os planetas do universo e que escrevera: “Ele é o contador do inumerável exército de estrelas a qual chama uma a uma pelo nome (Crónicas de Dód 147º Suráta 4º ayát) ”. As folhas de “onég” possuem três cores, fruto da sua complexa fotossíntese derivada dos três sóis Darom, Tzafun e Mizrach, e das águas púrpuras do Argaman. O “Argaman” cruza todo o planeta Aur, passando por baixo da muralha escudo do castelo, precipitando-se numa belíssima cachoeira no Vale da Imortalidade. As suas águas são a razão dos lábios purpúreos dos Sekudot. Ali, no Vale da Imortalidade é onde crescem as “rimonim – as maçãs de 613 sementes”. 

Excerto de Crônicas De Qédem

Argaman (אַרְגָּמָן) é um nome esotérico, um acrônimo dos Nomes dos cinco malachim (anjos) "Ariel, Rafael, Gabriel, Michael e Nuriel" e que juntos criam as "vestes púrpuras do messias (daquele que despertou)".

Qual é a cor das águas de Beer-sheva? Elas são púrpuras que é o resultado das águas de Biná que descem passando por Zeir Anpin sendo misturadas em yesod. Quando são despejadas no "Poço de Sheva (malchut) elas estão desta cor e como só há um caminho de yesod a malchut este caminho é chamado "Nahar Argaman (Rio Púrpura)".



Shirat Beer-Sheva
O Poema De Beer-Sheva

Em dezoito de janeiro, estando tomado pela sabedoria superior, eu poetizei e publiquei no Facebook "És Beer-Sheva". Eu nada sabia do que me estava para acontecer:

"És Beer-sheva, o jardim das sete luzes e eu desejo eternamente habitar em ti. Teus lábios púrpuros declamam fagulhas de luz vestidas em palavras místicas. Teu corpo é uma tenda esotérica e os sábios se reúnem para observar-te. Campo sagrado é a tua pele dourada, um pergaminho onde anotam os anjos os desejos e as vontades dos céus. Teus belos seios são esfinges divinas que ocultam o mel da Sabedoria. Quem será digno de ti se alimentar? Sobre quais lábios destilarás o doce e sublime mel que escorrem dos teus lindos mamilos excitados protegidos por tuas róseas auréolas? Que eu seja digno de beber do tua doçura e que minha boca possua mérito para provar as águas púrpuras da tua fonte, pois tu és o Santuário do Divino, a morada da Presença Santa neste mundo. És Beer-sheva, o jardim das sete luzes e eu eternamente desejo habitar em ti". 

Deepak Sankara Veda​



Autor
O Qadosh Baruch Hú
com o auxílio de Eliahu
Anotado por
Dipankara Vedas




sábado, 25 de fevereiro de 2017

A Arca Bio-Genética De Noé


Faze para ti uma arca da madeira de gofer; farás compartimentos na arca e a betumarás por dentro e por fora com betume. 

עֲשֵׂה לְךָ תֵּבַת עֲצֵי-גֹפֶר, קִנִּים תַּעֲשֶׂה אֶת-הַתֵּבָה; וְכָפַרְתָּ אֹתָהּ מִבַּיִת וּמִחוּץ, בַּכֹּפֶר.

Gênesis 6:14

Quanto mais investigo, mais fica claro que seres extraterrestres e seres intra terrenos ajudaram Noach (Noé) a preservar todo o DNA do mundo (Marte) e trazê-lo para a Terra depois do Dilúvio. A Arca era uma "chalalit (חללית) - um navio espacial".

Eu encontrei uma evidência que não pode ser desprezada e que deixa claro que a Arca era mesmo uma espaçonave:

"Rabi Meir disse: Uma pérola estava suspensa na Arca, e derramava luz sobre todas as criaturas, como uma lâmpada que ilumina dentro de uma casa, e como o sol que brilha em seu poder". 

Excerto do Pirkê D'Rabbi Eliezar

O que era esta pérola que estava suspensa dentro da Arca? Na mesma obra existe uma outra referência a esta misteriosa pérola suspensa citada pelo mesmo sábio:

Rabi Meir disse: Uma pérola estava suspensa dentro do ventre do peixe e deu iluminação a Jonas, como o sol que brilha com sua força ao meio-dia; e mostrou a Jonas tudo o que estava no mar e nas profundezas, como se diz: "A luz é semeada para os justos".

Excerto do Pirkê D'Rabbi Eliezar

Esta citação foi sobre o peixe bio-mecânico que tragou jonas e o levou à cidade submarina (Atlântida) e que lhe revelou os segredo ocultos nas profundezas do mar e do futuro da Era messiânica. Para ler este artigo, clique aqui.

Por esta citação confirmamos que a Arca de Noé era também uma máquina, um navio extraterrestre ou intra terreno, um silo que armazenou todo o DNA do mundo (marte) antes que fosse destruído.

Ainda sobre a Arca, o Zôhar faz uma citação enigmática que nos leva a ter mais certeza que ela era uma especie de silo extraterrestre ou intra terreno: 

"Venha e veja: assim era com Noé abaixo. Noé era a aliança sagrada abaixo. E ele é chamado de "Homem da terra (Isha Ha'Adamá)". Então, agora aprendemos um segredo, que Noé precisava da Arca para que ele pudesse se unir a ela e preservar a semente de todo o mundo. Como está escrito: "manter a semente viva (לְחַיּוֹת זֶרַע)" - Beresheet 7: 3.



Quando eu estava estudando esta Porção do Zôhar, encontrei uma evidência sobre a qual já havia postulado e publicado, de que Noé era de Marte. O Zôhar o chama de "Ish Ha'Adamá (אִישׁ הָאֲדָמָה)". Ora, Adamá (אֲדָמָה) é o nome hebraico na Torá para Marte (Ma'adim). Marte sofreu destruição pela água e isto foi confirmado recentemente por um artigo publicado na Revista Nature:

"Este mistério pode começar a ser resolvido a partir de um estudo publicado na revista Nature Scientific Reports e liderado pelo pesquisador Alexis Rodriguez, do Planetary Science Institute, do estado americano de Arizona. De acordo com a pesquisa, Marte foi castigado por dois gigantescos mega-tsunamis há cerca de 3 bilhões de anos e estes fenômenos, causados pelos impactos de asteroides, espalharam sedimentos pelo planeta, apagando as evidências de costas ou litorais. Os estudos de Rodriguez o levaram a concluir que o impacto do primeiro corpo estelar formou uma cratera de 30 quilômetros de diâmetro no fundo do oceano de Marte. Ainda segundo o pesquisador, as ondas geradas pela colisão foram de 120 metros de alturas e se espalharam por mais de 250 quilômetros do solo marciano. “Isso deve ter sido bem espetacular”, Rodriguez disse à Nature.


Particularmente não acredito que tenham sido apenas meteoros, mas, também cometas devido à perturbação causada por um tsunami cósmico originado pela explosão de duas estrelas nas Plêiades, conforme o Talmud narra:

"Nos últimos sete dias antes do dilúvio, quando os sinais terríveis e grande comoção encheu os céus, nos "últimos dias de descanso" durante o período final dos 120 anos que haviam sido dados, Deus mudou o curso da natureza: "Depois de sete dias (Gen. 7:4, 10)" - nestes últimos sete dias (7.000 anos), o Santo mudou a ordem da criação e o sol passou a nascer no oeste e se por no leste". Então começou o dilúvio. "Todas as fontes do grande abismo foram abertas, e as janelas (portais) dos céus se abriram. (Gênesis 7:11)". A água fluiu a partir do interior da terra e dirigiu-se para a superfície, e ao mesmo tempo uma chuva verteu-se não das nuvens, mas do universo, a partir de uma direção definida. As águas superiores correram através do espaço quando Deus removeu duas estrelas da constelação das Plêiades. Estas águas superiores eram quentes, ferviam não como águas da uma chuva comum. Os pecadores foram literalmente cozidos e foram punidos por águas ferventes, Deus ordenou que cada gota d'água passasse através do Geena antes de cair para a terra". 

Talmud Sanhedrin- 108b


Na própria Torá, dentro do Livro do Gênesis, existe criptografado o termo "Chalalit (Nave Espacial)" e que é cruzado pelo passuq onde D'us ordena Noé a construir a Arca:


No centro da matriz temos o termo hebraico "chalalit (nave espacial)" e abaixo dele em azul e com o mesmo salto equidistante temos "tavô (veio)" e cruzando ambos marcado em amarelo está "Assá lechá Teivá etzei gomer (עֲשֵׂה לְךָ תֵּבַת עֲצֵי-גֹפֶר) - Faça para você uma Arca de madeira de gômer... (Gênesis 6:14)".

O Mistério Da Pérola Suspensa
"מַרְגְּלָא עִלָּאָה"

O que era esta "pérola" sobre a qual Rabi Meir revelou estar suspensa (leviando) dentro da Arca e da máquina da Atlântida que salvou Jonas e também ao Taná Rabi Nehorai? Ela era o Sipra Raziel Ha'Malach (O Livro Do Anjo Raziel) que continha todos os segredos e mistérios da criação e com o qual Adão aprendeu a Qabalá de D'us no Jardim do Éden com o seu professor o Anjo Raziel. Esta pérola não era de madrepérola, mas de safira e era viva e falava, conforme descobrimos quando Rabi Meir a citou no caso de Jonas:

"Uma pérola estava suspensa dentro do ventre do peixe e deu iluminação a Jonas, como o sol que brilha com sua força ao meio-dia; e mostrou a Jonas tudo o que estava no mar e nas profundezas..."

A pérola revelou a Jonas os mistérios ocultos nas profundezas dos oceanos e assim também, o mesmo aconteceu a Noé:

"Uma pérola estava suspensa na Arca, e derramava luz sobre todas as criaturas, como uma lâmpada que ilumina dentro de uma casa, e como o sol que brilha em seu poder".

A palavra hebraica de onde "luz" é traduzida é "Ór (אוֹר)" e cuja a gematria é a mesma da palavra hebraica para mistério que é "Ráz" e cujo o equivalente aramaico é "Razá (רָזָא)", ou seja, esta "Luz" continha os mistérios do Livro de Raziel. No Jardim do Éden onde Adão foi colocado depois de ser criado, haviam inúmeras pedras preciosas e pérolas (mistérios) que D'us havia preparado para ele.

Imagine a beleza desta maravilhosa pérola viva que falou com Jonas revelando a ele mistérios que haviam sido revelado para Adão e seus descendentes, incluindo Noé.


Em hebraico a expressão para "Pérola Suspensa" é "Peniná Mosha'ah (פנינה מושעה)" e sua gematria é 838 que é a mesma de "Galô et ha'Gan Éden (גלה את גן עדן) - Revelar o Jardim do Éden. No Zôhar, a expressão para "Pérola Suspensa" é "Marg'lá Ila'áh (מַרְגְּלָא עִלָּאָה)" cuja gematria é 380.

O que é está pérola superior que fica suspensa sem o auxílio de mãos no ventre do peixe e dentro da Arca? O Zôhar diz: 

"Há duas pérolas e há uma cortina entre elas. A pérola supernal está escondida e não tem cor visível"

Zôhar Yitrô - As Duas Pérolas

Há muitos segredos aqui, mas eu vou resumir abrindo este mistério apenas. O Zôhar é um jardim fechado repleto de preciosidades no qual poucos tem permissão do hortelão para entrar. Somente os que possuem zechut (mérito) é que são convidados pelo Rei Santo para entrar no seu Jardim. O peixe é Zeir Anpin (chessed, guevurá, tiféret, netzach, hód e yesod) e a pérola que brilha suspensa no ventre do peixe é yesód - o Heichal ha'Sodot (Palácio dos Mistérios) onde poucos entram, pois não possuem permissão da Tara'a (sentinela).

As duas pérolas são "Malchut" que é a Arca e Biná e a cortina é Zeir Anpin. E a pérola que está escondida e que não tem cor? Ela é Chochmá - a Sabedoria Divina. A gematria 380 de Marg'lá Ila'áh que é 380 é a mesma de Mishlei () - Provérbios de Salomão, onde lemos: "O temor do Senhor é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução".

Provérbios 1:7

E em seguida lemos: "Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe".

Provérbios 1:8

O Pai é chochmá que é a Sabedoria Divina, e a Mãe é Biná que é a Compreensão Divina. Estas duas são também duas pérolas.

Autor
Dipankara Vedas
"Eu Quero Acreditar"
Direitos Reservados


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O Vampiro Não Está Dormindo


Há muitos anos atrás li, claro, pela internet, um artigo que dizia que, durante o ocupação nazista, os homens da SS tinham viajado até a Romênia e lá, aberto a cripta de Vlad, o Empalador, e surpresos, a descobriram vazia. Fizeram isto sob o comando de Himmler. Se foi verdade, talvez, nunca saibamos. Mas o que é verdadeiro segue aqui:

Em Mishlei (Provérbios de Salomão) existe, no capítulo 30, um verso enigmático. Ele diz: "A sanguessuga tem duas filhas que dizem: Dá-me e dá-me. Estas três coisas nunca se fartam..."

לַעֲלוּקָה, שְׁתֵּי בָנוֹת-- הַב הַב: שָׁלוֹשׁ הֵנָּה, לֹא תִשְׂבַּעְנָה

 Provérbios 30:15

O verso original hebraico diz: "O aluká tem duas filhas que dizem: Dá-me, dá-me". Aluká (עֲלוּקָה) é o termo hebraico para "Vampiro". Em algumas traduções, os tradutores católicos escolheram a sanguessuga para o significado de Aluká e talvez, você que agora está lendo este artigo, seja tentado a concordar com os tradutores. Não tenha pressa, pois eu vou revelar-lhe algo que o fara olhar em outra direção.


Os versos anteriores dizem: "Há uma geração cujos olhos são altivos, e as suas pálpebras são sempre levantadas. Há uma geração cujos dentes são espadas, e cujas queixadas são facas, para consumirem da terra os aflitos, e os necessitados dentre os homens. A sanguessuga tem duas filhas: Dá e Dá. Estas três coisas nunca se fartam; e com a quarta, nunca dizem: Basta!".

יג דּוֹר, מָה-רָמוּ עֵינָיו; וְעַפְעַפָּיו, יִנָּשֵׂאוּ. יד דּוֹר, חֲרָבוֹת שִׁנָּיו-- וּמַאֲכָלוֹת מְתַלְּעֹתָיו: לֶאֱכֹל עֲנִיִּים מֵאֶרֶץ; וְאֶבְיוֹנִים, מֵאָדָם. טו לַעֲלוּקָה, שְׁתֵּי בָנוֹת-- הַב הַב: שָׁלוֹשׁ הֵנָּה, לֹא תִשְׂבַּעְנָה; אַרְבַּע, לֹא-אָמְרוּ הוֹן.

Provérbios 30:13-15

Note que eu marquei algumas letras dentro dos três versos citados acima e se você juntá-las no sentido da esquerda para a direita vai descobrir um nome: Vlád Terceiro!


O nome está soletrado dentro destes três enigmáticos versículos a cada 39 saltos equistantes e não há apenas este segredo. No final do verso 14 diz "dentro à humanidade (מֵאָדָם)" que foi traduzido ou ganhou este significado a partir do termo "me-adam (מֵאָדָם)" que é literalmente "homem" e se seguirmos deste termo para frente temos "me-adam la'aluká shét (מֵאָדָם לַעֲלוּקָה, שְׁתֵּ)..." cuja tradução é "de homem para vampiro se transforma..."


Você ainda poderá questionar, mas, lembre-se: O verso não apresenta apenas a palavra "Aluká (vampiro/sanguessuga) mas também o nome deste vampiro que é Vlad! Na tabela criptográfica acima você pode ver "Vlad" cruzado por "de homem para vampiro se transforma...". A palavra "Shet (שְׁתֵּ)" vem do hebraico bíblico e significa "substituir" como em Gênesis capítulo 4:

"E tornou Adão a conhecer a sua mulher; e ela deu à luz um filho, e chamou o seu nome Shet; porque, disse ela, Deus me deu outro filho em substituição a Abel..." 

וַיֵּדַע אָדָם עוֹד, אֶת-אִשְׁתּוֹ, וַתֵּלֶד בֵּן, וַתִּקְרָא אֶת-שְׁמוֹ שֵׁת: כִּי שָׁת-לִי אֱלֹהִים, זֶרַע אַחֵר--תַּחַת הֶבֶל, כִּי הֲרָגוֹ קָיִן.

Gênesis 4:25


O Vampiro Existe e ele não está dormindo

Compre aqui o livro 'SUPERNATURAL'

O OVNI DE EZEQUIEL


Uma das narrativas bíblicas que mais despertam a nostalgia alienígena, se encontra no Tana'k (Torá, Profetas e Escritos) nas Qituvei ha'Qodesh (o Codex Hebraico), em Sêfer Yechezkel (Livro do Profeta Ezequiel) no capítulo primeiro e antes de abordar "Um RIO PARA O PASSADO" e explanar este tema de EU QUERO ACREDITAR, vou iniciar pela "Nuvem Radiante" que Ezequiel avistou. 

A maioria de todos os escritores do tema, baseiam suas afirmativas na narrativa traduzida e que não passam de especulação e achismo. Pela primeira vez, através de ferramentas de análise de criptologia, vou oferecer uma evidência surpreendente e definitiva sobre a questão. Vamos começar pelo verso em questão. A tradução diz: 

"Olhei, e eis que um vento tempestuoso vinha do norte, uma grande nuvem, com um fogo revolvendo-se nela, e um resplendor ao redor, e no meio dela havia uma coisa, como de cor de âmbar, que saía do meio do fogo" 

וָאֵרֶא וְהִנֵּה רוּחַ סְעָרָה בָּאָה מִן-הַצָּפוֹן, עָנָן גָּדוֹל וְאֵשׁ מִתְלַקַּחַת, וְנֹגַהּ לוֹ, סָבִיב; וּמִתּוֹכָהּ--כְּעֵין הַחַשְׁמַל, מִתּוֹךְ הָאֵשׁ"

- Ezequiel 1:4 

Nos capítulos "A Abdução Do Profeta Elias" e "As Carruagens De Eliseu" apresentei evidência onde o acrônimo hebraico para "UFO (עַבָּ'ם)" aparece criptografado dentro do verso que narra a abdução do profeta por um vórtice (seará) e onde o corpo dele está preservado até os dias atuais. Ezequiel narrou: "Va'erê vê'hinê ruach seará ba'á min-ha'tzafun, anan gadol vê'êsh mit'lakachat, vê'nogá lô, saviv; u'mitochá--ke'ayin ha'chashmal, mitôch ha'êsh". Aqui, a partir da letra "ayin (עָ)" de seará (סְעָרָה) e que significa "vórtice", como no episódio de Eliahu, a cada duas letras nós descobrimos o mesmo acrônimo hebraico para "UFO/OVNI (עַבָּ'ם)" dento das palavras "seará ba'á min-ha'tzafun (סְעָרָה בָּאָה מִן-הַצָּפוֹן)" cuja tradução aproximada e literal seria algo como "um vórtice vindo do Norte". 

O que estava vindo na direção do profeta? Ele responde "uma grande nuvem com fogo revolvendo-se nela... (עָנָן גָּדוֹל וְאֵשׁ מִתְלַקַּחַת) e com algo brilhante que saia do meio dela. Este algo brilhante é chamado no verso hebraico original de "chashmal (הַחַשְׁמַל)" que se compreende por "uma substancia luminosa" ou "âmbar" e ainda "um anjo eletrificado", uma vez que chashmal é também a palavra moderna hebraica para "eletricidade". Um eletricista é um "chashmalai (חשמלאי)". 

Em janeiro de 2016 eu postei no Facebook e no Blog sobre a Ór Makif (Luz Circundante) de Adam ha'Rishon e que, segundo revelou o Arizal (Rabino Isaac Lúria) quando Adam foi criado pelo Sagrado, abençoado seja Ele, uma vestimenta de luz, um traje bio-eletrico foi criado para ele. Esta traje era feito de 378 centelhas de Hashmal (חשמל) - partículas elétricas. Quando Adam pecou ele perdeu este traje de Hashmal e D'us então, fez para ele uma vestimenta mais densa criada a partir da Qlipáh Nogá (קליפה נוגה) - à Casca Brilhante (Pele da Serpente). 

A energia/eletricidade é um anjo, o ser vivo, possui a alma de um malach (ser feito com sete pacotes de energia). Além disso, Ezequiel narra que viu um espectro dentro do vórtice, como ele disse "ruach seará". O termo ruach é espírito/espectro em hebraico.


Para corroborar que havia um OVNI dentro da nuvem radiante, o acrônimo hebraico para "UFO" está codificado dentro do próprio passuq (versículo) no sentido da direita para a esquerda (do passado para o presente) a partir da palavra "seará (סְעָרָה) - vórtice" e não termina ai. O notarikon (acrônimo) plural para "UFO's (עַבָּ'םיִם)" está codificado a cada 43 saltos equidistantes dentro dos versos 19 a 22 do mesmo capítulo e então, não apenas o acrônimo hebraico para UFO está codificado em Ezequiel e do qual uma das letras está dentro da palavra "seará (vórtice)" como no evento da abdução do profeta Elias, mas também o plural de U.F.O's tornando evidente que, além do segredo esotérico de Ezequiel, o profeta viu um gigantesco objeto voador não identificando, ou, seria conhecido dele?



Autor
Dipankara Vedas
Protegido Por Direitos© Autorais

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

As Carruagens De Eliseu


"E orou Eliseu, e disse: Adonai, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E Adonai abriu os olhos do jovem, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, ao redor de Eliseu".

וַיִּתְפַּלֵּל אֱלִישָׁע, וַיֹּאמַר, יְהוָה, פְּקַח-נָא אֶת-עֵינָיו וְיִרְאֶה; וַיִּפְקַח יְהוָה, אֶת-עֵינֵי הַנַּעַר, וַיַּרְא וְהִנֵּה הָהָר מָלֵא סוּסִים וְרֶכֶב אֵשׁ, סְבִיבֹת אֱלִישָׁע." .

- IIº Reis 6:17


O que eram estes cavalos e carruagens de fogo? Este é um episódio semelhante ao "rapto" do profeta Elias e Elishá (Eliseu) foi discípulo de Eliahu Ha'Novi.

Já demostrei com evidência criptográfica que estes cavalos e carruagens de fogo são UFOs (עצם בלתי מזוהה) e que o acrostico hebraico (עַבָּ'ם) equivalente ao inglês esta escondido dentro do passuq (versículo) que narra a abdução de Eliahu nas palavras "va'ia'al (וַיַּעַל) - e o levitou -, ba'seará (בַּסְעָרָה) - no vórtice - e ha'shamyim (הַשָּׁמָיִם) - ao céus (IIº Reis 2:11). A cada sete letras (saltos equidistantes) a partir da letra "ayin (עַ)" de "va'ia'al (וַיַּעַל)" nos descobrimos criptografado "UFO (עַבָּ'ם)".

No evento com Eliseu o mesmo notarikon (acrônimo) também está criptografado dentro do verso que narra a aparição dos cavalos e carruagens de fogo dentro das palavras "sussim (סוּסִים ) - cavalos -, sevivót (סְבִיבֹת) - ao redor - e Elisha (אֱלִישָׁע) - Eliseu". As letras "mem sofit (ם)" de sussim (cavalos), o "veit (בִ)" de sevivót (ao redor) e a letra "ayin (ע)" de Elisha (Eliseu) se juntam para formar "UFO (עַבָּ'ם)".

No episódio de Eliahu o criptograma surge no sentido da direita para a esquerda (עַבָּ'ם) no caso de Elisha ele está no sentido inverso, da esquerda para a direita (ם'בָּעַ). Qual o mistério desta inversão? No caso de Elias o UFO veio do passado para o presente e por isso está da direita para a esquerda, porque, a direita da Árvore das Vidas é o Passado e o centro é o Presente, e a esquerda da Árvore das Vidas é o Futuro e, portanto, o UFO de Eliseu veio do Futuro para o Presente.

Você poderá questionar ainda que, em ambos os episódios não foi visto apenas um cavalo e uma carruagem de fogo, mas cavalos e carruagens. Nas aparições verídicas e em sua maioria, grandes UFOs sempre são visto com "objetos" menores ao seu redor. Bem, isto não é novo, mas vem ocorrendo desde os primórdios dos tempos.

A cripto-ufologia é a ferramenta perfeita para evidenciarmos verdadeiros episódios de aparições e abduções, porque em cada e todo evento impressões e ou assinaturas são deixadas para comprovarmos tais aparições e abduções.


Autor 
Deepak Sankara Veda 
EU QUERO ACREDITAR 
EVIDÊNCIAS DA PRESENÇA ALIENÍGENA ENTRE NÓS 
(em processo de criação).

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Onde Está O Profeta - O Filho De Amitai?


Uma Mensagem Do Arizal
"Rabi Itzchaq Lúria Z'L" 


No meu sonho na madrugada de dezesseis de fevereiro, me foi mostrado uma escritura hebraica na qual eu podia ler "Eifo ha'navi ben-Amitai (אֵיפֹה הַנָּבִיא בֶן-אֲמִתַּי) - Onde está o profeta, o filho de Amitai?" Ao mesmo tempo em que eu ouvia esta frase sendo perguntada nos Céus (Academia Celestial). 

Durante o sonho eu senti a presença do meu amado Professor, o Sagrado Leão de Safed (Ha'Ari Ha'Qadosh) e sabia que ele queria me dar um segredo. Ao acordar e ainda com esta impressão mística na memória da alma, procurei nela a assinatura do meu amado Mestre. Calculei a gematria das letras na oração que li e ouvi e descobri o valor 667. 



Ora, este valor numérico hebraico é o resultado dá gematria das letras de "Rabbi Yitzchaq Lúria (רבי יצחק לוריא)" que é o nome do meu Professor. Senti muito amor durante o sonho e ao começar a estudar o dito (אמר) percebi que as letras iniciais formam um notarikon (acronismo hebraico) para a palavra Ohév (אהב) que é amor em hebraico. 


SÓD HA'NIQUDOT

Outro segredo está escondido nos Niqud'Ot (vogais) da oração. Na primeira palavra "Eifo (אֵיפָה) - Onde está?" O valor é 36 e portando a pergunta é "Eifo ha'Tzadiqim Nistarim (onde estão os trinta e seis imortais)? A resposta está na segunda palavra "Ha'Navi (הַנָּבִיא) - o profeta". Os pontos vogais embaixo desta palavra resultam no valor 42 que alude ao Santo Nome de 42 Letras (Ana Be'Koach). Até aqui nós temos:- "Onde estão os Tzadiqim Nistarim? Escondidos no Santo Nome de 42 Letras". 

A próxima palavra é "ben (בֶן)" que é "filho" em hebraico é cujo valor numérico é igual a 52 que é a assinatura numerológica do Profeta Eliahu (אליהו). Ben também é "ban (בן)" que é Biná (בינה) - a Compreensão Divina e os 50 Portais da Compreensão e também o Palácio Celeste onde mora o Profeta Eliahu. Meu mestre, o Sagrado Leão, não veio sozinho para me instruir, ele veio acompanho do Anjo Sandalfon (Elias) como nós tempos antigos. O niqud embaixo de "ben (בֶן)" é o segól (três pontinhos) que aludem as três colunas da Árvore Das Vidas e aos três patriarcas Abraão, Isaac e Jacó que são as Carruagens da Bondade, Severidade e Equilíbrio (o Caminho do meio). Meu Professor trouxe com ele o Profeta Elias e todos se reuniram nas Academias de Abraão, Isaac e Jacó nos céus.

A última palavra é "Amitai (אֲמִתַּי)" que significa "verdade". Os Niqud'Ot embaixo desta última palavra somam também 52 que é a assinatura de Eliahu. O Zohar diz que a Compreensão dos mistérios divinos é dada pelo Profeta Elias e podemos compreender que "a verdade está com o profeta Eliahu". 

Então, o código oculto na mensagem do meu mestre é revelado pelo Profeta Elias: "Onde estão os Tzadiqim Nistarim? Escondidos no Santo Nome de 42 Letras. Compreenda esta verdade". 

Mas, afinal, quem é o Profeta filho de Amitai? Ele é profeta Jonas (יונה) e aqui há outro mistério. O Zôhar revela que, o corpo de Elias fica preservado na "se'erá (torvelinho de luz)" pelo qual ele foi levado aos céus e que, quando Eliahu vem à terra e toma o seu corpo escondido na se'erá este corpo se chama Yoná (Jonas)".

Onde está o profeta filho de Amitai? Está escondido no torvelinho de luz. É lá que está o profeta filho de Amitai.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Seu Rosto É Seu Promotor


"A aparência do rosto revela a natureza da alma de uma pessoa". 

- Baseado no Zôhar Parashat (Porção Yitro). 

Quando Moshê (Moisés) terminou de ensinar princípios de leitura do rosto e da mão aos Filhos de Israel, eles usaram essa ferramenta para avaliar Moshê. O midrash expõe que cada um dos 600.000 homens viu o que viu e chegou à conclusão de que Moshê tinha um grande desejo pelas mulheres. Como resultado, eles sempre acompanharam suas esposas a qualquer reunião particular que teve lugar entre Moshê e qualquer uma de suas esposas. O midrash ensina que eles fizeram isso não porque eles não confiam em suas esposas, mas porque eles pensaram que eles deveriam ajudá-lo para o caso de Moshê perder o controle de seu desejo. 

Foi que nos dias de Moshê Rabbeinu, um rei gentio, tendo ouvido falar do eu líder da nação judaica que os libertou do Egito, dividindo o mar, recebendo a Torá, etc, muito desejou ver a face de Moshe. Como estava abaixo de sua dignidade viajar ao deserto para encontrá-lo, ele empregou um artista hábil para estudar a face de Moshe e pintar finalmente seu retrato. O artista passou muitos meses até que ficou satisfeito com o seu trabalho e apresentou-o ao seu comissário. O rei deu uma olhada na foto e deu ao artista uma bofetada em seu rosto. 

"- Como você se atreve a me enganar! Eu sou bem versado na leitura de rostos, e a imagem que você pintou é de um homem que é de caráter muito pobre. Não só ele deseja as mulheres, como também ele deseja roubar o que quer que seja que não pertence a Ele. Ele também tem o desejo mais forte por tudo o que eu já vi na face de alguém. Eu devo acreditar que este é o grande Moisés? Este homem que tem a moral mais baixa que eu já vi. Como as pessoas podem pronunciar Seu Nome com tanta reverência?" 

O artista, no entanto, manteve sua história de que este era realmente Moshê, que tirou os filhos de Israel do Egito e dividiu o Yam Suf. 

O rei comissionou três artistas e enviou-os para o deserto para "ver" Moshê e desenhar a sua imagem. Todos eles enviaram retrator com o mesmo rosto. Um de um criminoso e que é a melhor palavra para descrever o rosto de Moisés, uma vez que ele havia matado um egípcio. Finalmente o rei intrigado, viajou ao deserto para contemplar o semblante de Moshê com seus próprios olhos. Para seu choque, Moshê parecia exatamente como os artistas o descreveram artisticamente. O rei se aproximou-se do grande líder e expressou sua surpresa com base em sua compreensão da leitura de rosto: 

"- Por que você está surpreso?" - perguntou-lhe Moisés. "Não é este o verdadeiro teste do homem? Superar seu caráter pobre e lutar pela grandeza?" 

- Tiferet Yisrael (Kiddushin 4:77 e outros). 

Não se pode enganar os sábios que são versados na Sabedoria Secreta da Torá. A pessoa que tenta enganar o Sábio, mente unicamente para si mesma.



Autor Dipankara Vedas 
Emprestado De YeshShem 
Com explicações

sábado, 11 de fevereiro de 2017

O Grande Segredo Do Rabino Chaim Vital


"Porque assim me disse o Adonai: Como o leão e o leãozinho rugem sobre a sua presa, ainda que se convoque contra ele uma multidão de pastores, não se espantam das suas vozes, nem se abatem pela sua multidão, assim o Adonai dos Exércitos descerá, para pelejar sobre o monte Sião, e sobre o seu outeiro".


ד כִּי כֹה אָמַר-יְהוָה אֵלַי כַּאֲשֶׁר יֶהְגֶּה הָאַרְיֵה וְהַכְּפִיר עַל-טַרְפּוֹ, אֲשֶׁר יִקָּרֵא עָלָיו מְלֹא רֹעִים, מִקּוֹלָם לֹא יֵחָת, וּמֵהֲמוֹנָם לֹא יַעֲנֶה; כֵּן, יֵרֵד יְהוָה צְבָאוֹת, לִצְבֹּא עַל-הַר-צִיּוֹן, וְעַל-גִּבְעָתָהּ.

Isaías 31:4

Eis que aqui, vou revelar um profundo segredo espiritual sobre a alma do Rabino Chaim Vital, de abençoada memória, que não foi revelado a ninguém nesta geração e nem nas gerações passadas deste a época do Profeta Isaías se não, e unicamente para mim. Você poderá pesquisar em toda a internet e não vai encontrar nenhuma menção sobre este mistério que não aqui neste escrito.

A Visita Do Arizal

No dia 22 de setembro de 2009, fui visitado, no meu sonho, por um anjo com vestes humanas. Ele me disse: "- Proclame aos quatro cantos da terra. Você é uma pessoa especial, amado nos céus". Assim que ele terminou de falar, tomou um instrumento curvo, parecido com um limpador de cutículas e tomando o meu polegar da mão direita, retirou toda a sujeira de debaixo da minha unha. Acordei com a consciência diferente, mais elevada, e a partir deste dia os segredos da minha alma e da sabedoria me foram revelados. O dia 22 de setembro é o 265º dia do ano solar e como nada acontece por acaso, e o anjo veio neste dia. E quem era este anjo? Ele era o Arizal, de abençoada lembrança. O valor 265 é a exata gematria de "Hú ha'Arizal (הוא ה'אריזל) - Ele é o Arizal. Nada no reino dos céus acontece fora de seu tempo, hora ou momento. Nem mesmo um anjo é enviado sem que uma evidência seja impressa no reino físico.

Em Sha'ar Ha'Guilgulim (O Portal Das Reencarnações) Ha'Qadmá (הקדמה) - Introdução 38, o Arizal (O Leão De Safed), abençoada seja sua lembrança, contou ao Rabino Chaim Vital, de abençoada memória, que a alma dele era superior a de alguns anjos.

"- Absolutamente superior". - Disse o Arizal. E ele também lhe disse que ele poderia subir (se elevar), por causa da alma que ele possuía e em razão dos atos dele, acima dos céus chamados Rakiá Aravot (ערבות).

Ainda na "Introdução 38" está escrito, o que o Leão Sagrado revelou ao Rabino Chaim Vital sobre a sua Néfesh (alma). O Sagrado Leão lhe disse: "- Saiba, eu ainda não tenho permissão para lhe dizer por qual razão você tinha vindo ao mundo e quem você é. E se eu lhe dissesse detalhadamente o assunto em questão, você levitaria no ar de tanta alegria. Então vou lhe contar um pouco do que tenho permissão agora para lhe dizer. E saiba que todo o mundo dependia da sua própria correção (tikun) primeiramente. Portanto, ouça, por favor, os meus conselhos e cuide primeiro de você. Saiba - continuou o Arizal -  que a raiz do lado externo da vestimenta da sua néfesh vem do ombro esquerdo de Adão, e ela é do aspecto da néfesh de Cain do lado bom que havia nele".

"A razão secreta que o Arizal não revelou em vida ao Rabino Chaim Vital, mas revelou depois por inspirações e sonhos, foi que Vital retornou ao mundo para inaugurar a Era Messiânica".

Na mesma Introdução, o Rabino Chaim Vital revelou: "- A ordem da raiz da minha alma (néfesh) é a seguinte: Samuel, o profeta; Chizkiáhu, rei de judá; Rabino Iochanan Ben Zacai; Rabino Akiva Ben Ioséf; Rav Iba Saba de Mishpatim; Abayê; o amoraíta, chamado de Nachmani, por fim, eu, Chaim Vital. Por isso, o Rabino Iochanan Ben Zacai, quando estava para morrer, disse para preparar uma cadeira para o rei Chizkiáhu de Judá que está vindo".

 Em 23 de abril de 2010, comecei a "canalizar (de dentro de mim)" um conto para o meu livro Crônicas De Qédem, conto este chamado "Crônicas De Akráv (Crônicas De Escorpião)". Para este conto eu recebi um poema. Ei-lo:

“Escorpião, Escorpião, assentando sobre as águas, orientado pelas reflexões de Elazar o sábio, as meditações das palavras de segredos, a história no livro dos Jubileus, pérolas de Ya´qóv, o único homem escrevendo no meu quarto, na Casa de El, o pastor de Cheshvan, o homem do mistério, Ben Zacai, que me faz conhecer através das profundas reflexões sobre as palavras dos Segredos. Escorpião, Escorpião...”.

Em 23 de março de 2015, às 17h10m, eu postei este poema no Facebook e acrescentei-lhe a seguinte explicação:

"E aqui está codificado o "verdadeiro autor" de Crônicas De Qédem - que é chamado no poema acima de "O Pastor de Cheshvan".

O pastor de Cheshvan é o Rabino Chaim Vital que nasceu no mês hebraico de Cheshvan, mês este que recebe a influência da Mazal Akráv (Constelação de Escorpião). O rabino Chaim Vital era também uma reencarnação de Elazar, filho do Rabino Shimon Bar Yochai, de abençoada lembrança, o que lhe foi revelado pelo Sagrado Ari e, como reproduzido acima, na ordem da raiz da sua alma estava também o Rabino Iochanan Ben Zacai. "Pérolas de Ya'qov" porque o Rabino Akiva era uma reencarnação do Patriarca Ya'kov (Pérola é como o Santo, abençoado seja Ele, chama a alma). O Rabino Chaim também revelou que a raiz de sua alma é de Yuval, filho de Cain, que fabricava armas, e por isto no poema diz "a história no livro dos Jubileus" pois Yuval vem de Yovel que é jubileu. Também, nesta questão de Yuval, o Arizal aconselhou o rabino Chaim a tomar cuidado com facas, devido à correção de Yuval, pois ele sempre corria o risco de se ferir não intencionalmente.

Em seguida a este conto, "canalizei" outro chamado "O Templo De Vênus Sabra" e neste eu cito Nachmani (Abayê) - o amoraíta. De 23 de abril de 2001 à 27 de dezembro de 2003, eu residi em nossa sinagoga (Eliahu) que ficava na casa 583 na Vila Amorim (Amoraim/Amoritas).

Então, no dia 31 de agosto de 2016, tive um sonho com as palavras de Raban Iochanan Ben Zacai, sonho que postei no Facebook:

"Sonhei, nesta madrugada, com as palavras de Raban Yochanan Ben Zakkay quando estava para morrer: "Ve'hachinu Kissê le'Hizkyiahu melech Yehudá she'bô (והכינו כסא לחזקיהו מלך יהודה שבא) - E preparemos uma cadeira para Ezequias rei de Judá, ele está vindo". Enquanto eu ouvia estas palavras de nosso mestre no sonho, meus olhos as viam no Sha'ar Ha'Guilgulim e ao mesmo tempo me era dito que há nelas, um segredo de gematria. Certamente, um segredo me foi contado pela Academia Celestial".

Antes deste sonho, o segredo em questão e que vou revelar, me foi revelado. A data foi 9 de maio de 2016.

התשע'ו

O Segredo

Há milênios cantamos, em todo Havdalá (ritual da separação) no encerramento da Shabat o "Hino da Salvação" construído com os versos de Isaías capítulo 12, versículos 1 e 2, Salmos 3, versículo 9, Salmos 46, versículo 8, Salmos 84, versículo 13, Salmos 20, versículo 10. Meguilat Esther 8, versículo 16 e Salmos 116, versículo 13 como segue abaixo:

"Hinei el y'shuati, ev'tach v'lo ef'chad, ki ozi v'zimrat Yah, Adonai vay'hi li li'shua Ushav'tem mayim b'sason, mima'anei ha-y'shua. L'Adonai ha-y'shua, al am'cha birchatecha selah. Adonai tz'va'ot, imanu, misgav lanu, Elohei Ya'akov Selah. Adonai tz'va'ot, ashrei adam boteach bach. Adonai hoshiah, haMelech ya'aneinu v'yom koreinu. LaY'hudim, hay'tah orah, v'simcha v'sason, vikar "ken tih'yeh lanu". Kos Y'shu'ot esah, uv'sheim Adonai ekra".

Dentro dos versos do Profeta Isaías, o Profeta da Salvação, o anunciador da Era Messiânica, há um profundo mistério escondido e que foi revelado apenas a mim em todo o mundo. Nas palavras de Isaías ""Hinei el y'shuati, ev'tach v'lo ef'chad, ki ozi v'zimrat..." está criptografado o nome Chaim Vital, marcado abaixo no original hebraico com letras vermelhas e grandes.

הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי, אֶבְטַח וְלֹא אֶפְחָד, כִּי עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְיָ, וַיְהִי לִי לִישׁוּעָה. וּשְׁאַבְתֶּם מַֽיִם בְּשָׂשׂוֹן, מִמַּעַיְנֵי הַיְשׁוּעָה. לַייָ הַיְשׁוּעָה, עַל עַמְּךָ בִרְכָתֶֽךָ סֶּֽלָה. יְיָ צְבָאוֹת עִמָּֽנוּ, מִשְׂגָּב לָנוּ אֱלֹהֵי יַעֲקֹב סֶֽלָה. יְיָ צְבָאוֹת, אַשְרֵי אָדָם בֹּטֵֽחַ בָּךְ. יְיָ הוֹשִֽׁיעָה, הַמֶּֽלֶךְ יַעֲנֵֽנוּ בְיוֹם קָרְאֵֽנוּ. לַיְּהוּדִים הָיְתָה אוֹרָה וְשִׂמְחָה וְשָׂשׂוֹן וִיקָר. כֵּן תִּהְיֶה לָּֽנוּ. כּוֹס יְשׁוּעוֹת אֶשָּׂא, וּבְשֵׁם יְיָ אֶקְרָא.

חיים ויטל
(O Codigo)

No profeta Isaías está "Vital Chaim" bastando inverter para descobrir "Chaim Vital. Não fui eu que o coloquei lá. Foi o Sagrado, bendito seja Ele, pelos lábios do Profeta de Israel, Isaías filho de Amós (יְשַׁעְיָהוּ בֶן-אָמוֹץ). E há mais:

Em Sha'ar Ha'Guilgulim (O Portal das Reencarnações) - Ha'Qadmá (Introdução) 18, o Rabino Chaim Vital revelou o segredo do que cantamos no final do "Hino da Salvação" quando recitamos "ya'aneinu v'yom koreinu (יַעֲנֵֽנוּ בְיוֹם קָרְאֵֽנוּ) - Responde-nos, ó nosso Rei, no dia em que Te invocarmos". Este é o segredo da gematria 112.

Yabóq
O Segredo Do Número 112
Sha'ar Ha'Guilgulim 
Ha'Qadmá 18

"Nesse momento (da transmigração da Neshamáh) a pessoa é chamada de "Homem Completo (Adão)". Isso é dito sobre a pessoa que mereceu e alcançou uma Neshamáh de Briáh sobre a qual brilha o nome Eheyêh (אהיה) e quando, o Nome Adonai (אדני) que reluz sobre a Nefesh[5], o Tetragrammaton (יהוה) que ilumina sobre o Ruach[6] e o Nome Eheyêh que cintila sobre a Neshamáh se conectam dentro da pessoa, resultam na gematria (númerologia) de Yabók  (י"קב) que é 112 e nessa hora ele se tornou Desperto, o Buda, o Cristo, o Messias (Adão). E sobre ele é dito "Salva-nos, ó Adonai! Responde-nos, ó nosso Rei, no dia em que Te invocarmos!" E essas palavras são as iniciais em hebraico de Yabóq. E nesse momento a pessoa estará com a Néfesh de Assiá, com o Rúach de Ietzirá e com a Neshamá de Briá".

Isto é maravilhoso, estupendo, sobrenatural, porque, o nome daquele que revelou este segredo é recitado por nós quando entoamos o "Hino da Salvação" no Ritual da Separação (Havdalá) e não apenas isto, mas, até mesmo o segredo que ele viria a revelar também está lá, como uma evidência de que, este Chaim Vital não é outro se não Chaim Ben Ioséf Vital, o autor do Portão das Reencarnações.

Tradução

"Eis que Elé a minha salvação; n'Ele confiarei, e não temerei, porque o Yáh Adonai é a minha força e o meu cântico, e se tornou a minha salvação. E vós com alegria tirareis águas das fontes da salvação. A salvação vem de Adonai; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá.). Adonai dos Exércitos está conosco; o Elohëi de Jacó é o nosso refúgio. (Selá.). Adonai dos Exércitos, bem-aventurado o homem que em ti põe a sua confiança. Adonai salva-nos; ouça-nos ó nosso Rei quando clamarmos. E para os judeus houve luz, e alegria, e gozo, e honra e para nós também haverá. O cálice da salvação erguerei, e invocarei o nome (יְהוָה) de Adonai".

O Ari Ha'Qadosh

Certa vez Vital disse: "- Eu e o Ari somos um!" - Em Sha'ar Ha'Guilgulim - Ha'Qadmá 10, o Arizal, pelos lábios de Chaim Vital, revelou: "- No que diz respeito a um aluno e seu mestre, nós já explicamos que o mestre doa uma centelha do seu espírito para o seu aluno, como o pai faz para com seu filho. No entanto, está é uma união mais forte, pois o espírito do mestre fica com o aluno para sempre e nunca mais se separa dalí".

Sha'ar Ha'Guilgulim - Ha'Qadmá 10

A gematria de "Rabi Isaac Lúria (רבי יצחק לוריא)" é igual a 667 e que é a mesma gematria de "Guilgul Yitzchaq Lúria vê'Chaim Vital (גילגול יצחק לוריא וחיים ויטאל) e, portanto, esta é a prova, a evidência incontestável de que eles se fundiram e são apenas um.

Depois que este mistério escondido no Hino da Salvação me foi revelado em maio de 2016, eu busquei percepção de tudo o que estaria ali escondido e, se o aluno está codificado em Isaías 12 desde o tempo do profeta, o mestre também está:

ישעיהו פרק יב א וְאָמַרְתָּ, בַּיּוֹם הַהוּא, אוֹדְךָ יְהוָה, כִּי אָנַפְתָּ בִּי; יָשֹׁב אַפְּךָ, וּתְנַחֲמֵנִי. ב הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי אֶבְטַח, וְלֹא אֶפְחָד: כִּי-עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְהוָה, וַיְהִי-לִי לִישׁוּעָה. ג וּשְׁאַבְתֶּם-מַיִם, בְּשָׂשׂוֹן, מִמַּעַיְנֵי, הַיְשׁוּעָה. ד וַאֲמַרְתֶּם בַּיּוֹם הַהוּא, הוֹדוּ לַיהוָה קִרְאוּ בִשְׁמוֹ, הוֹדִיעוּ בָעַמִּים, עֲלִילֹתָיו; הַזְכִּירוּ, כִּי נִשְׂגָּב שְׁמוֹ. ה זַמְּרוּ יְהוָה, כִּי גֵאוּת עָשָׂה; מידעת (מוּדַעַת) זֹאת, בְּכָל-הָאָרֶץ. ו צַהֲלִי וָרֹנִּי, יוֹשֶׁבֶת צִיּוֹן: כִּי-גָדוֹל בְּקִרְבֵּךְ, קְדוֹשׁ יִשְׂרָאֵל. {ס}

O nomes Sagrados "Yud Hê Va Hê (יְהוָה)" e "Ël (אֵל)"  e as palavras "ve'zimrat (וְזִמְרָת)" e "Mayim (מַיִם)" contém as letras "Hê, Alef, Resh e Yud" que escrevem "Ha'Ari (האֵרָ"יִ)" soletradas em todo o capítulo 12 a cada 27 saltos equidistantes e com a correção dos niqud'ot (vogais) Ha'Ari (הָאֲרִ"י). Mestre e discípulo juntos na mesma canção entoada em todos havdal'ot criptografados dentro do Hino da Salvação.


Na matriz acima podemos ver que "Ha'Ari (הָאֲרִ"י)" é cruzado pelos versículos do profeta Isaías onde "Vital Chaim (ויטל חיים)" está criptografado e acima de "Ha'Ari" aparece "Qadosh". O Arizal também é conhecido por "Ha'Ari Ha'Qadosh".

O Ano Da Salvação

Por que este segredo tão profundo me foi revelado apenas no ano de 2016, no luach hebreu 5776? E por que apenas para mim? A Resposta à primeira pergunta está nos versos do Profeta Isaías e no próprio Hino da Salvação.

"Hinei el y'shuati, ev'tach v'lo ef'chad, ki ozi v'zimrat Yah, Adonai vay'hi li li'shua Ushav'tem mayim b'sason, mima'anei ha-y'shua".

הִנֵּה אֵל יְשׁוּעָתִי, אֶבְטַח וְלֹא אֶפְחָד, כִּי עָזִּי וְזִמְרָת יָהּ יְיָ, וַיְהִי לִי לִישׁוּעָה. וּשְׁאַבְתֶּם מַֽיִם בְּשָׂשׂוֹן, מִמַּעַיְנֵי הַיְשׁוּעָה

A terceira palavra é "Yeshuatí (יְשׁוּעָתִי)" ao ser permutada se transforma em 776 (תשע'ו) que foi 2016 no calendário solar. Os dois "yudim (יָיְ)" que sobraram são as iniciais de "Yáh Adonai (יָהּ יְהוָה)" como no verso em Isaías e também de "Adonai yheiêh (יהוָה יִהְיֶה) - Adonai será" e que junto com 776 se tornar "Adonai será salvação" e que (776) é também a gematria de "shanat Adonai (שְׁנַת יהוָה) - Ano de Adonai" e também de "beiat ha'mashiach (ביאת המשיח) - vem o messias". O valor 776 é também a gematria de "Yavô vai'tegalê ben David ba im Eliahu Ha'navi (יבא ויתגלה בן דויד בא עם אליהו הנביא) - Venha e descubra que o filho de David (a Era Messiânica) veio junto com Elias o profeta (a revelação da Sabedoria oculta). Portanto, 2016 foi o ano da salvação, o ano no qual a Era messiânica se revelou, o ano do Despertar.

Quanto à segundo pergunta, por que apenas para mim? Acordei hoje (12 de fevereiro), um dia depois de começar a escrever este artigo e recitei as primeiras brachot (bênçãos) ainda na cama. Me levantei, fiz o netilat yadaim (ablução das mãos), realizei a minha higiene pessoal e vim para o quarto e recitei o meu shacharit (preces matinais). Me sentei na cama e como costumo fazer uma ou duas vezes na semana, fiz o teste de glicose usando um glicosímetro (não, eu não tenho diabetes) e o resultado foi 123 mg/dl (miligramas por decilitros). O valor 123 é a gematria hebraica de Hayim Vital(חיים ויטל) e do meu nome civil que é Paulo (פאולו). Geralmente, a minha glicemia é de 95 a 110 mg/dl, mas hoje foi exatamente 123.

Por que não 122 ou 124? Mas exatamente 123? A Torá diz: "Porque a alma de toda carne está no seu sangue (כִּי-נֶפֶשׁ כָּל-בָּשָׂר, דָּמוֹ בְנַפְשׁוֹ הוּא)" - Vay'krá 17:14. Como a alma está no sangue ela imprime sua assinatura no próprio sangue.

O Portão das Reencarnações ensina que até quatro nafeshot (almas) podem habitar o coração de uma pessoa, mais que este número não é possível, porque quatro são as letras do Sagrado Nome de D'us.

Em dezembro de 2003, fui acometido por uma crise renal no rim esquerdo e tive que ser levado à Santa Casa para fazer exames e ser medicado. O resultado do exame apontou 216.000 plaquetas por mg/dl. Ora, duzentos e dezesseis é a gematria de "Ha'Ari". O Sêfer ha'Yetzirá (Livro da Formação) revela que o rim esquerdo foi criado pela letra hebraica "Tet (ט)" e que também criou Leão no universo. 


Gematria 583

Em abril de 1999, três anos após o início do meu despertar, eu estava viajando através da BR 381 visitando algumas cidades do interior de Minas Gerais. Dois anos depois, em 23 de abril de 2001, aluguei a casa número 583 onde nossa Sinagoga Elijah seria estabelecida. A data de 23 de abril é a do ocultamento da alma do rabino Chaim Vital que nasceu em 23 de outubro de 1542. 


Contrato de locação da Casa 583 para sede da nossa 
K'nesset Eliahu onde as datas de falecimento e nascimento
do mestre Chaim Vital aparecem

Eu havia recebido minha ordenação rabínica e passei a ser chamado de Rav Misha'Ël (רב מישאל) cuja gematria é exatamente 583 e este meu presente agora me foi mostrando com um futuro quando viajava pela BR 381. O valor 381 é a gematria de Misha'Ël e BR se escreve com as letras Resh e Beit (רב) formando o titulo Rav.

Nossa sinagoga era K'nesset Elijah (כנסת אליהו) - Sinagoga Eliahu - cuja gematria "Im ha'Kollel" é igual a 583.

Quando o Arizal chegou a Safed, ele foi frequentar a K'nesset Eliahu que havia lá e que, segundo a lenda, foi onde o próprio Eliahu ha'Novi (Profeta Elias) rezou.



Este mesmo valor (583) é a gematria de "Yavô Tzfat (יבא צפת)" cujo significado é "Veio de Safed". No final de 1999, antes destes eventos maravilhosos, eu estava caminhando por uma rua em Suzano, quando tive um sonho lúcido. Eu vi uma Casa (בית) onde havia uma placa com os dizeres "Sinagoga Elijah" e eu nem tinha qualquer intenção de ser um rabino ou ter uma sinagoga.

No dia 5 de Av de 5763 (3 de agosto de 2003) exatamente no dia do hilulá (ocultamento) do Arizal, eu fui circuncidado neste vida na casa de número 583.


Reportagem (2004) onde o nome da nossa Sinagoga
"K'nesset Elijah" é mencinado.



Reencarnação Do Ombro Esquerdo

Você leu ali em cima, na citação do Sha'ar Ha'Guilgulim - Introdução 38 - que o Arizal revelou ao Rabino Chaim Vital que ele (sua néfesh) era a reencarnação do ombro esquerdo de Adão. Reencarnação do ombro se diz em hebraico "guilgul katéf (גילגול כתף)" cuja gematria "im ha'kollel" é exatamente igual a 583. Já esquerdo em hebraico é "semolí (שמאלי)" palavra que possui as mesma letras de "Misha'Ël (מישאל)" bastando que se faça uma temurá (permutação) para que o nome seja revelado.

A partir do dia 23 de abril de 2001, assim que aluguei a casa 583 para ser a K'nesset Eliahu, fui acometido de uma dor intermitente no ombro esquerdo e que nunca mais me abandonou. Agora mesmo, enquanto escrevo, todo o ombro esquerdo me dói.


Gematria 123

No final de 2003, motivado pelas centelhas reencarnadas em mim, mudei a sinagoga para a cidade de Mogi das Cruzes, para o número 106. Hoje, nos momentos em que estava meditando sobre este assunto, tive outro sonho lúcido e vi que o número da casa da frente da nossa K'nesset Eliaju era 123. Fui no Google mapas e digitei o enderenço e para minha surpresa a visão se confirmou. Como dito acima, 123 é a gematria de Chaim Vital.


Placa que recebi após uma palestra em uma Loja
Maçônica em São Paulo.

Hoje pela manhã, quando eu fiz o teste de glicose, eu não sabia que iria postar este segredo sobre o qual vinha meditando desde maio de 2016 quando o recebi, mas a alma, que está no sangue, é que sabe os tempos e as épocas nos quais os segredos divinos devem ser revelados.

O Glicosímetro com o valor 123 mg/dl
na manhã de 12 de fevereiro de 2017.

Sinais & Evidencias De Uma Reencarnação

Quando nossa K'nesset se mudou para a casa 583 depois de haver ficar dezesseis meses em uma garagem emprestada, o dia 23 de Abril coincidiu com o dia 30 de Nissan - Hilulá de Rabbi Chaim. O Rabi Chaim faleceu no dia 3 de maio de 1620 que foi, no luach hebreu o dia 30 de Nissa de 5380. Depois, com a mudança do calendário juliano vigente na época para o gregoriano, o dia passou a ser o de 23 de abril. O dia 3 de maio é o 123º dia do ano solar! Acaso?


Print do Jornal Israelense "Ha'Aretz (O País)"
"Neste dia na história judaica: 1620 - O Cabalista Rabbi Chaim Vital
morre".


Em Ezra pereq 2, 21º passuq (versículo), está escrito: "B'ney Beith-lechem:- Méa asserim u'shloshá (בְּנֵי בֵית-לָחֶם, מֵאָה עֶשְׂרִים וּשְׁלֹשָׁה) - Os filho de Belém:- Cento e vinte e três (123)". Não é novidade para os que já me conhecem há muitos anos que eu nasci no Belenzinho, um bairro da cidade de São Paulo localizado na região adjacente à Paróquia São José do Belém, no distrito do Belém, e que meu nove civil é Paulo cuja gematria é exatamente 123.



Acima, na matrix criptográfica, temos "Ha'Ari no centro em amarelo e Vital em vermelho na diagonal e, ao lado direito de Vital temos o verso "Os filhos de Belém: Cento e vinte e três (Ezra 2:21)".

Rebbe Chaim Vital faleceu no ano 380 do 5º milênio do calendário hebraico. Seu primeiro yahrzeit (memorial) foi no ano 381. Eu fui odernado Rabino da nossa "k'nesset Eliahu 381 anos depois do falecimento do Rabino Chaim e meu nome hebraico, Misha'ël tem a gematria igual a 381.

"A vela yahrzeit, chamada de vela memorial ( hebraico : נר נשמה - ner neshama - significa "vela da alma) é um tipo de vela que é iluminada em memória dos mortos na QABALAH . Este tipo de vela, que queima até 26 horas, também é acesa na véspera de Yom Kippur ou da cerimônia do Dia da Lembrança do Holocausto (Yom Ha'Shoah) para queimar durante toda a ocasião".

Um ano depois, exatamente no dia 23 de abril eu fui realizar uma palestra em uma loja maçônica em São Paulo onde ganhei a placa vista acima na foto. Em março, sentindo toda esta revolução no meu interior, a saudade de Safed queimando a alma, eu fui ao Centro de Estudos da Cabalá, na rua Conselho Brotero para o Shacharit de Shabat e com intenção de me aconselhar, ouvir uma palavra de recepção, boas vindas, sentir o amor de um cabalista, o Rabino Joseph Saltoun, que era o Professor do Centro naqueles dias. As únicas palavras que ouvi do rabino foram "- Faça pelo menos a circuncisão". As pessoas tinham preconceito religioso porque possuíamos uma sinagoga a nos elevamos ao rabinato por reencarnação e não por aceitação de um dogma religioso.

Naquela manhã estava lá, também, um empresário afro-americano, ex-pastor evangélico convertido ao judaísmo, e que era aluno do rabino Saltoun, chamado James Leander Kitchen e que já me era conhecido de ouvidos, pois, sabendo de nossa k'nesset em Suzano, abriu uma loja de artigos judaicos na Praça dos Expedicionários, mas eu não o conhecia fisicamente, pois não o tinha visto ainda. James me caluniava dizendo que eu não era judeu e nem rabino e tentava de todas as formas destruir nosso trabalho espiritual. Ele não me conhecia pessoalmente, nunca havia me visto e, desinformado, se aproximou e começou a me caluniar ali mesmo, me chamando de falso, ladrão e outros apelidos pejorativos. Ao ouvi-lo comentendo lashon ha'rá (maledicência) em plena Shabat, o rabino Saltou o repreendeu, pedindo para que ele se calasse. James saiu da sala e do prédio. Ao sairmos, eu e meus alunos, nós o vimos em seu carro estacionado na rua.

Duas semanas depois, ainda no mês de março, seguindo com sua perseguição a mim e com intenção de me destruir, James publicou, em uma revista que mantinha naqueles dias chamada Shomer Yisrael, uma série de calúnias contra mim, e como os membros da nossa k'nesset Elijah estavam cadastrados em sua loja de artigos judaicos, ele mandou um exemplar da sua revista a cada um dos membros da nossa sinagoga na sexta, um pouco antes da Recepção da Shabat ha'malká.

Alguns minutos antes do ritual ser iniciado por mim, um dos membros chamado Samuel Lopes, trouxe ao meu conhecimento a tal revista. Eu a tomei e li as calúnias contra mim e fiquei muito triste. Quando a sala estava repleta, eu tomei à frente e chorando li as calúnias que James havia praticado contra mim. Lembrei-me da oração do Rei Chizkiáhu de Judá quando foi afrontado por Senaqueribe. Chorei novamente e pedi ao Sagrado, bendito seja Ele, apenas por justiça, pois eu estava me esforçando para fazer o bem.

Alguns dias depois, em 12 de abril de 2002 - 30 de Nissan, no hilulá de Rabi Chaim Vital - James foi dormir com uma amante em um Flat na Aclimação em São Paulo. Na manhá do dia seguinte, ele foi surpreendido por sua esposa e tentando fugir do fragrante adultério, caiu da janela do 5º andar e morreu.

Print do Jornal do dia 14 de Abril

James morreu por cometer lashon ha'ra contra uma centelha sagrada. Ele falece no último dia de leitura da Porção Metzorá (הַמְּצֹרָע) da Torá que adverte sobre as consequência da maledicência:

"Esta será a lei da pessoa afligida com tzara'ath (נֶגַע-הַצָּרַעַת), no dia da sua purificação ... e a pessoa a ser purificada terá dois pássaros vivos e limpos, um pedaço de cedro, uma tira de lã carmesim e hissopo. O kohen (Sacerdote) ordenará, e um matará o um pássaro em um vaso de barro, sobre água de nascente. Ave viva, tomá-la-á, e o pedaço de cedro, a tira de lã e o hissopo, e, juntamente com o pássaro vivo, mergulhá-los-á no sangue da ave abatida , Sobre a água de nascente. Então, aspergirá sete vezes sobre a pessoa que está sendo purificada do tzara'ath, e ele o purificará. Ele então enviará o pássaro vivo para o campo (aberto).

Levítico 14: 2-7

Estes versos descrevem o processo de purificação de uma pessoa afligida com, tzara'ath , lepra. Esta aflição é comumente entendida como sendo causada por falar lashon hara (conversa caluniosa). Uma das razões sugeridas para trazer aves é que os pássaros "tagarela" refletindo sem pensar como a metzora é afetada por falar mal sobre os outros".

Estes foram os eventos e milagres que me aconteceram, para revelar as centelhas sagradas dentro de mim e revelar a sabedoria e o poder do Santo, bendito seja ele.

Ainda hoje eu sou tido com falso judeu, falso cabalista e nenhum destes ditos "grandes cabalistas modernos" jamais quis se aproximar de mim, nunca me procuraram ou me fizeram qualquer convite para participar de algum seminário ou encontro. O preconceito rege suas almas...

"E sucedeu que, entrando eles, viu a Eliabe, e disse: Certamente está perante o Senhor o seu ungido. Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração".

Iº Samuel 16:6 e 7

Certa vez, nos conta o Zohar em Parashat Pinchás, um sábio gentio (Grego) lançou um desafio sobre Rabi Eliezer Hircano sobre uma questão da Torah. Cheio de ego e arrogância, o sábio gentio continuou repreendendo Rebe Eliezer, dizendo: "Vovô, vovô, não tente me responder porque eu não vou ouvir qualquer coisa que você disser. E eu não vou aceitar uma resposta de você." Rebe Eliezer ficou em silêncio por um momento, então ele levantou os olhos e olhou para ele e reduziu-o a uma pilha de ossos - basicamente, ele o vaporizou.

"Ai do homem, diz Shimeon bar Yohai, que afirma que esta Torá pretende se relacionar unicamente com coisas banais e narrativas seculares, pois, se assim fosse, então, nos tempos atuais também a Torá poderia ser escrita com narrativas mais atrativas. Na verdade, porém, a questão é assim: O mundo superior e inferior são estabelecidos sobre um e o mesmo princípio; no mundo inferior é Israel (consciência) , no mundo superior são os anjos. Quando os anjos desejam descer ao mundo inferior, eles têm que vestir roupas terrenas. Se isto é verdade para os anjos, quanto mais para a Torá, por quem, de fato, o mundo e os anjos foram criados iguais e existem. Todo o mundo poderia simplesmente não ter suportado olhar sobre ela. Agora, as narrativas da Torá são as suas vestes. Aquele que pensa que estas peças de vestuário são a própria Torá merece perecer e não têm participação no mundo vindouro. Ai dos tolos que não procuram mais do que vêem. Um roupão elegante não é mais valioso do que o corpo que o carrega, e mais valiosa que o corpo é a alma que o anima. Tolos! vêem apenas a roupa da Torá! O inteligente vê o corpo, o sábio porém vê a alma, mas no tempo messiânico, do Despertar, "alma superior" da Torá (os seus segredos ocultos) será revelada". 

Do Zôhar Ha'Qadosh


Autor
Dipankara Vedas
"Misha'Ël Ha'levi"
(Paulo Sergio Batalini)

Leia também...

O Artesão Da Luz

O Artesão Da Luz
Deepak Veda - Instrutor e compartilhador sobre a Sabedoria Espiritual. Sênior criptólogo especialista em Criptologia Divina. É escritor e autor de 14 obras, incluindo "Shem ha'Meforash - Os 72 Nomes De D'us" e "Guilgulim - O Portal Das Reencarnações".

Advertência

"Todas as palavras postadas aqui tem por finalidade a revelação dos mistérios das escrituras. Por mais duras que algumas vezes possam parecer, elas não tem finalidade de agredir, difamar, caluniar quaisquer pessoas, instituições, religiões ou quaisquer práticas religiosas e seus líderes. É certo que determinadas práticas e seus respectivos lideres precisam sim serem trazidos à luz, mas através da revelação da verdade"

Tradição

"Então, aqueles que são sábios brilharão como o esplendor (Zohar) do firmamento, e aqueles que retornaram à justiça para muitos, serão como as estrelas para sempre (Dani´El Péreq 12, 3º Passuq)".

Aviso

"A Hayk´la Arazuta não possui vínculos ou ligações com quaisquer endidades "judaicas" e nem mesmo com qualquer federação. A Hayk´la Arazuta não é siosnista e não crê no sionismo. Os rabinos da Hayk´la Arazuta não possuem ligação e nem seguem ou servem ao "judaísmo rabínico". A Hayk´la Arazuta avisa que qualquer um que proferir calúnias, difamações, ataques contra a honra da Comunidade, seus lideres e membros, ameaças de quaisquer tipo, os autores serão levados ao Judiciário através de processos cíveis e criminais. Copiar, distorcer e usar pejorativamente assuntos e experiências aqui publicadas, os autores serão processados. A Hayk´la Arazuta d´Madvra é um Orgão da Associação Cabalista Mundial - Gará Kulam Moshav, organização esta devidamente registrada junto ao Governo Federal Brazileiro de acordo com a Lei e possui CNPJ.".